Paraná recebe 234 mil vacinas contra a Covid-19; doses da Pfizer vão para os 399 municípios

Chegou no Paraná na manhã desta sexta-feira (18) um novo lote com 234.510 vacinas contra a Covid-19. São 143.910 doses do imunizante Comirnaty, produzido pela Pfizer/BioNtech, e 90.600 doses da Coronavac/Butantan. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), as vacinas serão destinadas aos grupos prioritários e população em geral acima de 40 anos. A remessa faz parte da 25ª pauta de distribuição do governo federal.

As vacinas da Pfizer/Comirnaty, destinadas para primeira dose (D1), serão encaminhadas para todos os municípios do Paraná. A decisão, de acordo com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, foi pactuada entre a Sesa e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems/PR). “Enviaremos as vacinas da Pfizer para todos os municípios que se sentirem aptos para armazenar e realizar a aplicação do imunizante”, afirmou o secretário.

As vacinas da farmacêutica norte-americana possuem instruções de operacionalização diferenciadas. Elas podem permanecer armazenadas por até 31 dias à temperatura de 2º a 8º C, desde que o transporte dos imunizantes seja realizado em até 12 horas, dentro da mesma temperatura.

Segundo o Plano Estadual de Vacinação, serão 95.115 doses para pessoas de 40 a 59 anos; 16.396 para trabalhadores da educação do ensino básico, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizante e EJA; 16.396 para trabalhadores do Ensino Superior; e 1.483 doses para trabalhadores da Assistência Social. O quantitativo inclui, ainda, a reserva de 10% que deve ser utilizada para perdas técnicas e físicas, falha no transporte ou quebra de frascos.

Das doses da Coronavac/Butantan, apenas metade será enviada para as 22 regionais de Saúde do Estado. Os imunizantes, que deverão ser utilizados como primeira dose, serão aplicados em gestantes e puérperas com ou sem comorbidades. As outras 45.300 doses ficarão armazenadas no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) e serão enviadas nos próximos 15 dias para aplicação da segunda dose.

Distribuição

As vacinas estão no Cemepar, onde são armazenadas, cadastradas e separadas, de maneira proporcional, conforme o Plano Nacional de Imunizações, para todos os 399 municípios das 22 Regionais de Saúde. As doses serão encaminhadas para as 22 regionais de Saúde para que possam ser aplicadas na população ainda neste final de semana.

O critério estabelecido pelo Ministério da Saúde para envio das vacinas considera a proporção de pessoas classificadas nos grupos prioritários, não a proporção de habitantes do Estado. Dessa forma, o Paraná segue a mesma orientação para a distribuição do quantitativo de doses recebidas.

“A descentralização das vacinas é feita em pactuação com o Cosems-PR. Juntos, trabalhamos para imunizar todos os paranaenses dos 399 municípios do Estado, sem exceção. Esse é o período mais duro da pandemia, não é momento para politicagem”, reforçou Beto Preto.

Os grupos prioritários, aqueles que são mais expostos ao vírus ou têm mais chances de desenvolverem casos graves da doença, correspondem a mais da metade da população vacinável. Conforme o Ministério da Saúde, o Paraná tem 8,8 milhões de pessoas com mais de 18 anos, que devem receber a vacina.

Calendário

Sobre o calendário de vacinação contra a Covid-19 para população geral acima de 18 anos, divulgado pelo Governo do Estado nesta semana, o secretário Beto Preto destacou que a expectativa leva em consideração a manutenção do cronograma do governo federal. “Trabalhamos com a média de envio de ao menos um lote de vacinas por semana ao Estado e também com base nos contratos assinados pelo Ministério da Saúde para a compra de mais doses”, disse.

Segundo o levantamento da Secretaria de Estado da Saúde, 3.804.025 paranaenses deste grupo devem tomar pelo menos a primeira dose do imunizante até 30 de setembro. “A previsão do governo federal é disponibilizar até setembro cerca de 140 milhões de doses aos Estados. O Paraná deverá ficar com 5% desse quantitativo, em torno de 7 milhões de imunizantes”, completou.

Vacinômetro

O Paraná vacinou até às 13h desta sexta-feira (18) 4.898.875 paranaenses, sendo 3.620.211 pessoas com a primeira dose e 1.278.664 com as duas. Os dados constam no Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em Foz do Iguaçu, 88% dos internados na UTI Covid não se vacinaram

Até esta quarta-feira (19), dos 60 leitos para atender pacientes com Covid-19, em Foz do Iguaçu, 40 estão ocupados. Destes, 25 são de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Do total de internados na UTI, 10 não se vacinaram contra a Covid, 12 estão com a dose de reforço atrasada e três estão totalmente imunizados. Somados, os não vacinados e os que não tomaram a dose de reforço, representam 88% dos internados em estado grave.

Ainda nesta quarta-feira, três mortes por Covid foram registrados em Foz do Iguaçu. Dois de pacientes que vieram do Paraguai já com a doença e um caso local de uma idosa de 85 anos, não vacinada.

O chefe da Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu, o enfermeiro Roberto Doldan, lembrou que das mortes pela doença no último mês de dezembro, 87% não eram vacinados ou não tinham esquema vacinal completo.

“Estamos vivendo um aumento de casos de Covid, juntamente com um surto de Influenza. Então, a probabilidade de se infectar é grande. A taxa de transmissão está em 3,9, quando o ideal é de menos de 1. (…) As pessoas com comorbidades e sem o esquema vacinal completo, são essas as pessoas expostas”, disse Doldan.

Itaipu investe R$ 2,7 milhões em melhorias no sistema penitenciário de Foz do Iguaçu

A Itaipu Binacional está investindo R$ 2.667.322,40 em melhorias no complexo penitenciário de Foz do Iguaçu. As obras utilizam parte da mão de obra dos próprios detentos, representando uma fonte de renda além da redução da pena pelos dias de serviço. O trabalho é feito pelas empresas Metrosul e Atlanta sob a coordenação da Divisão de Infraestrutura e Manutenção da Itaipu.

As obras foram iniciadas em outubro de 2021 e a entrega está prevista para abril de 2022. Elas são feitas em quatro unidades penais localizadas no Jardim Três Fronteiras, em Foz do Iguaçu, que, juntas, abrigam cerca de 2.600 apenados. A coordenação é do Departamento Penitenciário (DEPEN), órgão vinculado à Secretaria de Segurança Pública do Paraná, por meio da Coordenação Regional de Foz do Iguaçu.

O trabalho mais complexo é executado na Penitenciária Estadual de Foz do Iguaçu (PEF), onde está sendo construída uma muralha de 400 metros de comprimento e seis metros de altura, além de quatro novas guaritas de controle, com oito metros de altura, todas ligadas à muralha. A unidade penal abriga mais de mil pessoas. No total, cerca de 20 detentos trabalham na obra.

Ao lado da PEF, na Penitenciária Estadual de Foz do Iguaçu II (PEF II), que também abriga cerca de mil detentos, são feitas melhorias no sistema de segurança com a criação de uma nova central de monitoramento – CFTV, com câmeras e aparelhos televisivos, além do reforço no sistema de alarme.

Na Penitenciária Feminina de Foz do Iguaçu – Unidade de Progressão (PFF-UP), as obras incluem a construção de um novo centro administrativo, além de casa de apoio, enfermaria e reservatório de água. A unidade mantém 220 detentas em regime fechado, em cumprimento de pena. Em torno de oito pessoas trabalham nas obras.

Finalmente, na Cadeia Pública Laudemir Neves, que abriga 400 pessoas – quase em sua totalidade presos provisórios aguardando julgamento pelo Poder Judiciário, a melhoria é a construção de um novo reservatório de água. Em torno de seis apenados trabalham nas obras.

Gdia