Prefeitura de Curitiba vai arrecadar brinquedos para crianças em situação de risco social

A Prefeitura de Curitiba vai arrecadar brinquedos novos para doar a crianças em situação de risco atendidas pela Fundação de Ação Social (FAS), principalmente aquelas acolhidas por determinação da Justiça e que são matriculadas na rede municipal de ensino. As doações podem ser feitas até 10 de dezembro nas Ruas da Cidadania e nas lojas dos supermercados Condor. A expectativa é presentear aproximadamente 3.000 crianças de até 12 anos de idade.

Os brinquedos serão entregues em festas de Natal que serão realizadas nas dez regionais da cidade, em datas a serem definidas. Os eventos vão seguir os protocolos sanitários para evitar a contaminação pelo novo coronavírus.

Para a arrecadação, a Prefeitura pretende contar mais uma vez com a solidariedade dos empresários, comerciantes e da população curitibana. “Esperamos sensibilizar a todos para participar desta grande ação solidária. Depois de um período difícil, em função da covid-19, queremos transformar o Natal dessas crianças em um momento de felicidade e confraternização”, diz o presidente da FAS, Fabiano Vilaruel.

Onde doar

As doações podem ser feitas até 10 de dezembro, nas dez Ruas da Cidadania e nas lojas da rede de supermercados Condor.

Ruas da Cidadania
Bairro Novo – Rua Tijucas do Sul, 1700
Boa Vista – Avenida Paraná, 3.600
Carmo/Boqueirão – Avenida Marechal Floriano Peixoto, 8.430 (Praça Nossa Senhora do Carmo)
Cajuru – Avenida Prefeito Maurício Fruet, 2.150
CIC – Rua Manoel Waldomiro de Macedo, 2.470
Matriz – Praça Rui Barbosa, 101
Pinheirinho – Rua Winston Churchill, 2.033
Fazendinha/Portão – Rua Carlos Klemtz, 1.700
Santa Felicidade – Rua Santa Bertila Boscardin, 213
Tatuquara – Rua Olivardo Konoroski Bueno, s/n – esquina com a Rua Presidente João Goulart

Lojas Condor
Água Verde – Av. Água Verde, 860
Ahú – Av. Anita Garibaldi, 1729

Atuba – Av. Mal. Mascarenhas de Moraes, 312

Bigorrilho – Rua Martin Afonso, 2.800
Boa Vista – Rua Lodovico Geronazzo, 805
Boqueirão – Av. Marechal Floriano Peixoto, 7.486
Cajuru – Rua Natal, 1.155
Cidade Industrial – Rua João Dembinski, 1.410
Cidade Industrial – Rua João Bettega, 3.930
Cristo Rei – Rua Fioravante Dalla Stella, 66
Novo Mundo – Av. Brasília, 6.900
Novo Mundo – Rua Visconde do Serro Frio, 164
Pilarzinho – Rua Amauri Lange Silvério, 1.130
Pinheirinho – Av. Winston Churchill, 2.170
Santa Felicidade – Av. Manoel Ribas, 8.243
Santa Felicidade – Av. Ver. Toaldo Túlio, 3.650
Santa Quitéria – Rua João Alencar Guimarães, 2.126
São Francisco – Rua Nilo Peçanha, 1.000
Seminário – Rua Izaac Ferreira da Cruz, 3.868
Sítio Cercado – Rua Izaac Ferreira da Cruz, 3.868
Uberaba – Av. Comendador Franco, 6.005
Vila Guaíra – Av. Presidente Wenceslau Braz, 790
Xaxim – Rua Francisco Derosso, 3.300

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Filipe Barros anuncia pré-candidatura ao Governo do PR

arlamentar estará em Ponta Grossa nesta quinta-feira (27), se reunindo com lideranças da direita

O deputado federal do Paraná, Filipe Barros (PSL), anunciou sua pré-candidatura ao Governo do Paraná nas eleições deste ano. Ele é o quarto nome que se coloca à disposição para estar à frente do Estado. Parlamentar pela cidade de Londrina, Filipe estará em Ponta Grossa nesta quinta-feira (27), conversando com lideranças da direita – ele deve receber apoio do atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL).

Cumprindo seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados, Filipe já ocupou uma cadeira na Câmara Municipal de Londrina entre 2016 e 2018. Em entrevista para um blog de política paranaense, o pré-candidato disse que tenta polarizar uma disputa com o atual governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) – que deve tentar a reeleição. “O governador quer ter palanque para Moro, Lula e Bolsonaro. Não existe isso na política. O presidente Jair Bolsonaro me questionou se eu toparia sair como candidato a governador”, explicou.

Nos bastidores, Filipe Barros tem simpatia do líder do Governo Federal na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP), que pode indicar o vice na chapa de direita. Na entrevista, ele fez críticas ao atual governador. “Um dos piores, senão o pior governo da história do Paraná. Como um rato, ele se esconde. Ele não deixou legado no Estado”, ressaltou.

Apesar do anúncio, Filipe também chamou a atenção quando se colocou como candidato à Prefeitura de Londrina em 2020. Na ocasião, acabou recuando da decisão. O pré-candidato bolsonarista ao Governo do Estado também disse que deixará o Partido Social Liberal (PSL) – futuro União Brasil, com a junção com o Democratas. O União Brasil tem se aproximado do pré-candidato à presidência da República, Sergio Moro (Podemos).

Outros candidatos

Além de Filipe Barros, os outros nomes que devem concorrer para governador do Paraná são: Ratinho Junior (PSD), Cesar Silvestri Filho (PSDB) e Roberto Requião (sem partido).

Romanelli apoia ação do PSB em favor da vacina contra a covid

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta terça-feira, 25, a ação do seu partido que recorreu ao STF (Supremo Tribunal Federal) para anular a recente nota técnica do Ministério da Saúde para o uso de hidroxicloroquina contra a covid-19. O documento também desqualifica o potencial das vacinas para combater a doença.

“Está comprovado que as vacinas salvam vidas. Milhares de pessoas poderiam estar aqui entre nós hoje se a vacinação tivesse sido iniciada no tempo certo. Mas tem gênios no governo federal que não querem enxergar este fato. Chega a ser ridículo”, afirma Romanelli. “Não há evidência de que cloroquina e hidroxocloroquina tenham efeito sobre a doença”.

O PSB protocolou um pedido de liminar para a suspensão da nota técnica, sustentando que o medicamento é comprovadamente ineficaz, que a orientação do Ministério da Saúde desconsidera uma série de atos legais e infralegais e que a política de vacinação deve ser priorizada para combater a pandemia.

Investigação – O partido também pediu a suspensão dos efeitos de outras duas portarias e solicitou que o STF abra uma investigação administrativa e cível contra Hélio Angotti Neto, que assina o recente documento do Ministério da Saúde.

Na petição enviada ao Supremo, o PSB defende uma nova análise das Diretrizes Brasileiras para Tratamento Medicamentoso Ambulatorial do Paciente com Covid-19, formuladas pela Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias), “com amparo em critérios estritamente técnicos”.