Secretária acredita que fim da pandemia está próximo em Curitiba e espera Estado para liberar máscara

Com 79,8% dos moradores vacinados com ao menos uma dose, a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, acredita que o fim da pandemia de Covid-19 está próxima em Curitiba. A expectativa foi dita em entrevista concedida à Banda B na tarde desta sexta-feira (12). Ao longo da entrevista, ela ainda confirmou que a capital vai aguardar posicionamento do Governo do Paraná para liberar o uso da máscara em ambientes abertos.

Nesta quinta-feira, o sistema de monitoramento por bandeiras de Curitiba atingiu a menor pontuação desde o seu lançamento: 1,35, o que reforça a expectativa por um fim de ano muito mais tranquilo na cidade.

Segundo Márcia Huçulak, o momento é muito promissor. “Acho que estamos no fim da pandemia. Por que? Por causa da vacinação. A gente foi muito criticado no início do ano pela falta de doses, mas o estado do Paraná conseguiu chegar na frente do ponto de vista de esquema vacinal completo. Nós estamos hoje com quase 90% da população com 18 anos ou mais com duas doses de vacina e é isso que nos traz a esse momento de baixa”, disse.

Curitiba completa nesta sexta-feira 128 dias de bandeira amarela, o maior período que a cidade se mantém nesse cenário desde que adotou o sistema.

Liberar máscara

Durante a entrevista, Huçulak ainda destacou a importância do uso da máscara, que segue sendo desrespeitado em vários ambientes. Segundo ela, o equipamento segue sendo uma importante barreira de proteção enquanto o vírus está em nosso ambiente. “Quando a gente tirar a máscara, é para não voltar atrás. A gente viu países, como Israel, Estados Unidos e Reino Unido, que tiraram e voltaram a usar a máscara, então é muito ruim. Se a gente continuar nesse patamar, talvez possamos ter um dezembro sem máscara ao ar livre, o que já é um alívio”, destacou.

Segundo ela, porém, a cidade vai tomar essa medida apenas com alinhamento com o Governo do Paraná. “Curitiba não é uma ilha, eu tenho dito. Eu tenho conversado com o secretário Beto Preto e vamos tomar essa medida alinhada com o estado. A gente recebe pessoas de todo lugar, temos uma região metropolitana com pessoas que trabalham aqui, então é bom a gente ter uma ação integrada”, comentou.

Festas

A secretária da Saúde ainda disse que Curitiba deve ter um fim de ano muito mais parecido com o que todos estão acostumados. “A gente tem insistido na vacinação, porque isso nos dá uma luz no fim do túnel para que as famílias possam se encontrar, e tenho certeza que isso vai acontecer nesse ano. Como nosso prefeito [Rafael Greca] diz, estamos preparando um Natal de gratidão e esperança para o ano que vem”, concluiu.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vermelho e Greca

O deputado Vermelho (PSD) se encontrou com o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM) em Brasília. Vermelho adiantou a Greca defesa ao projeto de lei que destina R$ 2 bilhões a hospitais filantrópicos e santas casas. A proposta já foi aprovado ao Senado. O texto prevê que o valor recebido por cada entidade deverá ser usado para pagar profissionais de saúde (inclusive aqueles contratados depois do auxílio), adquirir insumos e equipamentos, conduzir pesquisas e realizar reformas no espaço físico das instituições.

Greca sem pressa para definir partido

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, não tem pressa para definir seu futuro partidário. Filiado ao DEM que se uniu ao PSL na União Brasil, Greca recebeu vários convites e a definição pode vir em março de 2022 quando vai abrir a janela partidária. Greca tem dito que a prioridade é cuidar de Curitiba e vencer a pandemia. No ano que vem, pretende tocar mais um conjunto de obras de mobilidade urbana, de infraestrutura e de habitação. Nas eleições de 2 de outubro, o apoio do prefeito de Curitiba será disputado tanto no campo estadual quanto nacional.