Na COP26, Curitiba fica no grupo das cidades com compromisso ousado na redução de emissões de carbono

Curitiba está entre as 1.049 cidades do mundo a confirmar um compromisso mais ousado em relação às emissões de carbono. O acordo faz parte da campanha Race to Zero (corrida para o zero, em tradução livre), que teve seu balanço divulgado nesta terça-feira (2/11) pela Rede de Cidades C40 na COP26, a 26ª Conferência das Nações Unidas para o Clima, em Glasgow, na Escócia.

As informações são do prefeito Eric Garcetti, de Los Angeles, ao passar a presidência da Rede C40 ao prefeito de Londres, Sadiq Khan. “Mais de mil cidades seguem unidas pelo histórico compromisso de fazer desta década uma ação exponencial em relação ao futuro”, disse.

Segundo novas estimativas das cidades, ações coletivas têm potencial de reduzir as emissões em pelo menos 1,4 gigatoneladas de carbono até 2030. O acordo prevê que a redução das emissões deva chegar à metade nos próximos nove anos e à neutralidade em 2050.

As 1.049 cidades e governos locais representam, segundo a C40, cerca de 722 milhões de pessoas. Além da capital paranaense, o Brasil tem, entre as signatárias, mais sete capitais: Rio de Janeiro, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo, Recife, Fortaleza e João Pessoa.

Como chegar lá

Curitiba lançou, no final de 2020, o Plano Municipal de Mitigação e Adaptação às Mudanças Climáticas de Curitiba (PlanClima), que consolida o compromisso da cidade com o enfrentamento às Mudanças Climáticas, com a melhoria da qualidade urbana e ambiental e com a qualidade de vida de seus habitantes. O material teve o apoio da C40 em sua elaboração.

O objetivo é tornar a cidade neutra em carbono, adaptada às mudanças climáticas e resiliente até 2050, alinhando-a às metas internacionais de enfrentamento do aquecimento global. A principal delas, do Acordo de Paris, é de conter o aumento da temperatura média global no limite dos 2°C, com esforços para que o aquecimento estabilize-se em torno de 1,5°C.

Com vocação ambiental, Curitiba já tem uma série de ações que visam a recuperação do ambiente urbano, a redução de emissões de gases e a mitigação dos efeitos das mudanças climáticas. Entre elas, destacam-se:

Amigo dos Rios e 100 Mil Árvores

Programas que promovem melhorias ambientais com a participação da comunidade e consistem, basicamente, na limpeza dos corpos hídricos e na recomposição da vegetação nativa.

Curitiba Mais Energia

O programa busca popularizar o uso da energia limpa na cidade. Já foi responsável pela implantação de painéis fotovoltaicos no Palácio 29 de Março e pelos projetos para instalação da Usina Solar do Caximba no aterro sanitário desativado, em terminais de ônibus e na rodoferroviária. Os projetos foram selecionados pelo C40, Cities Finance Facility, para apoio na elaboração. O Curitiba Mais Energia ainda conta ainda com painéis no Salão de Atos do Parque Barigui e com a CGH Nicolau Kluppel, que gera energia na queda d’água do Parque Barigui.

Gestão de Risco Climático Bairro Novo do Caximba

Com o financiamento de US$ 57 milhões da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), aborda principalmente a questão de adaptação e do aumento da resiliência urbana, com ações de relocação de famílias de áreas de risco, implantação de um dique para a contenção de cheias, reestruturação urbana e a construção de um parque linear.

Mobilidade urbana

A melhoria da infraestrutura de calçadas e cicloviária para promover a mobilidade ativa e a modernização do Inter 2 e do BRT Leste-Oeste, também são exemplos de projetos que reforçam a importância da redução de emissões de GEE provenientes dos combustíveis fósseis.

Segurança alimentar

Implantação de hortas comunitárias e da Fazenda Urbana, com seus respectivos Jardins de Mel, garantindo a população de abelhas sem ferrão para polinização, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional. Além de garantir alimentação de qualidade, reforça a infraestrutura verde da cidade com cultivos naturais.

Reserva Hídrica do Futuro

Projeto busca ampliar a capacidade de reservação de água para o consumo da população, com implantação de caixas d’água em comunidades que sofrem com os problemas do abastecimento e com a reservação hídrica nas áreas das cavas do Rio Iguaçu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Filipe Barros anuncia pré-candidatura ao Governo do PR

arlamentar estará em Ponta Grossa nesta quinta-feira (27), se reunindo com lideranças da direita

O deputado federal do Paraná, Filipe Barros (PSL), anunciou sua pré-candidatura ao Governo do Paraná nas eleições deste ano. Ele é o quarto nome que se coloca à disposição para estar à frente do Estado. Parlamentar pela cidade de Londrina, Filipe estará em Ponta Grossa nesta quinta-feira (27), conversando com lideranças da direita – ele deve receber apoio do atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL).

Cumprindo seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados, Filipe já ocupou uma cadeira na Câmara Municipal de Londrina entre 2016 e 2018. Em entrevista para um blog de política paranaense, o pré-candidato disse que tenta polarizar uma disputa com o atual governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) – que deve tentar a reeleição. “O governador quer ter palanque para Moro, Lula e Bolsonaro. Não existe isso na política. O presidente Jair Bolsonaro me questionou se eu toparia sair como candidato a governador”, explicou.

Nos bastidores, Filipe Barros tem simpatia do líder do Governo Federal na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP), que pode indicar o vice na chapa de direita. Na entrevista, ele fez críticas ao atual governador. “Um dos piores, senão o pior governo da história do Paraná. Como um rato, ele se esconde. Ele não deixou legado no Estado”, ressaltou.

Apesar do anúncio, Filipe também chamou a atenção quando se colocou como candidato à Prefeitura de Londrina em 2020. Na ocasião, acabou recuando da decisão. O pré-candidato bolsonarista ao Governo do Estado também disse que deixará o Partido Social Liberal (PSL) – futuro União Brasil, com a junção com o Democratas. O União Brasil tem se aproximado do pré-candidato à presidência da República, Sergio Moro (Podemos).

Outros candidatos

Além de Filipe Barros, os outros nomes que devem concorrer para governador do Paraná são: Ratinho Junior (PSD), Cesar Silvestri Filho (PSDB) e Roberto Requião (sem partido).

Romanelli apoia ação do PSB em favor da vacina contra a covid

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) destacou nesta terça-feira, 25, a ação do seu partido que recorreu ao STF (Supremo Tribunal Federal) para anular a recente nota técnica do Ministério da Saúde para o uso de hidroxicloroquina contra a covid-19. O documento também desqualifica o potencial das vacinas para combater a doença.

“Está comprovado que as vacinas salvam vidas. Milhares de pessoas poderiam estar aqui entre nós hoje se a vacinação tivesse sido iniciada no tempo certo. Mas tem gênios no governo federal que não querem enxergar este fato. Chega a ser ridículo”, afirma Romanelli. “Não há evidência de que cloroquina e hidroxocloroquina tenham efeito sobre a doença”.

O PSB protocolou um pedido de liminar para a suspensão da nota técnica, sustentando que o medicamento é comprovadamente ineficaz, que a orientação do Ministério da Saúde desconsidera uma série de atos legais e infralegais e que a política de vacinação deve ser priorizada para combater a pandemia.

Investigação – O partido também pediu a suspensão dos efeitos de outras duas portarias e solicitou que o STF abra uma investigação administrativa e cível contra Hélio Angotti Neto, que assina o recente documento do Ministério da Saúde.

Na petição enviada ao Supremo, o PSB defende uma nova análise das Diretrizes Brasileiras para Tratamento Medicamentoso Ambulatorial do Paciente com Covid-19, formuladas pela Conitec (Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias), “com amparo em critérios estritamente técnicos”.