Seca aumenta risco de queimadas fora de controle nos campos paranaenses

O número de incêndios ambientais aumentou 24% entre janeiro e agosto de 2021 no Paraná, na comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Segundo a corporação, só neste ano foram mais de 7.600 registros, ante cerca de 6.100 no ano passado.

Em 2020, conforme os bombeiros, foram 512 ocorrências em campos, 312 em lavouras, 1.052 em pastagens e outros 273 em plantios florestais.

O empresário Pedro Mansani, dono de um balneário que é usado por visitantes como área de lazer no distrito de Manciocaba, em Paranavaí, no noroeste do Paraná, enfrentou o cenário de destruição e a tristeza de quem tem que calcular os prejuízos após uma queimada.

“Entristece porque ainda bem que eu tirei um gadinho que eu tinha, senão torrava tudo. Eu tinha cortado os eucaliptos, depois ia cortar a lenha e depois estocar isso e ia tombar tudo junto. Quer dizer, foi embora o adubo da terra. Aquilo que eu tinha na cabeça, acabou. A folha foi embora”, desabafou.

Casos como esse são intensificados diante da falta de chuvas no estado, que aumenta ainda mais o risco destes incêndios saírem do controle nos campos paranaenses.

“Teve uma estiagem grande, um período de seca, e mesmo com chuva tem que tomar os cuidados que seriam fazer os aceros. É delimitar parte do chão na terra, tirando o que for de combustível, tirar as matas que possa fazer com que o fogo se propague numa área maior”, orientou o tenente do Corpo de Bombeiros, Victor Kamei.

A orientação é para evitar que grandes desastres, como o que aconteceu no Paraná em 1963 e é considerado o maior incêndio florestal do Brasil, se repitam.

Naquele ano, 10% do território paranaense foi queimado. Foram dois milhões de hectares destruídos pelas chamas, deixando 110 mortos e cerca de um mil feridos.

Na época, o fogo foi iniciado por lavradores que queriam fazer a limpa nas propriedades, mas a estiagem prolongada e as geadas que tinham queimado as matas contribuíram pra que o fogo saísse do controle.

No total, foram 128 municípios foram atingidos.

Fonte: G1

Foto: reprodução/RPC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prefeito de Quedas do Iguaçu deixa a prisão, mas está proibido de ir a bares

Detido no sábado (22), por ter sido flagrado dirigindo embriagado após bater seu carro em uma moto em Guaratuba, no Litoral do Estado, o prefeito de Quedas do Iguaçu, Élcio Jaime (PSD), passou a noite na Delegacia de Polícia, mas hoje (23) foi libertado após pagar fiança.

O alvará de soltura emitido pela Justiça diz que se trata de liberdade apenas provisória, por hora, e o mais curioso: proíbe o prefeito de frequentar bares, boates e outros estabelecimentos do gênero pelo prazo de um ano. Além disso, diz que ele não poderá se ausentar da região de Quedas do Iguaçu por mais de oito dias consecutivos sem prévia autorização judicial.

Além de embriaguez ao volante, Élcio Jaime é investigado por lesão corporal culposa no trânsito, ameaça e desacato, pois de acordo com a Polícia Civil ele tentou coagir os agentes de trânsito que estiveram no local do acidente.

A Prefeitura de Quedas do Iguaçu, cidade do Sudoeste paranaense com quase 35 mil habitantes e distante pouco mais de 100 km de Cascavel, informou à imprensa que ele está de férias até 6 de fevereiro, e que o ocorrido foi possivelmente uma fatalidade. (Foto: Reprodução Facebook)

Crianças de 6 a 11 anos sem comorbidades podem receber vacina contra covid na segunda-feira (24)

Agendamento já está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br); doses serão aplicadas em 10 unidades de saúde

A Secretaria Municipal de Saúde baixou, mais uma vez, a faixa etária do público-alvo da campanha de vacinação infantil contra a covid-19. Na segunda-feira (24) serão vacinadas as crianças de 6 a 11 anos sem comorbidades.

O agendamento está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br). Também seguem sendo imunizadas as crianças de 5 a 11 anos que possuem comorbidades ou deficiência permanente.

De quarta-feira (20), quando iniciou a vacinação infantil, a sábado (22), 2.158 crianças receberam a primeira dose contra a covid em Foz do Iguaçu.

“Assim como foi com a vacinação dos adultos e também a dos adolescentes, vamos baixando a faixa etária tão logo possível, para que a imunização das crianças também ocorra de forma célere”, ressalta a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônimo.

As doses serão aplicadas nas seguintes unidades de saúde: UBS São João, Sol de Maio, Vila Iolanda, Maracanã, Padre Monti, Profilurb II, Vila C Nova, AKLP, Portal da Foz e Campos do Iguaçu.

Documentação

Os pais devem portar documento pessoal com foto, além de documento (RG, CPF e cartão SUS) ou certidão de nascimento da criança, para comprovar o parentesco, e comprovante de endereço. Crianças que não estiverem com o pai e/ou mãe deverão apresentar autorização por escrito (o modelo está disponível no link https://vacinacao.pmfi.pr.gov.br/grupos.html?id_publicacao=726)

Para comprovar a comorbidade, os pais poderão levar exames ou laudos médicos que comprovem a condição.

PMFI