Lula diz para Bolsonaro parar ‘de ser chucro e estúpido’ em provocação sobre as eleições de 2022

 

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva usou o Twitter para provocar o atual presidente Jair Bolsonaro. No post, Lula aposta que Bolsonaro não será o mais votado pelos brasileiros em 2022.

Luiz Inácio Lula da Silva, que comandou o Brasil entre 2003 e 2011, usou sua conta no Twitter, nesta terça-feira (20) para enviar um recado ao atual presidente Jair Messias Bolsonaro. Além de ofender Bolsonaro de “chucro” e “estúpido”, Lula ainda afirma em sua mensagem que o atual presidente não será reeleito pelos brasileiros em 2022.

Em outro tweet, o ex-presidente criticou a postura de Bolsonaro em seus recentes questionamentos acerca da confiabilidade da urna eletrônica e sua insistência no retrocesso do sistema eleitoral atual, julgando que o presidente deveria estar focado em pautas públicas e econômicas. 

O presidente defende o sistema de voto impresso e em recentes falas ameaçou não aceitar eventual derrota eleitoral com o atual sistema eletrônico porque, segundo ele, seria sinônimo de fraude. No entanto, o sistema eleitoral eletrônico do Brasil é modelo internacional em avanço tecnológico e segurança da informação, que inclusive deu a vitória de Bolsonaro no segundo turno das eleições de 2018.

Tradicionalmente, a transferência de poderes ocorre no Brasil quando o presidente em fim de mandato entrega a faixa presidencial ao presidente eleito, algo que Bolsonaro adiantou que não vai fazer “se houver fraude”.

O ex-presidente Lula lidera todas as pesquisas de opinião para as eleições presidenciais de outubro de 2022, apesar de ainda não ter confirmado oficialmente sua candidatura.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 deputados do Paraná votaram a favor de fundão eleitoral de R$ 5,7 bi

Dos 33 parlamentares do Paraná – 30 deputados e três senadores – 17 votaram pela derrubada do veto ao fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões para o ano que vem, 11 votaram pela manutenção do veto e cinco não votaram. Da região, os deputados Giacobo (PL), Frangão Parcianello (MDB) e Roman (Patriota) votaram pela derrubada do veto e o deputado Vermelho (PSD) não votou.

Calendário das Eleições 2022 é aprovado pelo TSE

Em sessão administrativa realizada nesta quinta-feira (16), o Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, por unanimidade, o Calendário Eleitoral das Eleições 2022.

No dia 2 de outubro do próximo ano, os brasileiros vão às urnas para escolher presidente da República, governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno para presidente e governador poderá ocorrer no dia 30 de outubro. As datas correspondem ao primeiro e último domingo do mês, conforme prevê a Constituição Federal. Os eleitos serão diplomados até o dia 19 de dezembro de 2022.

O relator, ministro Edson Fachin, afirmou que o objetivo da resolução é a transparência de todas as fases do processo eleitoral e lembrou que o calendário já começa este ano, uma vez que nesta sexta-feira (17) vence o prazo estipulado para que os tribunais eleitorais anunciem os juízes auxiliares responsáveis pelas representações, reclamações e pedidos de direito de resposta (Lei 9.504/1997, art. 96, § 3º) durante a campanha.

A partir de 1º de janeiro, fica proibida a distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios por parte da Administração Pública, exceto em casos como calamidade pública, estado de emergência e execução orçamentária do exercício anterior.

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, agradeceu ao ministro Edson Fachin e aos servidores do gabinete responsáveis pelo “primoroso e exaustivo trabalho que desenvolveu ao longo dos meses para que pudéssemos completar este ano, véspera de ano eleitoral, com todas as resoluções devidamente elaboradas e aprovadas para que possamos ter um quadro jurídico totalmente estável e seguro para a eleições democráticas de 2022”.

TSE