Santin Roveda afirma que tecnologia e inovação são os melhores caminhos para o desenvolvimento

O ex-prefeito Santin Roveda defendeu nesta sexta-feira, 20, a implantação do Parque Tecnológico de União da Vitória para o desenvolvimento de pesquisas e de novas tecnologias para impulsionar áreas como a agricultura, erva-mate, pecuária de leite, madeira e reflorestamento. “Temos o certificado de credenciamento e agora precisamos da estrutura física já que a região se consolidou como um polo educacional de ensino superior e de formação profissional”, disse.

No final de 2019, o governo estadual entregou a certificação para 14 cidades e dois anos para a instalação dos parques, mas em função da pandemia esse prazo poderá ser esticado. “Com o avanço da vacinação e o fim da pandemia, a hora é de retomar com mais força e urgência a implantação do parque tecnológico envolvendo todos os setores e segmentos de União da Vitória”, disse,

O parque tecnológico, explica Santin Roveda, é um ambiente que tem a participação do poder público, dos empresários e das universidades. “Nós somos um polo industrial e principalmente uma cidade universitária. Queremos transformar União da Vitória numa referência em tecnologia e inovação”.

Cadeias produtivas – A implantação de um parque tecnológico, além de contribuir com o desenvolvimento da região, qualifica os estudantes e profissionais que não precisam se deslocar para outros centros em busca de melhores oportunidades. “Precisamos de soluções para alavancar o desenvolvimento regional reunindo no mesmo espaço empresas, universidades e o poder público para atuarem de forma conjunta através de incubadoras e instituições de pesquisa para dividirem conhecimento, equipamentos e recursos”.

Santin Roveda cita como exemplo o potencial de crescimento da cadeia produtiva da erva-mate, que reúne onde o Paraná concentrou 87% da produção do país. A maior parte produzida na região sul do Estado, com destaque para Cruz Machado, General Carneiro e Bituruna. “Há ainda potencial na madeira e reflorestamento que precisam qualificar a produção e ampliar seus mercados”.

Em março do ano passado, Santin Roveda integrou a comitiva de representantes da Uniguaçu, Sebrae e Emater que conheceu o Ecossistema de Inovação de Florianópolis, a Universidade Federal de Santa Catarina e os programas de apoio à incubação e às starups. “Temos ainda a expertise do Parque Tecnológico de Itaipu, uma referência no País, que deve apoiar a implantação de outros parques e unidades tecnológicas no Paraná”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Uenp confirma retorno às aulas presenciais

As aulas presenciais na Uenp serão retomadas regularmente no próximo 7 de fevereiro, seguindo decisão dos conselhos superiores da universidade. A reitoria adiantou que a medida é válida para todos os cursos de graduação e pós-graduação nos três campi: Jacarezinho, Cornélio Procópio e Bandeirantes.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) lembra que é importante a adoção de todas as medidas sanitárias no combate à propagação da pandemia. “Os estudantes de todos os níveis de ensino devem ficar atentos à programação do curso e aos protocolos de biossegurança para evitar a proliferação da variante ômicron, que tem maior poder de transmissão”, alerta.

A reitora Fátima Padoan disse que a Uenp vai desenvolver atividades remotas de orientação pedagógica e sanitária para a comunidade universitária entre os dias 2 e 4 de fevereiro, para que os estudantes se preparem para o retorno presencial.

Em 2021, a Uenp já havia retomado as atividades presenciais dos cursos da área da Saúde, nos campi de Jacarezinho e Bandeirantes. Portanto, para os alunos deste segmento, as aulas presenciais recomeçam regularmente a partir do dia 2 de fevereiro.

Zé Boni pode ser o candidato de Bolsonaro ao senado no Paraná

José Maria Boni, 43 anos, é natural de Loanda (PR). Foi eleito vereador mais jovem do Brasil em Santa Cruz de Monte Castelo, no noroeste do Paraná, aos 18 anos, em 1996. Exerceu quatro mandatos consecutivos na Câmara da cidade. No governo do Paraná, atuou na Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) durante seis anos e na Casa Civil. O último cargo público que ocupou foi na Corregedoria da Assembleia Legislativa.