Governo autoriza captação de recursos para 12 municípios da base de deputado Romanelli

Governador Beto Richa autoriza o início dos trâmites a pedidos de financiamentos para 46 prefeitos de municípios de várias regiões do Paraná.Curitiba, 29/03/2017.Foto: Orlando Kissner/ANPr

No total, 46 municípios do Estado serão beneficiados com a autorização assinada nesta quarta-feira pelo governador Beto Richa. O crédito é da Fomento Paraná, através do Sistema de Financiamento dos Municípios

Na manhã desta quarta-feira (29) prefeitos de 12 municípios de várias regiões do Paraná, que fazem parte da base do deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Alep, com o governador Beto Richa no Palácio Iguaçu. Durante o encontro, os gestores municipais solicitaram a autorização para pedidos de financiamentos para investimentos nos municípios.

Os recursos serão investidos em obras de infraestrutura e compra de equipamentos. Os projetos apresentados pelos prefeitos, autorizados pelo Poder Executivo passarão por avaliação técnica da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e do Paranacidade. O crédito é da Fomento Paraná, pela linha Sistema de Financiamento dos Municípios (SFM).

No total, são 46 municípios paranaenses beneficiados com recursos de R$ 44,9 milhões. De acordo com o deputado Romanelli, é graças às medidas tomadas anteriormente que investimentos como estes são possíveis. “Estamos colhendo os bons frutos que plantamos com o ajuste fiscal feito em nosso estado. Vamos proporcionar uma vida mais digna a toda população do Paraná ao investirmos na revitalização das cidades. Serão reformas de equipamentos públicos, construção de unidades de saúde e compra de matérias-primas, ferramentas e máquinas, em todas as regiões do estado”, afirmou.

Parceria – Para o prefeito de Nova América da Colina, Alexandre Basso, todo o investimento será feito a partir da necessidade do município. “Nosso foco é em proporcionar a qualidade de vida para nossa população. E eu, como representante de Nova América, sou muito grato. Isso já aconteceu em meu primeiro mandato como prefeito ao termos a parceria com o governador Beto Richa e o apoio incondicional do deputado Romanelli, que sempre luta pelas causas do nosso município”, destacou.

Só em 2016, o Governo do Estado investiu R$ 357 milhões para melhorias na pavimentação de vias, construção de barracões industriais, escolas, creches e gestão de resíduos sólidos, em todo o Paraná. Desde 2011, foram disponibilizados mais de R$ 1 bilhão às prefeituras por meio do Sistema de Financiamento dos Municípios.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Retomada do crescimento no país passa pela redução das desigualdades, diz Romanelli

 

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) disse nesta quinta-feira (6) que a retomada econômica do país deve estar ligada à ampliação dos investimentos públicos, à redução das desigualdades e ao aumento da eficiência do Estado.

“O Brasil precisa de um Estado forte e resolutivo, que faça investimentos públicos em obras estruturantes para criar empregos, gerar renda e oportunidades. E, sobretudo, ações urgentes para reduzir as desigualdades sociais”, completa.

Para Romanelli a redução das desigualdades deveria ser o objetivo central do governo federal. “A pandemia piorou uma situação que já era muito ruim e escancarou o despreparo do governo do presidente Jair Bolsonaro”.

Sem rumo – O parlamentar afirma que o processo de retomada deveria ser liderado pelo ministro da Fazenda, Paulo Guedes, que segundo ele, faz uma gestão “temerária, para dizer o mínimo”.

“Estamos entre os piores resultados econômicos dos países do G-20. Creio que nem os mais pessimistas imaginariam uma situação dessas. Temos um enorme potencial em diversas áreas, e isso vem sendo boicotado por quem deveria auxiliar. O país está estagnado e quem está em Brasília parece viver em um mundo paralelo”, disse.

O deputado acrescenta que o país precisa de estabilidade e de tranquilidade para retomar o crescimento. “Infelizmente essa sinalização não vem. É um governo sem rumo, um governo que se diz conservador, mas que não se preocupa com as famílias que mais necessitam da mão forte do Estado”.

Diagnóstico – Romanelli destacou a série de artigos publicados no jornal Folha de S. Paulo dos candidatos a presidente ou seus responsáveis pelas propostas na área econômica. “Há uma concordância, eu diria até um uníssono, que o principal desafio do Brasil na retomada do crescimento passa pela redução da desigualdade que recrudesceu na última década”.

“Tenho posições pessoais absolutamente divergentes com parte dos candidatos e até com parte dos receituários macroeconômicos apresentados, mas os diagnósticos são precisos, uma análise correta da realidade brasileira”, completa Romanelli.

Economia vai pautar agenda política em 2022, diz Romanelli

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) disse nesta segunda-feira, 3, que a economia vai pautar a agenda política nas eleições de 2 outubro. Ele afirma que a equipe econômica do governo federal perdeu o rumo, com a inflação chegando aos dois dígitos e a recessão que está penalizando os mais pobres com a falta de renda e de empregos no país.

“O debate eleitoral vai ser muito intenso em 2022 e preocupante porque a política econômica do governo federal está no rumo errado. Todo mundo já percebeu isso. Outros países que enfrentaram a pandemia fizeram investimentos importantes para resolver o problema de quem ficou sem renda, mas no Brasil isso ficou mal articulado e acabou gerando um problema grave”, disse Romanelli em entrevista a TVCI.

A falta de renda, segundo Romanelli, afeta desde o comércio, a indústria e outros setores da produção de bens e serviços. “O comércio está patinando e o crescimento da indústria está menor do que se esperava. Estamos passando por um período em que precisamos ter uma política econômica nova no Brasil. Já está mais que demonstrado que o atual ministro (Paulo Guedes) da Economia não tem condições, não sabe tocar de fato a economia brasileira”.

Inflação – Romanelli considera “inaceitável” que depois do Plano Real em 1994, o país volte a enfrentar a inflação de dois dígitos. “Para combater a inflação, o Banco Central aumentou a taxa de juros e o custo de vida vai ficando mais caro para todo mundo. Quem está indo ao supermercado, sabe muito bem como é que os preços estão subindo cada vez mais”.

O deputado aponta ainda o fracasso do governo federal no controle do preço da moeda, no caso do dólar e do câmbio. “Foi tamanha incompetência da equipe econômica porque justamente no momento em que mais pudemos exportar as commodities e mais ingressou dólar no Brasil”.

A desconfiança da política econômica, segundo Romanelli, fez o dólar explodir e ficar próximo aos R$ 6. “Isso, obviamente, está gerando um problema muito sério. É o grande debate que vamos ter em 2022, sobre os rumos do Brasil e especialmente da política econômica porque é o que mais interessa”.

“As opiniões das esquisitices não terão a menor importância. O povo vota se a vida melhorou ou não, se está conseguindo comprar a carne para fazer um churrasco ou comprar um camarão, um peixe. Ou seja, as pessoas vão votar em função de como elas estão percebendo a vida”, completou Romanelli.