Prefeito Chico Brasileiro destaca início da entrega das grandes obras em Foz

Ampliação da pista do aeroporto internacional, na quarta-feira (07), foi a primeira entrega de uma série de investimentos que irão transformar a cidade

O prefeito Chico Brasileiro disse nesta quinta-feira (8) que a ampliação da pista do aeroporto internacional marca o início da entrega das grandes obras em Foz do Iguaçu, o que deve ocorrer até o segundo semestre de 2022. “São investimentos que mostram o trabalho conjunto, o esforço e o grande empenho dos gestores públicos e do setor produtivo em transformar a nossa cidade num centro ainda maior de turismo e no principal entroncamento comercial do Mercosul”, disse Brasileiro, ao destacar ainda a “grande parceria com a Itaipu Binacional e os governos estadual e federal”.

Na quarta-feira, 7, o presidente Jair Bolsonaro e o governador Ratinho Junior entregaram a nova pista do aeroporto, ampliada em 600 metros, de 2.195m para 2.795m, o que permite ao terminal receber voos internacionais da América Central e EUA. O investimento foi de R$ 53,9 milhões, recursos da Itaipu e Infraero. Além da ampliação da pista, também foram entregues o novo pátio de manobras e a duplicação da via de acesso ao terminal.

“Ainda em 2020, tivemos a entrega da reforma completa do terminal do terminal do aeroporto. São mais de R$111 milhões em investimento, o maior que o aeroporto já recebeu em sua história para atender bem os turistas e visitantes em Foz do Iguaçu”, afirmou o prefeito.

Chico Brasileiro lembrou ainda que as obras da segunda ponte sobre o rio Paraná estão com 50% concluídas, seguem em ritmo acelerado, e serão entregues já no primeiro semestre de 2022. “É, com certeza, a maior obra pública do Paraná, e que significa um novo impulso no desenvolvimento econômico do Porto Meira e da cidade paraguaia de Presidente Franco”, disse o prefeito, em relação à obra custeada pela binacional em R$ 323,7 milhões.

Desenvolvimento

Outra obra importante, a Perimetral Leste, ligação de 15 quilômetros entre as BRs 277 e 469, já em execução, iniciou agora em abril a construção do viaduto no trevo do Carimã. “Só nesta etapa inicial são mais de 100 trabalhadores. Essa obra nos traz a perspectiva de crescimento de toda região leste de Foz do Iguaçu, abre uma série de oportunidades de investimentos imobiliários e de turismo. São mais de R$ 139 milhões em investimentos”.

Brasileiro cita ainda a duplicação dos oito quilômetros da Avenida das Cataratas (BR-469), entre o acesso do aeroporto ao portão do Parque Nacional do Iguaçu. “Essa obra de R$ 139 milhões, que começa nos próximos dias, inclui a construção de três viadutos e uma ponte sobre o rio Tamanduá e uma ciclovia por todo seu trecho”, disse.

Não somente grandes obras de infraestrutura, segundo Chico Brasileiro, tem a cidade. O Mercado Municipal na Vila A, já está com 65% das obras concluídas e entrou na fase final de execução. A entrega da obra será ainda este ano, mais um espaço para turismo e de compras na cidade. O investimento é de R$ 14,5 milhões.

A prefeitura também executa o maior conjunto de obras de drenagem na cidade, um investimento que ultrapassa a R$ 10 milhões. Só na canalização da bacia do Rio Mimbi, que vai acabar com os alagamentos no bairro Panorama, jardins São Paulo e São Luiz, o investimento chega a R$ 6 milhões,

Foz do Iguaçu tem ainda o maior programa de asfalto da sua história e um plano de habitação que está entregando mais de mil moradias até 2022. “Em Foz, levamos a máxima ao pé da letra: uma cidade só e boa para turista se é boa para seus moradores”, ressaltou o prefeito.

Mais obras

Chico Brasileiro destaca ainda os investimentos privados na cidade. Só na construção de um aquário de água doce, o grupo Cataratas vai investir R$ 100 milhões. “E o melhor: o aquário será centro de educação, pesquisa e conservação dos ecossistemas das bacias dos rios Paraná e Iguaçu”.

“Ainda nesta semana participei da inauguração da segunda de duty free na cidade. Em breve, serão inauguradas mais duas. Foz do Iguaçu caminha célere para ser um centro internacional de compras. O turista terá toda comodidade para a compra de produtos importados, dos mais variados tipos e marcas. Isso significa também mais empregos”, completou o prefeito.

Mesmo com a pandemia, o Sindicato da Habitação e dos Condomínios do Paraná (Secovi) registrou um aumento de demanda em locação e procura de imóveis para compra. Há ainda investimentos de incorporadoras em projetos de novas construções verticais e horizontais, acima da média dos últimos anos, para imóveis de 400 e 500 unidades e conjuntos de lojas de até 1,5 mil metros quadrados.

“As empresas querem se instalar em Foz do Iguaçu. Temos um contexto diferenciado em relação ao estado e o país. Foz do Iguaçu tem esse privilégio e isso faz com que acreditamos e confiamos no segmento imobiliário e que as coisas vão ficar cada dia melhor”, disse o presidente do Secovi, Jilson Pereira.

Link: https://www5.pmfi.pr.gov.br/noticia-47695

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Multinacional busca recém-formados para programa de trainee focado em diversidade; salário é de R$ 10 mil

Uma multinacional do ramo de alimentos está com inscrições abertas até 4 de fevereiro para programa de trainee focado em diversidade direcionando todas as vagas para minorias dos grupos LGBTQIA+, étnico-racial, pessoas com deficiência e mulheres.

O programa tem duração de 20 meses e ao final do processo seletivo os candidatos serão alocados em uma das cidades participantes que são: CuritibaSão Paulo ou Vitória de Santo AntãoO salário oferecido é de R$ 10 mil.

As inscrições podem ser feitas pelo site do processo seletivo. O início do programa está previsto para março deste ano. O número de vagas disponível não foi divulgado.

Foto: Prefeitura de Jundiaí/Divulgação

Itaipu sediará a primeira Conferência Global sobre Água e Energia em 2022

A Itaipu Binacional irá sediar a primeira Conferência Global sobre Água e Energia em 2022. A proposta foi anunciada e aprovada nesta quinta-feira (20), durante a 5ª Reunião do Conselho Consultivo da Parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia, entre a Itaipu e o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (Undesa). Por conta dos protocolos de enfrentamento da pandemia de covid-19, a data do evento ainda está por ser confirmada.
A reunião contou com a participação dos diretores gerais da Itaipu, general João Francisco Ferreira (Brasil) e Manuel María Cáceres Cardozo (Paraguai); dos embaixadores de ambos os países junto à ONU, Ronaldo Costa Filho e Julio César Arriola Ramírez; e representantes das diversas instituições que fazem parte da iniciativa.
O sub-secretário geral da ONU, Liu Zhenmin, enviou uma mensagem gravada em vídeo, em que agradeceu o apoio da Itaipu à iniciativa, e destacou realizações da parceria, como o anúncio dos Compromissos de Energia (Energy Compacts) durante o Fórum Político de Alto Nível, no último mês de setembro, e o evento realizado em parceria com a Undesa, durante a última Conferência do Clima (COP 26), em novembro, em Glasgow, na Escócia. “A Itaipu é um destacado líder global na implementação do Acordo de Paris e da Agenda 2030”, elogiou Zhenmin, ressaltando, também, a urgência de cooperação internacional para o cumprimento dessas agendas para reverter a crise climática.
A parceria entre Itaipu e Undesa teve início em 2018, com um plano trabalho de quatro anos. Apesar das limitações impostas pela pandemia, diversas metas foram atingidas, como: a criação da Rede Global de Soluções Sustentáveis em Água e Energia (que atualmente conta com 29 membros de todos os continentes); a implantação de uma plataforma para a disseminação de boas práticas na abordagem conjunta dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 6 (água) e 7 (energia); a produção de estudos de caso e relatórios; e a realização de seminários presenciais e webinars abordando diversos temas ligados a esses ODS.
Porém, em função da covid-19, a realização da conferência não foi possível. Assim, as instituições decidiram por estender a parceria neste ano de 2022, para a promoção do evento e de outras ações inicialmente previstas. A Conferência Global será realizada na Itaipu de forma binacional, com a participação de cerca de 300 pessoas de instituições de todo o mundo que trabalham com água e energia. A programação deverá incluir visitas de campo a projetos desenvolvidos pela Itaipu nas margens brasileira e paraguaia.
“Ao longo desses quatro anos, tivemos ações bem-sucedidas no compartilhamento de informações e boas práticas, que nos permitiram construir uma base que permitirá ações ainda mais efetivas ao longo de 2022, ampliando o alcance da Rede Global”, afirmou o diretor-geral brasileiro, general Ferreira. “A conferência será uma oportunidade para Itaipu reafirmar seu compromisso com o desenvolvimento sustentável na região e com a implementação da Agenda 2030 em parceria com organizações locais e internacionais”, completou o diretor-geral paraguaio, Manuel Cardozo.
Em suas mensagens, os embaixadores brasileiro e paraguaio destacaram o fato de Itaipu ser um projeto exitoso de cooperação binacional que, agora, contribui também no contexto multilateral da ONU, com ações efetivas na geração de energia limpa, e nos cuidados com o meio ambiente e com as pessoas. Também chamou a atenção dos diplomatas a expansão da rede global e os bons resultados alcançados apesar das restrições da pandemia.
A reunião do Conselho Consultivo da Parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia acontece anualmente para aprovação do plano de trabalho e recebimento de sugestões das instituições envolvidas. O evento desta quinta-feira, além das autoridades já nominadas, contou com a participação de Alexander Trepelkov, da Divisão para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Undesa; Haitian Lu, do escritório de Desenvolvimento de Capacidades da Undesa; Helena Felip Salazar, diretora-geral de Políticas Multilaterais, do Ministério de Relações Exteriores e coordenadora nacional da Comissão de ODS do Paraguai; Sheila Oparaocha, diretora executiva da Energia; Leena Srivastava, vice-diretora de Ciência da IIASA; Ricardo Andrade, diretor da Agência Nacional de Águas do Brasil; Manuel Menéndez Prieto, diretor-geral de Água do Ministério da Transição Ecológica da Espanha; María Haydée Jiménez, do Conselho Mundial de Energia; e Eddie Rich, diretor executivo da Associação Internacional de Hidroletricidade (IHA).

Saiba mais sobre a Rede Global:
https://www.un.org/en/waterenergynetwork

Imprensa de Itaipu
Foto: Sara Cheida/Itaipu.