Maestro paranaense Waltel Branco morre aos 89 anos

Waltel Branco, um dos grandes nomes da música nacional, morreu no último dia 28 de novembro, no Rio de Janeiro, aos 89 anos de idade. Entretanto, a notícia só foi divulgada hoje pela filha, com quem morava no Rio de Janeiro há pouco mais de um ano. As informações são de Fábio Campana.

Waltel Branco é nome insuperável.

É desses pra quem a gente desfila adjetivos sem capacidade de descrever o florir de sua música, lugar em que o extraordinário se torna frequente.

Na sua arte viajamos até a outra margem da realidade, vamos parar lá na outra fronteira, um pé no inacreditável, na contemplação do infinito, nas mais profundas razões que vêm de dentro para se espalharem, transbordantes, pela vida de quem tem a sorte dos ouvidos de ouvir.

É tarefa penosa, principalmente agora que Waltel se cansou das coisas daqui parar voar por outros lugares, pinçar grandes momentos de sua biografia. Eles são muitos e preenchem páginas imensas. Estão todos a figurar os volumes que documentam a história da música moderna – do Brasil e do estrangeiro.

Por aqui gostamos de afirmar sua condição de paranaense; ilusão ufanista, Waltel era um homem do mundo.

E para falar bem a verdade, o estado foi um tanto mesquinho com ele, como vez ou outra faz com grandes nomes, mas na colheita gosta de estufar o peito e chama-lo de seu. Waltel, ainda bem, superou a geografia.

Teve o ponto de partida em Paranaguá, mas compôs quilometragem abundante em suas andanças pelo mapa: Bossa Nova, Jazz, Choro, boa parte no Popular e boa parte no Erudito.

E tudo isso misturado a passeios pela XV, papos furados no Maneko’s, conversas nos bares, sempre com um sorriso no rosto e a fala mansa para boa conversa deste e de outros tempos.

As cordas do maestro, do arranjador, do compositor e do instrumentista saem do final do arco-íris e se colocam, tesouro à nossa disposição e desfrute, nos discos dele e de outros.

É fácil encontrar Waltel: de Cazuza a Henry Macini, de Tim Maia a João Gilberto, de Alceu Valença a Odair José, ele está presente. Mas é preciso transcendência para entendê-lo.

link nota
https://www.fabiocampana.com.br/2018/12/maestro-paranaense-waltel-branco-morre-aos-89-anos/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PDT admite que “palanque duplo” com Lula será inevitável

Chefes do PDT presentes na convenção que lançará oficialmente Ciro Gomes como pré-candidato à Presidência da República já admitem que a sigla terá vários “palanques duplos”. Ou seja, candidatos que dividirão apoio entre o escolhido pedetista e Lula, o favorito até o momento para as eleições de 2022.

O principal nome da sigla que deverá estar em palanques de Ciro e Lula é o senador Weverton Rocha (MA). Ele deverá ser candidato ao governo do Maranhão e terá permissão da direção da legenda para estar ao lado do candidato do PT.

Leia mais em Metrópoles

Secretaria de Turismo leva marca do Destino Iguaçu para feira de turismo em Madri, na Espanha

Além de estreitar laços com o mercado europeu, a participação no evento visa apresentar Foz como um destino cada vez mais diversificado e preparado

A Secretaria Municipal de Turismo e Projetos Estratégicos retomou as ações de promoção internacional do Destino Iguaçu em 2022. A pasta está representando o turismo de Foz do Iguaçu na Feira Internacional de Turismo de Madri (Fitur), na Espanha, que começou no último dia 19 e vai até 23 de janeiro.

O Destino Foz do Iguaçu é coexpositor no estande do Brasil, desenvolvido e organizado pela Embratur. A servidora Célia Andrade é a encarregada de apresentar os atrativos da cidade e destacar como Foz mantém um protocolo seguro contra o coronavírus, com todas as medidas necessárias sendo adotadas.

Outro importante objetivo é retomar e atualizar a rede de contatos, aproximando Foz do Iguaçu dos compradores internacionais de turismo da Europa. A cidade também conta com Eduardo Prinz, representante do Visit, que busca também fortalecer e potencializar as ações da gestão integrada do turismo de Foz do Iguaçu.

Os contatos durante o evento atendem diversas demandas do mercado, principalmente ao de atualizações junto aos DMCs (operadoras) no estande do Brasil, buscando informações e atualização. Um dos exemplos são os procedimentos de fronteira e trânsito de turistas entre Brasil e Argentina, atualização sobre novos atrativos, restaurantes, estrutura, serviços turísticos, documentação e atestados sanitários necessários para a entrada no Brasil, bem como informações gerais a respeito da recuperação do turismo nos dias atuais.

A Fitur abre o calendário anual de feiras de turismo no mundo, com 69 mil m² de exposição, distribuídos em sete pavilhões. A capital espanhola também é a sede da Organização Mundial de Turismo.

Parcerias europeias

Durante os dois primeiros dias de evento, além dos atendimentos do estande, Foz do Iguaçu teve a oportunidade de capacitar agentes de viagem, ao realizar uma apresentação do Destino Iguaçu.

Também pôde estabelecer diálogo com o departamento de marketing da Embaixada do Brasil em Madrid, com a finalidade de oportunizar disseminação de Informações pelos canais oficiais e fortalecer o relacionamento com a Embaixada, para atuar em futuras ações de promoção em parceria.

O secretário de Turismo e Projetos Estratégicos, Paulo Angeli, conta que a participação de Foz neste evento é essencial para que a cidade se posicione como um destino turístico mundial.

“Mesmo enfrentando uma nova onda de casos de Covid no país, seguimos todos os protocolos sanitários necessários e incentivamos a vacinação em massa. A participação de Foz do Iguaçu na feira em Madrid faz parte de uma avaliação da pasta, para termos um retorno positivo para o turismo da cidade”, ressalta Angeli.