Fórum Paranaense de Instâncias de Mulheres de Partidos Políticos é instalado, celebrando autonomia e pluralidade

Autonomia, presença, igualdade, pluralidade. Estas foram algumas das palavras mais faladas no lançamento do Fórum Paranaense de Instâncias de Mulheres de Partidos Políticos, na manhã desta segunda-feira (29) na Assembleia Legislativa do Paraná. Evento que foi coordenado pela Procuradoria da Mulher da Casa e é parte das ações da Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres no estado. “Para nós é uma grande satisfação estar sediando esta posse, que é um trabalho que vem de encontro ao da Procuradoria, que também é lutar contra a desigualdade e a discriminação da mulher nos espaços políticos”, afirmou a deputada Cristina Silvestri (CDN), procuradora da Mulher no Legislativo.

O Fórum é composto por dirigentes de 11 partidos políticos e o objetivo é que ele funcione como um suporte para as mulheres interessadas em se candidatar e um espaço para debates e apresentações de propostas de gênero. “Nossa pauta é a ampliação dos números de mulheres nos espaços de poder e quebrar as barreiras internas nos partidos. No Paraná, por exemplo, as mulheres ocupam apenas 11% das estruturas partidárias em cargos de decisão. O Fórum vem para unir forças e aumentar esse número”, disse a jornalista Ana Moro, que assumiu a coordenação-geral do Fórum. “Ter a Procuradoria da Mulher da Assembleia como aliada nesse processo significa muito para unirmos esforços e levar as informações e ações para o interior do estado, especialmente para as vereadoras”, acrescentou.

“Com a composição do Paraná formada, agora temos Fóruns instalados em toda a região Sul e isso é muito importante, porque muitas mulheres seguem invisibilizadas na política. Temos que mudar a lógica de mulher cuidadora. Não vamos ser apenas cabos eleitorais dos homens, mas estar a frente. Aglutinar mulheres com a mesma causa. Temos que aprender a olhar umas para as outras com mais capacidade de fazer política, com mais amor. E, graças aos Fóruns, as mulheres dos partidos estão aprendendo a lidar com as suas diferenças em nome da unidade”, afirmou a coordenadora-geral do Fórum Nacional de Instância de Mulheres de Partidos Políticos, Miguelina Vecchio.

Para Miguelina, é preciso separar o que cada partido pensa, afinal, eles têm suas particularidades, mas o espaço para as mulheres deve ser o mesmo. Por isso, o Fórum é suprapartidário. “As mulheres precisam participar das executivas dos partidos até na hora de planejar a campanha no rádio e na TV, por exemplo. Temos que ter espaços idênticos aos dos homens no horário eleitoral. Política é um substantivo feminino, mas poder é masculino e precisamos ser notadas”, lembrou.

Outras pautas que deverão ser permanentes no Fórum são os projetos e as legislações que combatam a violência de gênero contra as mulheres e a inclusão, eliminando preconceitos, atitudes e padrões comportamentais na sociedade e na política. Renata Borges, presidente do PDT de Apucarana, prova que é possível fazer a diferença estando em uma posição de tomada de decisão.  Ela é a primeira dirigente partidária transexual do estado. “Precisamos estar nestes lugares para lutarmos pelas causas de todas as mulheres, não apenas as trans, mas as negras, as agricultoras. O Fórum vem para fortalecer essa pluralidade e a representatividade”, ressaltou.

Isabelle Dias, a primeira vereadora surda do Paraná e a segunda do Brasil, está no primeiro mandato na Câmara Municipal de Paranaguá, e também é procuradora adjunta da Mulher. Para ela, o desafio do Fórum e o dela, em particular, tem sido ultrapassar justamente as barreiras do preconceito. “Represento, claro, as pessoas com deficiência e suas causas, mas todas as mulheres, porque sofri o preconceito na pele, quando venci a eleição. As pessoas achavam que eu não conseguiria acompanhar as sessões por causa da surdez, mas, com a ajuda dos intérpretes de libras, estou atuante em benefício da população, como tenho certeza que irá acontecer com o Fórum”, afirmou.

Sub-representatividade

Cerca de 46% dos filiados a partidos políticos são mulheres. Mesmo assim, o Brasil ocupa a 133ª posição entre os países em representação feminina na política. Na Câmara dos Deputados, elas são 15%. Na bancada federal paranaense, composta por 33 parlamentares federais, apenas cinco são mulheres e entre os 54 deputados estaduais, elas também são apenas cinco. São ainda 39 prefeitas, 48 vice-prefeitas e 579 vereadoras. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PDT admite que “palanque duplo” com Lula será inevitável

Chefes do PDT presentes na convenção que lançará oficialmente Ciro Gomes como pré-candidato à Presidência da República já admitem que a sigla terá vários “palanques duplos”. Ou seja, candidatos que dividirão apoio entre o escolhido pedetista e Lula, o favorito até o momento para as eleições de 2022.

O principal nome da sigla que deverá estar em palanques de Ciro e Lula é o senador Weverton Rocha (MA). Ele deverá ser candidato ao governo do Maranhão e terá permissão da direção da legenda para estar ao lado do candidato do PT.

Leia mais em Metrópoles

Secretaria de Turismo leva marca do Destino Iguaçu para feira de turismo em Madri, na Espanha

Além de estreitar laços com o mercado europeu, a participação no evento visa apresentar Foz como um destino cada vez mais diversificado e preparado

A Secretaria Municipal de Turismo e Projetos Estratégicos retomou as ações de promoção internacional do Destino Iguaçu em 2022. A pasta está representando o turismo de Foz do Iguaçu na Feira Internacional de Turismo de Madri (Fitur), na Espanha, que começou no último dia 19 e vai até 23 de janeiro.

O Destino Foz do Iguaçu é coexpositor no estande do Brasil, desenvolvido e organizado pela Embratur. A servidora Célia Andrade é a encarregada de apresentar os atrativos da cidade e destacar como Foz mantém um protocolo seguro contra o coronavírus, com todas as medidas necessárias sendo adotadas.

Outro importante objetivo é retomar e atualizar a rede de contatos, aproximando Foz do Iguaçu dos compradores internacionais de turismo da Europa. A cidade também conta com Eduardo Prinz, representante do Visit, que busca também fortalecer e potencializar as ações da gestão integrada do turismo de Foz do Iguaçu.

Os contatos durante o evento atendem diversas demandas do mercado, principalmente ao de atualizações junto aos DMCs (operadoras) no estande do Brasil, buscando informações e atualização. Um dos exemplos são os procedimentos de fronteira e trânsito de turistas entre Brasil e Argentina, atualização sobre novos atrativos, restaurantes, estrutura, serviços turísticos, documentação e atestados sanitários necessários para a entrada no Brasil, bem como informações gerais a respeito da recuperação do turismo nos dias atuais.

A Fitur abre o calendário anual de feiras de turismo no mundo, com 69 mil m² de exposição, distribuídos em sete pavilhões. A capital espanhola também é a sede da Organização Mundial de Turismo.

Parcerias europeias

Durante os dois primeiros dias de evento, além dos atendimentos do estande, Foz do Iguaçu teve a oportunidade de capacitar agentes de viagem, ao realizar uma apresentação do Destino Iguaçu.

Também pôde estabelecer diálogo com o departamento de marketing da Embaixada do Brasil em Madrid, com a finalidade de oportunizar disseminação de Informações pelos canais oficiais e fortalecer o relacionamento com a Embaixada, para atuar em futuras ações de promoção em parceria.

O secretário de Turismo e Projetos Estratégicos, Paulo Angeli, conta que a participação de Foz neste evento é essencial para que a cidade se posicione como um destino turístico mundial.

“Mesmo enfrentando uma nova onda de casos de Covid no país, seguimos todos os protocolos sanitários necessários e incentivamos a vacinação em massa. A participação de Foz do Iguaçu na feira em Madrid faz parte de uma avaliação da pasta, para termos um retorno positivo para o turismo da cidade”, ressalta Angeli.