Terceira onda da Covid19 vem aí, garantem funcionários da Saúde

Nos corredores da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA) é dado como certo que uma terceira onda da Covid19 atingira o Paraná e o Brasil entre junho e julho. O temor entre funcionários da pasta se dá especialmente pelo ritmo lento de vacinação em todo o país e pelo sentimento de que o risco está menor entre a população.

“Quase tudo está funcionando normalmente, algumas prefeituras liberaram até baladas de forma velada. Muita gente nas ruas e em ambientes fechados sem máscara. Apenas uma pequena fatia da população ainda está fazendo algum tipo de isolamento social. Isso está refletindo na taxa de transmissão”, disse um alto funcionário da Saúde, que prefere não se identificar.

Em um mês, o Paraná e especialmente Curitiba registraram aumento da taxa de transmissão (TR). No estado, entre a primeira semana de abril e a primeira de maio, o índice foi de 0,74 para 0,99. Já na capital, a transmissão saltou de 0,66 para 1,06.

A taxa de transmissão serve como uma estimativa de como a doença se espalha entre a população. Quando o número é menor ou igual a 1, há queda no número de casos. Já quando é maior que 1, o aumento. Por exemplo: com taxa de transmissão igual a 2, 1 pessoa infectada com a covid-19 tende a transmitir a doença para duas outras pessoas. Já para uma taxa de transmissão igual a 0,5, a cada 2 pessoas infectadas com a covid-19, há transmissão da doença para uma outra pessoa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prefeito de Quedas do Iguaçu deixa a prisão, mas está proibido de ir a bares

Detido no sábado (22), por ter sido flagrado dirigindo embriagado após bater seu carro em uma moto em Guaratuba, no Litoral do Estado, o prefeito de Quedas do Iguaçu, Élcio Jaime (PSD), passou a noite na Delegacia de Polícia, mas hoje (23) foi libertado após pagar fiança.

O alvará de soltura emitido pela Justiça diz que se trata de liberdade apenas provisória, por hora, e o mais curioso: proíbe o prefeito de frequentar bares, boates e outros estabelecimentos do gênero pelo prazo de um ano. Além disso, diz que ele não poderá se ausentar da região de Quedas do Iguaçu por mais de oito dias consecutivos sem prévia autorização judicial.

Além de embriaguez ao volante, Élcio Jaime é investigado por lesão corporal culposa no trânsito, ameaça e desacato, pois de acordo com a Polícia Civil ele tentou coagir os agentes de trânsito que estiveram no local do acidente.

A Prefeitura de Quedas do Iguaçu, cidade do Sudoeste paranaense com quase 35 mil habitantes e distante pouco mais de 100 km de Cascavel, informou à imprensa que ele está de férias até 6 de fevereiro, e que o ocorrido foi possivelmente uma fatalidade. (Foto: Reprodução Facebook)

Crianças de 6 a 11 anos sem comorbidades podem receber vacina contra covid na segunda-feira (24)

Agendamento já está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br); doses serão aplicadas em 10 unidades de saúde

A Secretaria Municipal de Saúde baixou, mais uma vez, a faixa etária do público-alvo da campanha de vacinação infantil contra a covid-19. Na segunda-feira (24) serão vacinadas as crianças de 6 a 11 anos sem comorbidades.

O agendamento está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br). Também seguem sendo imunizadas as crianças de 5 a 11 anos que possuem comorbidades ou deficiência permanente.

De quarta-feira (20), quando iniciou a vacinação infantil, a sábado (22), 2.158 crianças receberam a primeira dose contra a covid em Foz do Iguaçu.

“Assim como foi com a vacinação dos adultos e também a dos adolescentes, vamos baixando a faixa etária tão logo possível, para que a imunização das crianças também ocorra de forma célere”, ressalta a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônimo.

As doses serão aplicadas nas seguintes unidades de saúde: UBS São João, Sol de Maio, Vila Iolanda, Maracanã, Padre Monti, Profilurb II, Vila C Nova, AKLP, Portal da Foz e Campos do Iguaçu.

Documentação

Os pais devem portar documento pessoal com foto, além de documento (RG, CPF e cartão SUS) ou certidão de nascimento da criança, para comprovar o parentesco, e comprovante de endereço. Crianças que não estiverem com o pai e/ou mãe deverão apresentar autorização por escrito (o modelo está disponível no link https://vacinacao.pmfi.pr.gov.br/grupos.html?id_publicacao=726)

Para comprovar a comorbidade, os pais poderão levar exames ou laudos médicos que comprovem a condição.

PMFI