Índices globais de economia caem em outubro, refletindo desaceleração

Os Barômetros Econômicos Globais divulgados hoje (8) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV), mostraram queda em outubro, mantendo a tendência de enfraquecimento observada a partir de julho, em função da desaceleração econômica mundial, no segundo semestre deste ano. Os indicadores permitem analisar o desenvolvimento econômico mundial.

De acordo com o Ibre, o Barômetro Econômico Global Coincidente, que reflete o estado atual da atividade econômica, caiu 4 pontos em outubro, para 107,6 pontos. Já o Barômetro Econômico Global Antecedente, que antecipa os ciclos das taxas de crescimento mundial em três a seis meses, apresentou retração de 11,6 pontos, para 96,5 pontos, menor nível desde julho do ano passado, quando atingiu 82,1 pontos. Segundo os economistas do Ibre, essa queda mais intensa do Barômetro Antecedente sugere a possibilidade de intensificação da tendência declinante no período dos próximos três a seis meses.

O pesquisador Paulo Picchetti, do Ibre, esclareceu que o ritmo de retomada das atividades caiu de forma generalizada entre as regiões, devido a restrições de disponibilidade de insumos intermediários nas cadeias produtivas e de oferta de energia. “As pressões sobre o nível geral de preços geradas por essas restrições têm criado expectativas acerca de movimentos de política econômica que, por sua vez, impactam negativamente as perspectivas de um crescimento mais consistente da atividade econômica em todos os setores”, indicou Picchetti.

Barômetro Coincidente

Todas as regiões contribuíram de forma negativa para o resultado agregado de outubro. Destaque para a área que compreende Ásia, Pacífico & África, que contribuiu com 2,1 pontos (53,0%) para a queda do Barômetro Coincidente Global, enquanto o Hemisfério Ocidental e a Europa contribuíram com 1,1 e 0,8 ponto, respectivamente. Todas as regiões registraram ainda indicadores acima do nível médio histórico de 100 pontos.

Os indicadores de quatro dos cinco setores monitorados pela pesquisa recuaram em outubro. A maior queda foi observada no indicador do setor de serviços, que passou a registrar o menor nível entre os segmentos, depois do quarto declínios seguidos. O maior nível entre os indicadores foi registrado pela indústria, embora a diferença entre os indicadores setoriais seja pequena, com todos eles registrando níveis na faixa entre 104 e 109 pontos, destacou o Ibre.

Barômetro Antecedente

Os indicadores antecedentes das três regiões contribuíram também de forma negativa para o resultado do Barômetro Antecedente em outubro. A região da Ásia, Pacífico & África apresentou a maior contribuição para a queda (5,5 pontos), seguida da Europa e Hemisfério Ocidental, com 3,4 e 2,7 pontos, respectivamente. Essa é a primeira vez que todas as regiões registraram níveis abaixo de 100 pontos, desde julho de 2020.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prefeito anuncia antecipação de salário aos servidores para o dia 23 de dezembro

O prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, anunciou nesta segunda-feira (20) a antecipação do salário de dezembro aos 6.287 servidores públicos para a próxima quinta-feira (23). O adiantamento foi possível devido às contas em dia e a gestão eficiente das despesas da administração municipal.

Além dos vencimentos (R$18.651.186,31), o município pagará 1/3 de férias (R$4.427.318,45) para 3.837 funcionários e a primeira parcela retroativa das progressões implantadas antes da Lei Complementar 173/2020, equivalente a R$1.387.118,32 milhões.

Ao todo, o Município injetará aproximadamente R$ 24,5 milhões nas contas dos funcionários públicos municipais. “Mesmo diante da crise pela qual passamos com a pandemia da Covid-19, conseguimos ter uma gestão capaz de manter o controle sobre as despesas, garantindo o cumprimento com a legislação e tendo as contas aprovadas pelos Tribunais de Contas do Estado e da União. Isso nos permite ter tranquilidade para antecipar salários e demais benefícios aos servidores”, expressou Brasileiro.

A notícia chega em boa hora para os trabalhadores, tendo em vista que eles ingressarão em período de recesso de feriado de Natal e Ano Novo. O volume de recursos contribui para aquecer a economia local neste período de festividade. “Os servidores representam importante parcela da força locomotora da economia iguaçuense, refletindo no desenvolvimento do município”, complementou o secretário de Administração, Nilton Bobato.

Progressões

O Município começa a pagar o retroativo da primeira de seis parcelas das progressões implantadas até maio de 2020, período em que entrou em vigor a Lei Complementar Federal N°173/2020, que proibiu a estados e municípios efetuarem pagamento de reposições ou quaisquer benefícios aos servidores públicos.

Cerca 1,3 mil servidores serão contemplados com a medida. O montante da primeira parcela é de R$ R$1.387.118,32 milhões de reais, totalizando R$8.322.709,92 milhões ao final da sexta parcela.

Com o fim da vigência da LC 173/2020, o Município também fará o pagamento da reposição salarial na competência de janeiro. A tratativa já havia sido acordada entre a prefeitura e as entidades sindicais ao longo dos últimos meses.

“Informando que conforme os compromissos assumidos por esta gestão com os servidores municipais, já foi encaminhado à Câmara Municipal mensagem com projeto de lei implantando a reposição salarial em parcela única de 8,35% na competência janeiro de 2022, para todos os servidores municipais de Foz do Iguaçu”, explicou Bobato.

Além disso, também será possível implantar as referências previstas nas leis 4.844 e 4.845/2020, na competência janeiro de 2022, além de pagar os avanços a todos os agentes de apoio, cuja implantação não depende de avaliação de critérios.

Fundo

“Ainda não conseguimos o Fundo dos Municípios Lindeiros, que depende de lei específica para isso”, pontua Angeli. A expectativa das lideranças da região é ter um fundo, formado por um percentual da receita do parque, para investimentos nas cidades vizinhas.