PRF prende traficante internacional russo de animais silvestres

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu na madrugada de hoje (18) um biólogo russo que fazia tráfico internacional de animais para fins científicos (biopirataria). A prisão ocorreu na BR-116, altura do município de Seropédica, no estado do Rio de Janeiro. A BR-116 tem início no município de Fortaleza (CE) e termina em Jaguarão (RS), na fronteira com o Uruguai.

O traficante internacional foi preso com cerca de 200 animais vivos, sendo 50 aracnídeos de espécies variadas, 80 besouros, 25 sapos e 20 lagartos. Os animais estavam na bagagem de mão do traficante. Segundo informou a PRF, o criminoso “não possuía passaporte original consigo, pois o documento já havia sido retido pela Polícia Federal em São Paulo, quando foi preso no início deste ano”. O homem confessou que levaria os animais para a Rússia, com finalidade de pesquisa.

Em São Paulo, na madrugada de 20 de janeiro, foi preso pela Polícia Federal o russo Kyrill Kravchenko, de 35 anos, no Aeroporto Internacional de Cumbica, quando passava pelo raio-X com destino a San Petersburgo, na Rússia, onde pretendia vender mais de 100 animais silvestres vivos, como lagartos e sapos de espécies diversas, aranhas e peixes, acondicionados em garrafas e potes de plástico.

A PRF, entretanto, não confirmou se trata do mesmo homem. A corporação tem por norma não informar a identificação de presos, de acordo com resposta enviada à Agência Brasil.

Diversidade

“Segundo o IBAMA [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis], ele é um conhecido traficante russo”, disse a PRF. A corporação destacou também que o Brasil é o país com maior diversidade biológica do planeta.

Os aracnídeos são um dos animais mais procurados pelo tráfico de animais silvestres e sua venda pode movimentar milhões de dólares por ano. “Isso porque compradores de diversas regiões do planeta se dispõem a pagar quantias bem altas por um único exemplar considerado raro, ou que tenha um atributo diferente dos demais”, explicou a PRF.

A ocorrência foi enquadrada na Lei de Crimes Ambientais e o traficante foi encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal, na Praça Mauá, região portuária. Os animais foram entregues ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), do Ibama, em Seropédica, para cumprimento dos devidos trâmites legais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sanepar inicia obras da Reserva Hídrica do Futuro para recuperação de 150 km de rios

A Sanepar está realizando uma série de ações que marcam a fase inicial da Reserva Hídrica do Futuro, projeto que prevê a recuperação de 150 quilômetros de rios e a formação de 1.800 hectares de parques entre a região da Serra do Mar e Porto Amazonas, nos Campos Gerais.

A empresa pública já retirou quase 100 mil metros cúbicos de vegetação aquática da Lagoa Corine e do canal de água limpa do Rio Iguaçu, em Piraquara, o que pode levar a um incremento de disponibilidade hídrica de até 20% ao sistema de tratamento de água do Iguaçu.

A limpeza do canal foi feita em uma extensão de 3,7 quilômetros, no trecho da captação até a ponte da Avenida Iraí. Em 112 mil metros quadrados, foram retirados 90 mil metros cúbicos de vegetação. Na Lagoa Corine, com área de 45 mil metros quadrados, a vegetação retirada somou 9 mil metros cúbicos. Os serviços se estendem ainda por um trecho de 2,4 km do canal de água limpa entre a ponte da Avenida Iraí até o Parque das Águas, em Pinhais.

“Em menos de um mês de execução do projeto, já obtivemos ótimos resultados, o que comprova a importância da Reserva Hídrica, que vai deixar um legado de abastecimento com água em maior quantidade e qualidade para as próximas gerações”, afirma o diretor-presidente da Companhia, Claudio Stabile.

No processo de limpeza, é utilizada uma máquina chamada de hidrotractor que faz o corte e o transporte da vegetação até a margem, de onde o material é retirado por uma escavadeira.

“A vegetação aquática retém a vazão que poderia ser aproveitada no abastecimento. A limpeza aumenta essa vazão, melhora o fluxo e a qualidade da água”, explica a gerente de Recursos Hídricos da Sanepar, Ester Amélia de Assis Mendes.

Na segunda quinzena deste mês de dezembro terá início o desassoreamento do canal e, no início do próximo ano, em janeiro, está programada a retirada de lixo das margens da Avenida Metropolitana, paralela à BR-277.

Dia nacional da Onça-pintada

O dia 29 de novembro é o Dia Nacional da Onça-pintada, espécie símbolo de conservação da biodiversidade no Brasil. A data é uma lembrança para a união de esforços em ações de divulgação sobre a importância ecológica, econômica e cultural deste felino.

A onça-pintada é o animal mais importante para o equilíbrio do ecossistema, sendo uma espécie-chave para a manutenção da biodiversidade e no topo da cadeia alimentar, considerada o maior carnívoro das Américas. Onde tem onça tem condição de vida adequada para os outros animais.

Nos últimos dez anos, Brasil e Argentina trabalharam juntos no monitoramento da população de onças-pintadas da região do parque com censos bianuais. Os esforços conjuntos de todos contribuíram para o crescimento do número de indivíduos na região.

Entre o Parque Nacional do Iguaçu (Brasil) e o Parque Nacional Iguazú (Argentina), a espécie saltou de uma população efetiva estimada em 50 indivíduos em 2008 para 90 indivíduos em 2016. O Projeto Onças do Iguaçu e o Proyecto Yaguareté (Argentina) trabalham em uma parceria produtiva pela conservação das onças-pintadas na região.

O registro de novas onças mostra a qualidade ambiental e o equilíbrio do ecossistema do Parque Nacional do Iguaçu. O desafio é grande e permanente para toda a sociedade. O envolvimento das comunidades e o trabalho de todas as instituições, com cooperação de pesquisa, engajamento e fiscalização, estão contribuindo pouco a pouco para a melhora do quadro.

Em celebração a data especial, nesta segunda-feira (29 de novembro), às 17 horas, o eterno amigo da onça, o pesquisador Peter Crawshaw, ganhará uma homenagem no Parque Nacional do Iguaçu. A antiga base de pesquisa do parque será batizada de Memorial Peter Crawshaw Jr. Peter, que morreu neste ano de 2021, foi o pioneiro no estudo das onças no Brasil e no parque. O resultado do seu trabalho até hoje orienta os esforços para a conservação das onças-pintadas no mundo.

Créditos fotografias: Emílio White e Guia de Convivência Onças do Iguaçu

Serviço
Dia Nacional da Onça-pintada
29 de novembro – Homenagem no Parque Nacional do Iguaçu às 17 horas.

Redes sociais
Instagram: instagram.com/cataratasdoiguacu/
Facebook: facebook.com/cataratasdoiguacu
Twitter: twitter.com/CataratasBrasil
Telegram: t.me/cataratasdoiguacu