Paraná investe R$ 780 milhões em infraestrutura escolar

O Estado investiu mais de R$ 780 milhões em 2018 para garantir a execução dos programas voltados às áreas de transporte e alimentação escolar para estudantes da rede estadual de ensino. Os recursos também foram destinados a obras de construção, reparo e de ampliação das escolas, além de equipamentos.

“Houve um grande investimento na área da educação para concretizar melhorarias na infraestrutura das escolas e assim assegurar as condições necessárias de aprendizagem para nossos alunos. Investir em educação é investir no cidadão”, destacou o diretor-presidente da Fundepar, José Roberto Ruiz.

ESCOLA 1000 – Em 2018 foram concluídas as últimas 667 obras do Programa Escola 1000, criado para acelerar a revitalização das escolas estaduais. O investimento do Governo foi de R$ 100 milhões divididos entre mil escolas estaduais de todas as regiões do Estado. Elas foram escolhidas pelos Núcleos Regionais de Educação de acordo com as prioridades e cada uma recebeu R$ 100 mil, recursos depositados em conta de Fundo Rotativo para o projeto de reformas. As melhorias foram definidas com participação de toda a comunidade escolar.

REPARO RÁPIDO – Por meio do Programa Reparo Rápido foram concluídas 151 obras em escolas estaduais de todo Paraná. Outras 103 intervenções serão finalizadas no início de 2019. O investimento é de R$ 52,1 milhões.

RETOMADA DE OBRAS – Outra importante ação foi a retomada de todas as obras de infraestrutura dos colégios estaduais que foram paralisadas em virtude das ações da Operação Quadro Negro. O investimento de R$ 38,5 milhões pelo Governo do Estado garante a continuidade dos projetos e contribuir com a melhora do ensino na rede estadual.

A retomada das obras é acompanhada pelo Ministério Público. Do total de 15 escolas, cinco já foram concluídas e já nos primeiros meses de 2019 serão entregues outras seis. Uma obra será feita em parceria com a Prefeitura de Campina Grande do Sul. Duas estão em fase de rescisão de contrato porque as empresas vencedoras das licitações não cumpriram as obrigações e haverá novo processo.

ALIMENTAÇÃO – Para garantir a qualidade das mais de 1,1 milhão de refeições diárias servidas nas escolas estaduais, em 2018 foram investidos quase R$ 135 milhões para a compra de alimentos não perecíveis, carnes e ovos, além de produtos vindos da agricultura familiar. Atualmente, 45% dos alimentos que chegam às escolas vêm da agricultura familiar.

TRANSPORTE – O Instituto Fundepar repassou para as prefeituras cerca de R$ 118 milhões por meio do Programa Estadual de Transporte Escolar, com o objetivo de garantir que em torno de 200 mil estudantes matriculados na rede estadual de ensino chegassem às escolas. Também foram adquiridos por meio de convênios 49 novos veículos destinados a 42 municípios para refoçar na frota escolar.

FUNDO ROTATIVO – Em 2018, os valores para o programa Fundo Rotativo dobraram, chegando a R$ 140 milhões em investimentos para atender as demandas diárias das escolas e contribuir para a qualidade de ensino. As escolas receberam R$ 80 milhões pela cota consumo, destinada à aquisição de materiais de limpeza, expediente, didático, esportivo, gás e lâmpadas, por exemplo. Outros R$ 32 milhões foram repassados em quatro cotas serviço. Os recursos devem ser usados para pequenos reparos, como a limpeza da caixa de água, instalação elétrica e hidráulica, entre outros serviços emergenciais. Mais de R$ 1,4 milhão foi transferido por cota extra para aquisição de material permanente.

COTA ESPECIAL – Por meio de cota especial as escolas receberam quase R$ 30 milhões, mais da metade destinada ao projeto Pintando nas Férias. Cada uma das 2,1 unidades da rede estadual recebeu, antes do início do recesso de julho deste ano, R$ 8 mil para aquisição de materiais de pintura e pequenos reparos. Pela cota especial foram repassados, ainda, mais de R$ 10 milhões para atender ações dos programas Conectados 2.0, Escola Conectada e o da merenda escolar.

TECNOLOGIA – O Programa Escola Conectada – executado pelo Instituto Fundepar em parceria com a Celepar e a Copel Telecom – investe R$ 150 milhões para compra de equipamentos e melhorias da rede de Internet das escolas. Na primeira fase, 721 escolas e 32 regionais de educação receberam novos computadores, notebooks, impressoras, projetores multimídia, laboratórios móveis e rede de internet sem fio. A segunda e terceira fases do programa estão em andamento. As entregas dos equipamentos ocorrem conforme a compra e logística da Fundepar.

As escolas também passam por melhorias da infraestrutura lógica e elétrica, formatação interativa e implantação de plataforma educacional. O investimento em cada unidade varia de R$ 140 mil a R$ 420 mil, dependendo do número de salas de aula. Também é destinada uma cota especial do Fundo Rotativo para melhoria da rede lógica das instituições. Os recursos, que variam de R$ 12 mil a R$ 15 mil, são depositados nas contas das escolas conforme cronograma existente.

TRANSFERÊNCIAS – Por meio de transferências voluntárias de recursos foram entregues laboratórios de informática, veículos adaptados e parques infantis adaptados e veículos a dezenas de Apaes. Os investimentos somam quase R$ 20 milhões em convênios.

EQUIPAMENTOS E MATERIAIS – Neste ano, a Fundepar adquiriu cadeiras, mesas, conjuntos escolares, balanças, fogões, freezeres, entre outros mais de 20 itens para serem distribuídos às 2,1 mil escolas estaduais. Foram destinados cerca de R$ 30 milhões para equipar as unidades. As entregas acontecem até os primeiros meses do ano que vem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

IFPR oferta mais de 2600 vagas para cursos superiores gratuitos

Encerra no dia 13 de janeiro o prazo de inscrições para o Processo Seletivo dos cursos superiores do IFPR. A inscrição custa R$ 50 e pode ser realizada na página do Processo Seletivo. No total, são ofertadas 2.637 vagas, distribuídas entre 20 campi do Instituto.

A seleção será realizada mediante provas presenciais no dia 06 de março de 2022.

Inscrições
As inscrições, no valor de R$ 50, podem ser realizadas até o dia 13 de janeiro, na página do Processo Seletivo.
Na hora de realizar a inscrição, é imprescindível que o candidato utilize o próprio CPF.

Cidades
Por meio deste processo seletivo, são ofertadas vagas em cursos de bacharelado, licenciatura e tecnologia nos seguintes campi do IFPR: Assis Chateaubriand, Campo Largo, Capanema, Cascavel, Colombo, Curitiba, Foz do Iguaçu, Irati, Ivaiporã, Jacarezinho, Jaguariaíva, Londrina, Palmas, Paranaguá, Paranavaí, Pinhais, Pitanga, Telêmaco Borba, Umuarama e União da Vitória.

Foto: divulgação

Investimento de R$ 5,5 milhões assegura modernização das unidades acadêmicas da Unioeste

O Governo do Estado liberou R$ 5,5 milhões para investimentos e despesas de custeio da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), no ano de 2022. Os recursos financeiros serão destinados à conservação e modernização dos câmpus da instituição de ensino superior, nas cidades de Cascavel, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Marechal Cândido Rondon e Toledo.

Desse montante, R$ 2,5 milhões serão investidos na aquisição de computadores e outros equipamentos e mobiliários, enquanto o restante, R$ 3 milhões, será destinado à manutenção das estruturas físicas e prediais das unidades acadêmicas, nas cinco cidades do oeste paranaense.

Para o reitor da Unioeste, Alexandre Webber, o apoio à educação superior é essencial no processo de desenvolvimento regional sustentável, com impacto positivo no crescimento das atividades produtivas locais. “O ensino superior desempenha papel relevante na produtividade local e na promoção de serviços. Por isso, é necessário fortalecer e ampliar as ações de ensino, pesquisa e extensão universitária”, afirma.

Entre várias iniciativas, os recursos serão aplicados na compra de equipamentos para o Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop), em Cascavel, e nas obras do ambulatório do Câmpus de Francisco Beltrão e do auditório do Câmpus de Toledo. Além disso, também serão adquiridos mobiliários, equipamentos de processamento de dados e aparelhos de ar-condicionado para os cinco campi e a Reitoria.

O aporte financeiro foi viabilizado com o apoio de emendas parlamentares estaduais e órgãos como a Superintendência Geral de Ciência Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa).

ECONOMIA – O subsídio também vai custear a aquisição de aparelhos telefônicos IP, cuja tecnologia utiliza protocolos de internet, convertendo os sinais analógicos de áudio em dados digitais, que podem ser transmitidos pela rede. O objetivo é reduzir os gastos com telefonia e implementar uma solução tecnológica, inovadora e de baixo custo na Unioeste.

As informações são de AEN