Prefeitura de Maringá garante que não aplicou doses fora da validade

Prefeitura de Maringá nega uso de vacina vencida no município (Foto: Letícia Tristão/CBN Maringá)

Prefeitura de Maringá garante que não aplicou vacina vencida na população durante a campanha de imunização contra a covid-19. Segundo a administração municipal, um erro de transmissão de informações para a base de dados do SUS (Sistema Único de Saúde), informado duas vezes ao Ministério da Saúde, fez com a suspeita fosse levantada.

Reportagem do jornal Folha de S. Paulo, publicada nesta sexta-feira (2), com base nos registros do próprio Ministério da Saúde, apontou que 1.532 municípios poderiam ter aplicado mais de 26 mil doses de vacina vencida. A cidade de Maringá liderava a lista, com 3.536 doses fora do padrão.

Em coletiva de imprensa, nesta tarde, a Prefeitura de Maringá atribuiu a confusão a um “erro na transmissão de dados”. Segundo os gestores municipais, a data em que as informações foram digitadas no sistema foram tomadas como a data efetiva da aplicação. “No sistema do Ministério da Saúde aparece, de fato, essa contradição”, reconhece o secretário de Comunicação de Maringá, Marcos Cordioli.

ERRO FOI IDENTIFICADO EM MARINGÁ NO INÍCIO DE JUNHO

De acordo com a Prefeitura de Maringá, o Ministério da Saúde foi alertado, pelo menos, duas vezes sobre as inconsistências do sistema do SUS que compila os dados sobre a vacinação contra a covid-19. A Secretaria Municipal da Saúde pediu a correção das informações no dia 11 de junho.

“Nesta data foi solicitada a correção, junto a um pedido para que Ministério da Saúde entendesse onde estava o erro para não repeti-lo”, disse Cordioli.  “Quatro dias depois, como não tínhamos recebido ainda o retorno da pasta, enviamos uma nova comunicação ao ministério, solicitando essa solução”.

O secretário ainda tranquilizou a população, afirmando que “uma dose sequer” de vacina vencida foi aplicada em momento algum. “Em Maringá não existe perigo de vacinas fora prazo de validade vencido porque elas não ficam estocadas por um prazo suficientemente longo para perder a validade”, diz Cordioli.

Na coletiva de imprensa, nesta tarde, a Prefeitura de Maringá apresentou a data efetiva da aplicação das vacinas da AstraZeneca registradas sob os lotes suspeitos:

Lote 4120Z005 (prazo de validade: 14/04/2021), 5.130 doses

  • 4.000 doses no dia 24 de janeiro
  • 80 no dia 1° de fevereiro
  • 50 no dia 10 de fevereiro

Lote CTMAV520 (prazo de validade: 31/05/2021), 1.460 doses

  • 1.460 doses no dia 27 de março

É possível consultar o lote da vacina recebida na carteirinha de vacinação do SUS. Caso haja incompatibilidade da data com o prazo de validade informado pelo Ministério da Saúde, as autoridades sanitárias locais devem ser acionadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crianças de 6 a 11 anos sem comorbidades podem receber vacina contra covid na segunda-feira (24)

Agendamento já está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br); doses serão aplicadas em 10 unidades de saúde

A Secretaria Municipal de Saúde baixou, mais uma vez, a faixa etária do público-alvo da campanha de vacinação infantil contra a covid-19. Na segunda-feira (24) serão vacinadas as crianças de 6 a 11 anos sem comorbidades.

O agendamento está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br). Também seguem sendo imunizadas as crianças de 5 a 11 anos que possuem comorbidades ou deficiência permanente.

De quarta-feira (20), quando iniciou a vacinação infantil, a sábado (22), 2.158 crianças receberam a primeira dose contra a covid em Foz do Iguaçu.

“Assim como foi com a vacinação dos adultos e também a dos adolescentes, vamos baixando a faixa etária tão logo possível, para que a imunização das crianças também ocorra de forma célere”, ressalta a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônimo.

As doses serão aplicadas nas seguintes unidades de saúde: UBS São João, Sol de Maio, Vila Iolanda, Maracanã, Padre Monti, Profilurb II, Vila C Nova, AKLP, Portal da Foz e Campos do Iguaçu.

Documentação

Os pais devem portar documento pessoal com foto, além de documento (RG, CPF e cartão SUS) ou certidão de nascimento da criança, para comprovar o parentesco, e comprovante de endereço. Crianças que não estiverem com o pai e/ou mãe deverão apresentar autorização por escrito (o modelo está disponível no link https://vacinacao.pmfi.pr.gov.br/grupos.html?id_publicacao=726)

Para comprovar a comorbidade, os pais poderão levar exames ou laudos médicos que comprovem a condição.

PMFI

Itaipulândia adia ItaVerão e veta acampamentos no Balneário Jacutinga

O município de Itaipulândia elaborou um novo decreto a ser publicado na tarde desta sexta-feira (21), que irá trazer algumas medidas de combate à Covid-19: o adiamento do evento ItaVerão e um veto aos acampamentos no Balneário Jacutinga.

O objetivo é evitar aglomerações neste momento em que os casos de Coronavírus estão com alta contínua e evitar que variantes cheguem ao município.