JBS fecha todas unidades de carne bovina nos EUA após ciberataque

A JBS, a maior produtora mundial de carne, com sede no Brasil, fechou todas as suas unidades de carne bovina com sede nos EUA a partir de terça-feira, enquanto respondia a um ataque cibernético.

O ataque teve como alvo alguns dos servidores da empresa durante o final de semana.

Na terça-feira (1º), a JBS anunciou ter feito progressos “significativos” na resolução dos problemas causados pelo ciberataque, segundo a Fox Business.

Em comunicado, a empresa indicou que no Reino Unido e no México não houve danos às operações, e que, com os avanços atuais, a maioria das unidades estará operacional nesta quarta-feira (2).

André Nogueira, CEO da JBS nos EUA afirmou que os sistemas da empresa estão voltando a ficar online e que todos os recursos para combater a ameaça estão sendo utilizados.

As paralisações afetaram todas as nove unidades de carne bovina, localizadas no Arizona, Texas, Nebraska, Colorado, Wisconsin, Utah, Michigan e Pensilvânia, de acordo com autoridades da União Internacional dos Trabalhadores da Alimentação e Comércio (UFCW), que representa mais de 25.000 funcionários da JBS. No total, a JBS emprega mais de 66.000 trabalhadores em 84 locais nos EUA.

Para além disso, foram afetadas as fábricas da JBS na Austrália e Canadá.

A filial norte-americana da gigante brasileira da indústria de carnes JBS informou o governo dos EUA que acredita que o ataque cibernético de que foi vítima foi perpetrado por um grupo criminoso possivelmente localizado na Rússia, afirmou a porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre.

Por sua vez, Dmitry Peskov, porta-voz do presidente russo, afirmou que a Rússia certamente analisará qualquer pedido dos EUA sobre as alegações relacionadas ao ataque cibernético, caso ele seja apresentado.

“Não há comentários. Existem certos contatos através dos canais diplomáticos, mas não temos nenhuma informação concreta. Se houver quaisquer pedidos dos americanos, é claro, eles serão analisados rapidamente”, afirmou Peskov ao comentar os boatos sobre o suposto envolvimento da Rússia no episódio da JBS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Evangélicos contra a liberação dos jogos

A Frente Parlamentar Evangélica trabalha para evitar a votação do projeto que libera jogos no Brasil. A frente disparou mensagens a deputados evangélicos pedindo que não registrem presença na sessão da Câmara dos Deputados e votação do requerimento que, se aprovado, fará o projeto tramitar em regime de urgência, ficou para ontem e até o fechamento desta coluna ainda não foi votado.

Prefeitos pedem alternativas para financiar transporte

A demanda da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) por alternativas ao financiamento do transporte público mobilizou senadores. Nelsinho Trad (PSD-MS) e Alexandre Giordano (MDB) protocolaram projeto de lei para custear a gratuidade dos idosos. De acordo com a proposta, o programa de assistência à mobilidade dos idosos  vai garantir assistência financeira e diminuir o impacto nas tarifas. Estima-se a destinação de R$ 5 bilhões. Os valores por cidade, conforme a FNP já calculou, serão contemplados por meio de emenda ao projeto. Para Foz do Iguaçu, caberá R$ 7,5 milhões.