Londrina e Itaipu assinam convênio para projetos de inovação tecnológica

Nesta segunda-feira (17), o prefeito Marcelo Belinati e o diretor-geral da Itaipu Binacional, Marcos Stamm, assinaram o acordo de cooperação para a implantação da incubadora “Santos Dumont” que vai compartilhar serviços que apoiem a fomentar empresas de base tecnológica em Londrina. “É um novo ciclo de desenvolvimento para a cidade, que gera emprego e renda. São inúmeras ações em conjunto que estão acontecendo em Londrina, como a finalização do TecnoCentro, a vinda da empresa Tata Consultanse Serviços, que é a segunda maior em tecnologia do mundo, o arranjo produtivo local organizado e uma legislação avançada no setor. Não tenho dúvida que a Tecnologia de Informação vai ser o grande novo ciclo de desenvolvimento da economia de Londrina”, disse o prefeito.

Marcos Stamm explicou que Londrina é a primeira grande cidade a receber uma incubadora da Fundação do Parque Tecnológico Itaipu fora da região oeste do Paraná. “A escolha por Londrina é muito natural, porque hoje a cidade é um polo reconhecido de tecnologia da informação. Já a Itaipu, a maior geradora de energia limpa, sustentável e renovável do planeta, tem em sua missão a sustentabilidade e o desenvolvimento de programas socioambientais e nós estimulamos, através da FPTI, ações que são incentivadoras de progresso. A incubadora vem a somar, potencializando os processos e gerando muito desenvolvimento para a região”, disse.

De acordo com o diretor-superintendente do Parque Tecnológico Itaipu, Jorge Callado, essa ação faz parte de um dos objetivos da fundação, que visa à promoção do desenvolvimento territorial sustentável e vem celebrar os 15 anos da fundação. Além disso, a FPTI disponibilizou um software livre de governança municipal, inclusive contendo um módulo especial para o portal de transparência, referendado pelo Ministério Público. “Essa data é muito importante para nós e o evento de hoje entra para a nossa história, porque está no calendário das comemorações dos 15 anos da FPTI. Podemos dizer que a nossa parceria está começando bem, porque além do combinado, tem algo a mais, que é o software de gestão municipal”, frisou.

Ágil e eficiente – Sobre a Plataforma Unificada para a gestão da Prefeitura Municipal, o presidente da Codel, Bruno Ubiratan, lembrou que ela ajudará a tornar o sistema municipal mais ágil e eficiente, além de não ter custos pois é um software livre. “É um grande passo nos aproximarmos de uma multinacional como a Itaipu, que conta com know how na área e que será uma grande parceira no desenvolvimento também de uma Plataforma Unificada. Com esse programa, que eles já desenvolvem no PTI, vamos poder melhorar o sistema de informação do Município e aperfeiçoarmos nossos serviços”, destacou.

Para que a parceria seja efetiva também foi assinado o plano de trabalho, em que estão previstos os próximos passos a serem tomados para o andamento das atividades, como reuniões, encontros e troca de experiências a serem realizados a partir de 2019. A equipe da FPTI virá a Londrina para fazer o planejamento de trabalho e sua instalação, após esse período, uma equipe técnica permanecerá na cidade. A ideia é que toda a tratativa sobre onde ela funcionará e quem serão as entidades parceiras sejam definidas com a sociedade no próximo ano.

o objetivo é desenvolver junto com a sociedade de Londrina, com as empresas, as universidades e os empreendedores, o planejamento da instalação da Incubadora “Santos Dumont” de acordo com a realidade local. “O objetivo é transformar ideias em produtos e negócios, gerando emprego e renda na cidade. Para isso, temos uma metodologia que foi eleita a melhor do Paraná e damos apoio em serviços, consultorias e assessoria para o desenvolvimento dessas empresas”, explicou o gerente do Programa de Desenvolvimento de Negócios do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Pedro José Sella.

Santos Dumont – Para isso, a fundação deverá publicar um edital, em nível estadual, para o apoio de empresas londrinenses de base tecnológica e serão feitos três workshops com a comunidade. A Incubadora “Santos Dumont” contempla diversos modelos de negócio, tendo uma visão flexível e adaptada às empresas tradicionais e àquelas mais tecnológicas. Com os profissionais qualificados, ela poderá ajudar novas empresas na oferta de produtos e serviços com significativo grau de inovação, por meio de suporte técnico, gerencial e formação complementar ao empreendedor.

Em Londrina é a primeira vez em que se firma uma parceria com a ITAIPU Binacional, por meio da Incubadora “Santos Dumont”. Porém, esta iniciativa já vem sendo realizada em outros três lugares, que são na sede do próprio Parque Tecnológico Itaipu, na Universidade Uniamérica e na cidade de Marechal Cândido Rondon, totalizando 19 empresas incubadas que recebem suporte gerencial.

Para a diretora de Ciência e Tecnologia da Codel, Renata Passi, este é um momento de desenvolvimento para o setor, em que o poder público está contribuindo com o crescimento da área e da cidade como um todo. “Londrina vive um momento muito importante para o desenvolvimento do ecossistema de inovação e da tecnologia da informação, com o acontecimento de diversos eventos como o fortalecimento de arranjos produtivos locais, da saúde e TIC, a criação de novos, como agro, construção civil, químico-materiais e metal-mecânico, a vinda da Tata Consultanse Serviços (TCS), a publicação do edital de Soluções Inovadoras, e de recursos para finalização do Tecnocentro, entre outras ações”, frisou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Em Londrina, paciente com Covid-19 foge de hospital por medo de ser intubado; vídeo

Um homem que estava internado em estado grave com covid-19 no Hospital Universitário (HU) de Londrina fugiu da unidade após sofrer uma crise de ansiedade por medo de  precisar ser intubado.

Vídeo que flagrou a ação foi divulgado no programa Balanço Geral Curitiba, na RIC Record TV.

Foto: HU Londrina/Divulgação

UEL lança campanha “Sou HU, Sou UEL, Sou Pela Vida”

O reitor da UEL, Sérgio Carvalho, apresentou na sexta-feira (5), os fundamentos de uma campanha institucional que tem o objetivo de alertar a comunidade universitária, bem como a sociedade, do momento grave que o país atravessa, considerando a saúde pública e o esgotamento do sistema de público e privado. A iniciativa tem o objetivo de reduzir o alto índice de contaminação de pessoas pelo Coronavírus, e consequentemente, diminuir a fila de espera de pacientes no Hospital Universitário (HU) da UEL, unidade de referência para o tratamento da doença na região.

“É uma posição técnica de toda a comunidade da UEL neste momento de colapso de todo o atendimento de saúde do país e no espaço da Universidade que é o HU”, definiu o reitor. A campanha institucional pretende evidenciar via mídias sociais e demais meios de comunicação a importância de manter o isolamento social e os cuidados básicos de higiene para evitar o contágio e tentar bloquear o alto índice de infecção registrado em todos os estados brasileiros, nesta segunda onda do Coronavírus.

Segundo o reitor da UEL , neste momento de profunda crise e de esgotamento da infraestrutura de atendimento em todos os níveis, é necessário uma divulgação maciça de informação para provocar a mudança de atitude. Além de evitar aglomerações e reforçar os cuidados básicos de higiene, a sociedade precisa ter clareza que estamos em plena segunda onda da pandemia, sem a definição de que já chegamos no pico da infestação. “Estamos no limite. Toda a sociedade precisa se engajar. Toda e qualquer vida importa”, afirmou o reitor.

Campanha – nos próximos dias a UEL, por meio da Coordenadoria de Comunicação Social (COM) vai divulgar uma série de postagens e vídeos nas redes sociais mantidas pela instituição, além da Rádio e TV UEL e no portal www.uel.br. A proposta é disseminar em detalhes os problemas que envolvem todo o sistema de saúde do país, incluindo o HU da UEL.

Segundo o Coordenador de Comunicação Social, professor Sérgio Gerelus, a iniciativa intitulada “Sou HU, Sou UEL, Sou Pela Vida”, vai detalhar a necessidade de redobrar cuidados com a saúde individual de cada cidadão por conta da acentuação da crise sanitária. “Teremos publicações, postagens e vídeos e a entrada em eventos, aulas e espaços remotos para levar a mensagem aos estudantes, professores e agentes universitários que precisamos nos mobilizar e convencer as pessoas sobre os cuidados necessários neste momento”, definiu.

Ainda de acordo com o Coordenador, a campanha incentivará a mobilização da comunidade interna para a defesa da vida com o uso frequente de máscara, higiene e a proteção de todos. “São ações simples como a não aglomeração de pessoas neste momento tão delicado”, finalizou.

Assessoria/Imagem: divulgação