Vereadores de Foz pedem retirada da pauta do projeto de Roman

Os vereadores de Foz do Iguaçu aprovaram nesta terça-feira, 10, uma “moção de apelo” aos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Parlasul, Celso Russomano (Republicanos-SP) para que se retire da pauta dos dois parlamentos o projeto de lei do deputado Evandro Roman (Patriota) que prevê designar Jaime Lerner o nome da segunda ponte entre Brasil e Paraguai, em construção sobre o Rio Paraná.

Segundo os vereadores, a ligação na fronteira já foi batizada com o nome “Ponte Integração Brasil – Paraguai” que traz o simbolismo do bom relacionamento entre os dois países. “É importante ressaltar que a aproximação de Brasil e Paraguai começou há 56 anos com a construção da Ponte Internacional da Amizade, primeira ligação entre as duas nações”, diz a moção assinada pelo presidente do legislativo municipal, Ney Patrício (PSD) e mais 13 vereadores.

Os vereadores reiteram a necessidade de retirada de pauta do projeto de lei “como forma de preservar a  ‘Amizade’ e a ‘Integração’, nomes que denominam as duas pontes e que simbolizam a consolidação da união e harmonia entre os povos do Brasil e Paraguai”.

Consulta – A construção da segunda ponte, afirmam os vereadores, é uma reivindicação histórica de Foz do Iguaçu e dos vizinhos paraguaios. “A obra vai desafogar o trânsito de caminhões entre os dois países. A construção, que já se encontra com 64% concluída, está prevista para ser entregue no próximo ano, a Itaipu Binacional, que realiza o investimento de R$ 470 milhões”.

“Essa obra reflete, mais uma vez, a harmônica convivência entre os povos brasileiro e paraguaio, além da união entre os dois países para melhorar a vida dos cidadãos que vivem na fronteira, como também beneficiar importantes setores da economia e atrair novos investimentos para as duas nações. Isso sem contar a geração de empregos diretos e indiretos”, diz a moção.

A união entre os dois países é marcada pela construção da usina Itaipu que começou na década de 70.”Além deste contexto histórico, que justifica a manutenção do nome desta obra binacional, é importante destacar que em nenhum momento as duas cidades interligadas pela ponte foram consultadas sobre a intenção da mudança do nome”, afirmam os vereadores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Piso do professor de Foz do Iguaçu vai para R$ 4 mil

O prefeito Chico Brasileiro (PSD) encaminha até esta quinta-feira, 13, à Câmara de Vereadores os dois projetos de lei que preveem o abono de R$ 1.810,30 aos 2.617 servidores da educação e que garantem o piso salarial de R$ 4 mil para 40 horas aos professores da rede municipal de ensino de Foz do Iguaçu. O presidente do legislativo, Ney Patrício (PSD), vai convocar as sessões extraordinárias a partir de segunda-feira, 17, e espera votar a matéria ainda em janeiro.

“Garantimos o abono aos servidores da educação, não só aos professores, porque temos uma previsão de aumento para este ano de receita da educação. Queremos pagar o abono, o novo piso aos professores e o aumento aos a todos os servidores municipais ainda neste mês de janeiro”, disse Chico Brasileiro.

Na segunda-feira, a primeira matéria que será votada pelos vereadores será a do aumento de 8,35% nos salários dos mais de seis mil servidores municipais. A proposta tramita na Câmara Municipal desde dezembro.

Piso – Hoje, o piso inicial aos professores está na casa de R$ 1,5 mil para 20 horas e será reajustado para R$ 2 mil. Aos professores que trabalham 40 horas, o piso vai subir para R$ 4 mil. Brasileiro antecipou o aumento mesmo antes da definição do piso nacional, o que deve acontecer nos próximos dias, e que deve ser adotado pelas prefeituras que recebem recursos do Fundeb.

Entre o abono e o novo piso, a prefeitura espera um impacto de R$ 9 milhões no orçamento. O pagamento de duas referências (reajuste de 6% que será incorporado ao salário da categoria) será a partir do mês de março. As referências terão um R$ 8,3 milhões ao ano. “Isso está sendo possível porque temos um conjunto de previsão orçamentária  2022 e estamos trabalhando  com muita responsabilidade, então não foi atendido tudo que foi solicitado, mas uma grande parte foi atendido dentro da responsabilidade fiscal e dentro do equilíbrio que o município deve manter”, disse o prefeito,

Com os novos reajustes, os professores municipais de Foz do Iguaçu passam a ter o terceiro maior piso para 40 horas entre as 399 cidades do Paraná – fica atrás apenas de Araucária (R$ 4.830,62) e São José dos Pinhais (R$ 4.470, 94) –  e o quarto maior no padrão de 20 horas. Na frente estão Araucária (R$ 2.415,31), São José dos Pinhais (R$ 2.235,47) e Pinhais (R$ 2.179,47).

Ar-condicionado- A educação é tratada com muita atenção por Chico Brasileiro. As salas das 50 escolas e 42 cmeis (centros de educação infantil) tem aparelhos de ar-condicionado. A prefeitura reformou, ampliou e construiu novas escolas e centros de educação. A proposta de Brasileiro será equiparar o número de cmeis ao das escolas até o final do seu governo.

Os 27 mil estudantes estão recebendo um auxílio, de R$ 80 e R$ 180, para compra de material escolar nas papelarias e lojas do setor em Foz do Iguaçu. Chico Brasileiro adianta que a prefeitura também vai fornecer um cartão-leitura para aquisição de livros pelos estudantes e deve ampliar ainda este ano o ensino integral e a escola bilíngue. “Teremos o ensino da língua inglesa a partir do quarto ano do ensino fundamental. Em seguida, partiremos para o espanhol”, disse.

“Este projeto da escola bilíngue – espanhol e inglês – está no plano municipal da educação. O que estamos fazendo agora é a contínua estruturação na área – com a construção, reconstrução, reforma e ampliação de escolas e centros de educação infantil – para a eficiência da proposta pedagógica do plano municipal de educação”, completou.

Nas reuniões em cinco regiões do Orçamento Participativo para este ano, das 32 obras elencadas pelos moradores que demandarão investimentos de R$ 50 milhões, 22 são de construção e melhorias nas unidades de ensino.

Prefeito Chico Brasileiro deve antecipar retorno das férias

O prefeito Chico Brasileiro (PSD), de férias desde o dia 1° de janeiro, deve reassumir a prefeitura de Foz do Iguaçu nesta quarta-feira (12), dois dias antes do previsto.

Desde o início do ano, a cidade era comandada pelo vice-prefeito, o delegado Francisco Sampaio (PSD), que ficaria no cargo até a sexta-feira (14).