Maior parque privado de geração eólica do Paraná deve iniciar instalação em 2019

Será construído no Sudoeste paranaense um dos maiores parques privados de geração de energia elétrica por fonte renovável do Sul do país. O Complexo Eólico de Palmas II recebeu autorização prévia concedida pelo Instituto Ambiental do Paraná e pode iniciar a fase de licenciamento para a instalação e operação. Composto por oito usinas em 16 mil hectares (área equivalente a meia Curitiba), o novo parque terá potência projetada para cerca de 160 Megawatts, 64 vezes superior à pioneira Usina Elétrica de Palmas, que integra o parque gerador da Copel e está em operação desde 1999. As informações são de Cristina Seciuk na Gazeta do Povo.

A escolha da área para a instalação do complexo considerou a análise de estudos oficiais como os Atlas Eólicos do Estado do Paraná e do Brasil além de medições próprias que começaram a ser realizadas em 2009 pela dona do empreendimento, a Enerbios Consultoria em Energias Renováveis e Meio Ambiente. De acordo com o engenheiro e presidente da empresa, Ivo Pugnaloni, a vizinha pública Palmas I obtém resultados satisfatórios há 20 anos, mas tem torres de 47 metros, consideradas muito baixas e limitadoras da capacidade de geração.

“É uma jazida de vento em desenvolvimento que foi subestimada devido à baixa altura das torres instaladas até aqui. É uma região de 1.250 metros [acima do nível do mar], a altura de torres não pode ser similar à beira de praia, as aplicações devem ser diferentes”, avalia. “Nosso rotor deve ter 140 metros no parque piloto; é a nossa meta, mas podemos chegar a 160 alcançando fatores de capacidade similares ao Nordeste”, afirma o representante da empresa, que destaca a inovação com uso das torres mais altas empregadas no país. Pugnaloni completa afirmando que quando empreendimentos dessa natureza são instalados em platôs, no interior do continente, a elevação é essencial para conseguir uniformidade dos ventos e ampliar a geração. “Experiências em outros parques demonstram que diferenças de 20, 30, 40 metros podem aumentar a produção em mais de 20%”, destaca.

Segundo o presidente da Enerbios, o cronograma de instalação e operação estabelecido para o Complexo de Palmas II prevê as instalações iniciais já entre maio e junho de 2019 e a expectativa é para o início da completa operação comercial em janeiro de 2023. A energia gerada deve ser oferecida no mercado livre ou de curto prazo.

Cenário vantajoso
Além de apostar na altura, Palmas II tem ainda a vantagem de proximidade com a chamada rede básica de transmissão do Sistema Interligado Nacional. Distante apenas 30 quilômetros de uma subestação da Copel, o complexo pode levar vantagem quando o assunto é perda de energia em oposição ao que acontece com os parques eólicos do Nordeste, com distâncias que ultrapassam os três mil quilômetros. “ É uma grande diferença quando se pensa na energia que se perderá na transmissão. As nossas perdas tendem a ser a centésima parte do que ocorre na geração vinda do Nordeste. Podemos até gerar menos, mas o balanço econômico tende a ser mais favorável”, avalia o presidente da empresa responsável pelo futuro complexo.

Os investimentos previstos são da ordem de R$ 1 bilhão. Para conseguir o licenciamento definitivo, o Complexo Eólico Palmas II terá que atender a 29 condicionantes previstas na Licença Ambiental Prévia, consideradas adequadas pela empresa, que não acredita em dificuldades para o atendimento das exigências do IAP.

Localizada no município de Palmas, divisa com o estado de Santa Catarina, a área – arrendada a 50 produtores rurais – será aproveitada também para a manutenção, em paralelo, de práticas agrícolas como lavoura, pastagem e reflorestamento. Com a emissão da autorização inicial, ficam proibidas construções, terraplanagem ou desmatamento no local.”

link matéria
https://www.gazetadopovo.com.br/politica/parana/maior-parque-privado-de-geracao-eolica-do-parana-deve-iniciar-instalacao-em-2019-6itwa2fv65n4sif4xwuovht3i/
.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PDT admite que “palanque duplo” com Lula será inevitável

Chefes do PDT presentes na convenção que lançará oficialmente Ciro Gomes como pré-candidato à Presidência da República já admitem que a sigla terá vários “palanques duplos”. Ou seja, candidatos que dividirão apoio entre o escolhido pedetista e Lula, o favorito até o momento para as eleições de 2022.

O principal nome da sigla que deverá estar em palanques de Ciro e Lula é o senador Weverton Rocha (MA). Ele deverá ser candidato ao governo do Maranhão e terá permissão da direção da legenda para estar ao lado do candidato do PT.

Leia mais em Metrópoles

Secretaria de Turismo leva marca do Destino Iguaçu para feira de turismo em Madri, na Espanha

Além de estreitar laços com o mercado europeu, a participação no evento visa apresentar Foz como um destino cada vez mais diversificado e preparado

A Secretaria Municipal de Turismo e Projetos Estratégicos retomou as ações de promoção internacional do Destino Iguaçu em 2022. A pasta está representando o turismo de Foz do Iguaçu na Feira Internacional de Turismo de Madri (Fitur), na Espanha, que começou no último dia 19 e vai até 23 de janeiro.

O Destino Foz do Iguaçu é coexpositor no estande do Brasil, desenvolvido e organizado pela Embratur. A servidora Célia Andrade é a encarregada de apresentar os atrativos da cidade e destacar como Foz mantém um protocolo seguro contra o coronavírus, com todas as medidas necessárias sendo adotadas.

Outro importante objetivo é retomar e atualizar a rede de contatos, aproximando Foz do Iguaçu dos compradores internacionais de turismo da Europa. A cidade também conta com Eduardo Prinz, representante do Visit, que busca também fortalecer e potencializar as ações da gestão integrada do turismo de Foz do Iguaçu.

Os contatos durante o evento atendem diversas demandas do mercado, principalmente ao de atualizações junto aos DMCs (operadoras) no estande do Brasil, buscando informações e atualização. Um dos exemplos são os procedimentos de fronteira e trânsito de turistas entre Brasil e Argentina, atualização sobre novos atrativos, restaurantes, estrutura, serviços turísticos, documentação e atestados sanitários necessários para a entrada no Brasil, bem como informações gerais a respeito da recuperação do turismo nos dias atuais.

A Fitur abre o calendário anual de feiras de turismo no mundo, com 69 mil m² de exposição, distribuídos em sete pavilhões. A capital espanhola também é a sede da Organização Mundial de Turismo.

Parcerias europeias

Durante os dois primeiros dias de evento, além dos atendimentos do estande, Foz do Iguaçu teve a oportunidade de capacitar agentes de viagem, ao realizar uma apresentação do Destino Iguaçu.

Também pôde estabelecer diálogo com o departamento de marketing da Embaixada do Brasil em Madrid, com a finalidade de oportunizar disseminação de Informações pelos canais oficiais e fortalecer o relacionamento com a Embaixada, para atuar em futuras ações de promoção em parceria.

O secretário de Turismo e Projetos Estratégicos, Paulo Angeli, conta que a participação de Foz neste evento é essencial para que a cidade se posicione como um destino turístico mundial.

“Mesmo enfrentando uma nova onda de casos de Covid no país, seguimos todos os protocolos sanitários necessários e incentivamos a vacinação em massa. A participação de Foz do Iguaçu na feira em Madrid faz parte de uma avaliação da pasta, para termos um retorno positivo para o turismo da cidade”, ressalta Angeli.