Saúde de Foz do Iguaçu vai receber mais 11.420 vacinas contra a Covid-19

Foto: Christian Rizzi/PMFI

Foz do Iguaçu recebe, entre esta sexta-feira (4) e segunda-feira (7), mais 11.420 vacinas contra a Covid-19. O agendamento para a vacinação das pessoas a partir de 55 anos está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br).

Com o novo lote, serão 110.731 imunizantes entregues desde o início da campanha, em janeiro deste ano. Neste sábado, a aplicação das doses será feita das 8h às 14h nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O horário da entrega das vacinas ainda não foi confirmado pela 9ª Regional de Saúde, que fará a distribuição das doses aos nove municípios da região. Foz irá receber 10.250 doses da vacina AstraZeneca na sexta-feira e a previsão é que mais 1.170 vacinas da Pfizer sejam entregues na segunda-feira (7).

“Estamos muito contentes que estão chegando vacinas com maior frequência e, com isso, não precisarmos interromper a vacinação. Nosso esforço é sempre no sentido de agilizar a aplicação das doses e não deixar vacinas paradas, por isso estamos sempre nos reorganizando”, afirma a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônymo.

Das 99.311 doses recebidas até o momento, 97.506 já foram aplicadas pela Secretaria Municipal de Saúde. Além das pessoas a partir de 55 anos da população em geral, a campanha de imunização segue vacinando os grupos prioritários, que não precisam fazer o agendamento prévio.

Nesses grupos estão: pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, trabalhadores da educação do ensino básico e superior – esses três grupos de pessoas acima de 18 anos; pessoas acima de 60 anos; trabalhadores da saúde que atuam no combate à Covid-19; profissionais do transporte aéreo; e trabalhadores da limpeza e da coleta seletiva.

Profissionais da saúde

A Secretaria Estadual de Saúde anunciou um novo grupo de profissionais da saúde que será vacinado contra a covid, que inclui: assistente social, biólogo, biomédico, educador físico, enfermeiro, médico veterinário, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, odontólogo, psicólogo, nutricionista, farmacêutico e terapeuta ocupacional.

A vacinação desses profissionais será feita a partir da próxima semana. Eles precisarão comprovar com o registro do conselho de classe e comprovante de endereço. Mais informações serão divulgadas pela Prefeitura de Foz do Iguaçu nos próximos dias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nova onça-pintada é flagrada no Parque Nacional do Iguaçu

Uma nova onça-pintada foi flagrada no Parque Nacional do Iguaçu, na região de Foz do Iguaçu. O animal é um macho, aparentemente jovem.  A espécie que é ameaçada de extinção, é monitorada pelo Projeto Onças do Iguaçu. De acordo com coordenadora do projeto, Yara Barros o animal nunca havia sido registrado no Parque Nacional do Iguaçu, no Brasil e nem no Parque Nacional Iguazú (Argentina).
“A presença de novas onças, de uma nova população que está crescendo, que está se reproduzindo, significa um habitat que tem todos os requerimentos que a espécie precisa pra sobreviver. Então, sempre, novos filhotes, novas onças registradas, é sempre um sinal de esperança na recuperação da espécie. Esperança de que a gente possa realmente conservar essa espécie tão ameaçada de extinção”, disse Yara Barros.
A imagem da onça foi  capturada por uma das 60 armadilhas fotográficas do projeto, espelhadas pelo parque, Nela  é possível ver o animal andando pela mata e cheirando uma árvore chamada peroba-rosa, que segundo Yara, é uma planta utilizada por outras onças pardas e pintadas como arranhador.
As onças são identificadas por meio do padrão das manchas, que são únicas em cada animal, como se fosse uma impressão digital.
Por meio dos pontos de monitoramento entre Brasil e Argentina, foram coletadas 693 mil imagens, flagrantes que mostram como as onças se comportam longe da presença do homem.

Assessoria
Foto: reprodução

Romanelli apoia ação do PSB em favor da vacina contra a covid

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta terça-feira, 25, a ação do seu partido que recorreu ao STF (Supremo Tribunal Federal) para anular a recente nota técnica do Ministério da Saúde para o uso de hidroxicloroquina contra a covid-19. O documento também desqualifica o potencial das vacinas para combater a doença.

“Está comprovado que as vacinas salvam vidas. Milhares de pessoas poderiam estar aqui entre nós hoje se a vacinação tivesse sido iniciada no tempo certo. Mas tem gênios no governo federal que não querem enxergar este fato. Chega a ser ridículo”, afirma Romanelli. “Não há evidência de que cloroquina e hidroxocloroquina tenham efeito sobre a doença”.

O PSB protocolou um pedido de liminar para a suspensão da nota técnica, sustentando que o medicamento é comprovadamente ineficaz, que a orientação do Ministério da Saúde desconsidera uma série de atos legais e infralegais e que a política de vacinação deve ser priorizada para combater a pandemia.

Investigação – O partido também pediu a suspensão dos efeitos de outras duas portarias e solicitou que o STF abra uma investigação administrativa e cível contra Hélio Angotti Neto, que assina o recente documento do Ministério da Saúde.

Na petição enviada ao Supremo, o PSB defende uma nova análise das Diretrizes Brasileiras para Tratamento Medicamentoso Ambulatorial do Paciente com Covid-19, formuladas pela Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias), “com amparo em critérios estritamente técnicos”.