Militar que acusou Haddad por kit gay é condenado a 12 anos por distribuir pornografia infantil

O Militar que fazia o tipo ‘dono da moral e bons costumes’ ao estilo conservador, é apontado como um dos 100 maiores distribuidores de pornografia infantil pela internet no mundo. Foto- Crédito: Reprodução Redes Sociais

Jorge Antonio Batalino Riguette, de 67 anos, militar da reserva listado pelo FBI como um dos maiores divulgadores de pornografia infantil do mundo está atrás das grades. Riguette fazia o tipo ‘dono da moral e bons costumes’ ao estilo conservador.

Conforme o DCM, Riguette morava sozinho e prestava serviços como analista de informática. Ele quis entrar na política e foi candidato a vereador pelo DEM, em 2008, no município de Trajano de Moraes (RJ).

Com ajuda do FBI, a Polícia Federal encontrou mais de 1,2 milhão de imagens em arquivos de Jorge, entre vídeos e fotos de crianças em cenas de exploração sexual.

“É um homem extremamente perigoso, uma vez que há anos tem interesse sexual por crianças”, explicou na época a delegada federal Paula Mary, da Delegacia Institucional da PF no Rio de Janeiro.

Em seus perfis nas redes sociais, Riguette dizia temer supostos avanços do ‘kit gay’ nas escolas e mostrava-se defensor da ditadura militar. Suas últimas postagens em modo público no Facebook antes de ser preso trazem notícias e montagens a favor do presidente Jair Bolsonaro .

Em uma delas, pede aos amigos que compartilhem um vídeo contendo informações falsas sobre o ‘kit gay’. “Haddad implanta o kit gay nas escolas, e Bolsonaro luta contra isso. Ajudem a compartilhar muito esse vídeo”, escreveu.

Além de integrar o ranking do FBI, Riguette ainda desenvolveu um software que catalogava os arquivos pornográficos por preferências sexuais. 

Riguette era apontado com um dos 100 maiores distribuidores de pornografia infantil pela internet no mundo e foi condenado a 12 anos e 11 meses de prisão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Lula continua na frente de Bolsonaro em nova pesquisa eleitoral

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conta com a preferência de 45% do eleitorado contra 23% do presidente Jair Bolsonaro (PL). Os números são da pesquisa do Instituto Quaest para a Genial Investimentos  divulgada nesta quarta-feira (12). Os percentuais correspondem às intenções de voto em um levantamento estimulado, isto é, quando são listados os nomes de possíveis candidatos.

A pesquisa mostra o candidato do PT com chance de vencer as eleições presidenciais no primeiro turno. Com relação à rodada anterior, porém, Lula caiu dois pontos. Tinha 47% em dezembro. O mesmo aconteceu com o presidente Bolsonaro. Ele tinha 25% e caiu para 23%.

Dentro do cenário estimulado, o ex-juiz federal e ex-ministro Sergio Moro

(Podemos) aparece com 9% das intenções de voto; Ciro Gomes (PDT) com 5%; o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), com 3%.

Nas simulações de segundo turno, Lula vence de todos os demais candidatos. Contra Bolsonaro, teria 54% contra 30%. Contra Moro, seria 50% a 30%. Contra Ciro, 52% a 21%. Com Doria, 55% a 15%. Numa disputa com o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, 57% a 14%.

Indecisos  – Na sondagem espontânea, quando não são apresentados nomes de candidatos aos entrevistados, o percentual de indecisos sobe para 52%.

Ainda na sondagem espontânea de intenções para presidente, o percentual de pessoas que afirmaram que votariam em Lula cai para 27%, mas ele segue à frente de Bolsonaro que registrou 16% das menções.

Além deles, os únicos a pontuar foram Sérgio Moro e Ciro Gomes, ambos com 1% das intenções de voto.

Foram ouvidas duas mil pessoas, de 6 a 9 de janeiro, e a margem de erro é de dois pontos percentuais. O nível de confiabilidade é de 95%. A pesquisa foi registrada sob o número BR-00075/2022 na Justiça Eleitoral.

Batoré, ator e humorista, morre em São Paulo

Ivanildo Gomes Nogueira, o Batoré, estava com câncer. Ele fez o papel do delegado Queiroz na novela ‘Velho Chico’, da Rede Globo.

O ator e humorista Ivanildo Gomes Nogueira, de 61 anos, conhecido como Batoré, morreu nesta segunda-feira (10), em São Paulo. Ele estava com câncer.

Batoré morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Pirituba, Zona Norte da capital. “As informações médicas foram repassadas à família e a Secretaria Municipal de Saúde lamenta o ocorrido”, diz nota da Prefeitura.

Ivanildo nasceu em Serra Talhada, em Pernambuco, e se mudou para São Paulo ainda criança. Antes de se tornar ator, jogou futebol nas categorias de base em times paulistas.

Continue lendo em G1 Globo

Foto: reprodução