Montanhista testa positivo para COVID-19 no acampamento-base do Everest

Um montanhista norueguês se tornou a primeira pessoa a testar positivo para o coronavírus no acampamento-base do Everest, no Nepal, e foi transferido em helicóptero para Catmandu, onde foi hospitalizado.

O montanhista Erlend Ness contou nesta sexta-feira (23), em uma mensagem à agência de notícias Associated Press, que testou positivo para o coronavírus no dia 15 de abril. No entanto, o escalador assinalou que realizou outro teste ontem (22), que deu negativo, e que agora ele está junto de um família no Nepal, após receber alta do hospital em Catmandu.

Para minha família, amigos e seguidores, estou deixando hoje [quinta-feira, 22 de abril] o hospital. Me sinto bem e estou ansioso para ir para a casa de Dorjis e Tashis agora. Muito obrigado a todos pelo apoio.

Em entrevista à emissora norueguesa NRK na última quarta-feira (21), Ness afirmou que sentiu perda de energia após fazer uma escalada de aclimatação no monte Kala Pattar, de 5.600 metros de altitude.

“Fiquei três dias deitado em uma barraca no acampamento-base com suprimento de oxigênio. O coronavírus também desencadeou uma diarreia. […] Agora estou no hospital com diagnóstico de edema pulmonar”, contou o montanhista natural da cidade de Trondheim à NRK.

Em entrevista à agência AP, o guia austríaco Lukas Furtenbach, que lidera uma expedição de montanhismo com 18 pessoas, alertou que se não forem tomadas medidas de segurança adicionais, o vírus poderia se disseminar entre centenas de pessoas – montanhistas, guias e assistentes – que, neste momento, estão acampados na base da montanha mais alta do mundo.

“Precisamos agora, de forma urgente, testar massivamente no acampamento-base, com todos sendo testados e com cada equipe mantendo o isolamento, sem contatos entre eles […] Isso precisa ser feito agora, senão será tarde de mais”, afirmou o guia de montanha.

Além disso, Furtenbach, cujo grupo planeja escalar o Everest e o Lhotse – a quarta montanha mais alta do mundo -, disse que poderia haver mais casos na montanha, pois o norueguês manteve contato com diversas pessoas por semanas.

Qualquer surto no Everest pode encerrar prematuramente a temporada de escalada na montanha, pouco antes de um janela de tempo favorável, que está prevista para maio, disse o guia à AP. 

Por outro lado, a porta-voz do departamento de turismo do Nepal, Mira Acharya, negou em comunicado a existência de qualquer caso ativo nas montanhas neste momento.

“Uma pessoa foi evacuada em 15 de abril, mas nós fomos informados de que ele está com pneumonia e foi colocado em isolamento. Isso é tudo o que sabemos”, diz a nota, citada pela AP.

com informações da Agência Sputink

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba teve 60% menos voos em 2020; Foz, -65%

O impacto da pandemia da covid no setor aéreo em 2020 levou a uma queda de 60,9% no número de passageiros e de 52,9% no transporte de cargas em Curitiba na comparação com 2019. Os dados foram divulgados pelo IBGE e mostram ainda que a capital paranaense foi uma das cidades mais afetadas no país.

Ao longo do ano passado foram registrados 2,48 milhões de viajantes embarcando ou desembarcando em Curitiba, enquanto em 2019 foram 6,33 milhões. A redução, de 60,9%, foi a terceira maior registrada entre as principais cidades analisadas pelo estudo, atrás apenas de Uberlândia (-64,3%) e Foz do Iguaçu (-64%).

Pastor antivacina morre após ser hospitalizado por Covid-19

O pastor americano Marcus Lamb, conhecido por suas pregações contra as vacinas da Covid19, morreu depois de ser hospitalizado com Covid-19, anunciou sua família ontem, segundo informações da CNN. Marcus costumava se manifestar contra as vacinas em seu programa televiso. Em um episódio no início deste ano com os ativistas antivacinas Robert F. Kennedy Jr. e Del Bigtree, Lamb disse que a vacina Covid-19 “não era realmente uma vacina”, mas uma “injeção experimental” que era “perigosa. Marcus Lamb alegou que pessoas estavam morrendo ou tendo distúrbios neurológicos por causa da vacina.

Sua esposa, Joni Lamb, anunciou a morte. Segundo ela, seu marido tinha diabetes, mas era saudável e foi hospitalizado após ser diagnosticado com Covid-19. “Ele nunca falava sobre isso, mas tinha diabetes, mas controlava. Ele era muito saudável, comia saudável, mantinha o peso baixo e sempre mantinha o açúcar em bom nível. Mas tentando tratar Covid e a pneumonia, os diferentes protocolos usados, incluindo muitos dos protocolos de que falamos aqui no Daystar, e usamos esses, e eu os usei e passei por Covid.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA afirmam que as vacinas da Covid-19 “são seguras e eficazes” e que quaisquer eventos adversos após a vacinação “são raros, mas podem ocorrer”. Pessoas que não foram vacinadas contra Covid-19 tinham 11 vezes mais chances de morrer da doença e 10 vezes mais chances de serem hospitalizadas com a doença, de acordo com um estudo publicado pelo CDC.