Santin rejeita mandato de deputado por um mês

O prefeito de União da Vitória, Santin Roveda (PR), não vai aceitar o mandato de um mês na Assembleia Legislativ. Explica-se, Roveda ficou na quinta suplência em 2014 na coligação que elegeu os deputados estaduais Ratinho Junior, Guto Silva e Márcio Nunes – os três foram eleitos pelo PSC. Em 2018, Ratinho Junior (PSD) foi eleito governador e Guto Silva e Marcio Nunes foram reeleitos pelo PSD. Os mandatos legislativos acabam em 1º de fevereiro, Ratinho vai assumir o comando do Estado já em 1º de janeiro. Já Guto Silva e Márcio Nunes assumem secretarias no primeiro escalão.

Na linha de suplentes, o primeiro é Evandro Araújo (PSC), eleito deputado estadual em 2018, mas vai ocupar a vaga de Ratinho Junior por um mês. Em seguida, estão Toninho da Farmácia (PSC) e Berto Silva (PSC), respectivamente, prefeitos de São José dos Pinhais e Laranjeiras do Sul – que vão abrir de ocupar por um mês, as vagas de Guto Silva e Márcio Nunes. O quarto suplente, Luiz Corti, assumirá a vaga de Guto Silva.

Santin Roveda, o quinto suplente, ficaria na vaga de Marcio Nunes, mas também prefere ficar no comando da prefeitura de União da Vitória. “Evidente que vou abrir porque, junto com uma excelente equipe, fazemos um trabalho a altura que União da Vitória merece há tempos. Hoje, a cidade é um canteiro de obras e muito mais está por vir para garantir o bem estar e a qualidade de vida dos moradores”, disse.

A vaga, portanto, por um mês ficará com Chico da Princesa (na época no PR, hoje no PDT).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prefeito de Quedas do Iguaçu deixa a prisão, mas está proibido de ir a bares

Detido no sábado (22), por ter sido flagrado dirigindo embriagado após bater seu carro em uma moto em Guaratuba, no Litoral do Estado, o prefeito de Quedas do Iguaçu, Élcio Jaime (PSD), passou a noite na Delegacia de Polícia, mas hoje (23) foi libertado após pagar fiança.

O alvará de soltura emitido pela Justiça diz que se trata de liberdade apenas provisória, por hora, e o mais curioso: proíbe o prefeito de frequentar bares, boates e outros estabelecimentos do gênero pelo prazo de um ano. Além disso, diz que ele não poderá se ausentar da região de Quedas do Iguaçu por mais de oito dias consecutivos sem prévia autorização judicial.

Além de embriaguez ao volante, Élcio Jaime é investigado por lesão corporal culposa no trânsito, ameaça e desacato, pois de acordo com a Polícia Civil ele tentou coagir os agentes de trânsito que estiveram no local do acidente.

A Prefeitura de Quedas do Iguaçu, cidade do Sudoeste paranaense com quase 35 mil habitantes e distante pouco mais de 100 km de Cascavel, informou à imprensa que ele está de férias até 6 de fevereiro, e que o ocorrido foi possivelmente uma fatalidade. (Foto: Reprodução Facebook)

Datena permanece no União Brasil e está “a disposição para aquilo que o partido definir”