Operação da PF no Paraná mira acusados de fraudar auxílio emergencial

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (6) a Operação Parcela Infinita para combater suspeitas de fraudes no auxílio emergencial, benefício concedido pelo governo federal durante a pandemia de covid-19. Agentes da PF cumpriram dois mandados de busca e apreensão em Londrina (PR).

Desde maio, a PF investiga um grupo criminoso que teria feito saques fraudulentos do benefício. As investigações realizadas até o momento indicam que os acusados utilizaram os serviços da funcionária de uma lotérica, que também participava dos desvios. Na primeira fase da operação, duas pessoas pessoas foram presas em flagrante na cidade paranaense.

Os investigadores já identificaram saques irregulares nas contas de 13 beneficiários do auxílio. O prejuízo aos cofres públicos é de R$ 15 mil.

Segundo a corporação, as investigações continuam em busca da identificação de outros suspeitos que integram o grupo criminoso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mesmo com lucros astronômicos, bancos demitem

A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados tem audiência pública hoje para discutir o desempenho dos bancos no país. O deputado Júlio Cesar (PSD-PI) lembrou que em 2020 os cinco maiores bancos lucraram mais de R$ 79,3 bilhões, fecharam mais de 1.364 agências bancárias em todo país, reduzindo mais de 11 mil postos de trabalho.

Curitiba teve 60% menos voos em 2020; Foz, -65%

O impacto da pandemia da covid no setor aéreo em 2020 levou a uma queda de 60,9% no número de passageiros e de 52,9% no transporte de cargas em Curitiba na comparação com 2019. Os dados foram divulgados pelo IBGE e mostram ainda que a capital paranaense foi uma das cidades mais afetadas no país.

Ao longo do ano passado foram registrados 2,48 milhões de viajantes embarcando ou desembarcando em Curitiba, enquanto em 2019 foram 6,33 milhões. A redução, de 60,9%, foi a terceira maior registrada entre as principais cidades analisadas pelo estudo, atrás apenas de Uberlândia (-64,3%) e Foz do Iguaçu (-64%).