Família Acolhedora de STI é referência no Paraná

A convite do Ministério Público do Paraná – 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Marechal Cândido Rondon, as experiências exitosas do Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora, desenvolvidas em Santa Terezinha de Itaipu, estão sendo compartilhadas. Nesta quarta-feira, 11, uma equipe técnica esteve em Marechal Cândido Rondon para explanar sobre e como o serviço é desenvolvido.

Desde 2015, ano em que foi implantado na gestão do prefeito Cláudio Eberhard, o Família Acolhedora de Santa Terezinha tem se tornado uma das principais referências desta modalidade às prefeituras paranaenses que buscam exemplos de sucesso como modelo. “Para nós é uma satisfação termos esse reconhecimento e oferecer respostas mais humanas e personalizadas de atendimento a crianças e adolescentes que, temporariamente, precisam ficar afastadas de sua família de origem”, disse o gestor público.

O programa, segundo o prefeito, é uma medida excepcional de proteção e de defesa ao direito de crianças e adolescentes à convivência familiar e comunitária. Na prática, as ações consistem em cadastrar, selecionar e preparar famílias que garantam apoio provisório às crianças e adolescentes cujos direitos foram violados em decorrência de abandono, negligência, violência ou pela impossibilidade de cuidado e proteção por sua família.

Em números – O Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora foi instituído lei municipal nº1.573/2015. Entre 2015 e agosto de 2016, o serviço foi coordenado e executado pela equipe do Centro de Referência Especializada em Assistência Social (CREAS) e a partir desta data, o poder público constituiu uma equipe técnica própria para atuar nas ações, composta por coordenador, assistente social e psicólogo.

“No primeiro ano, o serviço capacitou uma família e acolheu uma criança. A pioneira foi à família de Irva Terezinha Kopaszez Bernardo que permanece acolhendo crianças e adolescentes”, diz a secretária de Assistência Social, Ellis Regina Eberhard. Ela ressaltou que, a partir de 2016 buscou-se capacitar mais famílias para a ampliação do serviço na cidade.

Desde a implantação do programa 63 crianças e adolescentes foram acolhidos; atualmente são oito em acolhimento. “Do total de crianças e adolescentes acolhidos, em apenas quatro casos não houve reintegração à família de origem, sendo estes encaminhados para adoção. As demais, após acompanhamento da rede de atendimento e comprovado que não corriam mais nenhum risco, retornaram para suas famílias de origem”, complementou a secretária.

Atualmente a equipe é referência na região, ministra por meio de convite, palestras, capacitações de equipes e redes de proteção em diferentes cidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aline na vaga do Giacobo

A deputada Aline Sleutjs (PSL) ainda não se filiou ao PL e o presidente do partido, Valdemar da Costa Neto, já adiantou a ela que sua vaga está assegurada para a disputa da reeleição a Câmara dos Deputados e que vaga do Senado já está garantida ao deputado Fernando Giacobo, presidente do PL do Paraná.

Picler será Cidadão Benemérito do Paraná

A Assembleia Legislativa aprovou o projeto de lei do deputado Hussein Bakri (PSD) que concede o título de cidadão benemérito do Paraná ao professor Wilson Picler, chanceler da Uninter.  “O professor Picler sempre se concentrou na inclusão de brasileiros na educação em todos os níveis, como uma forma de desenvolvimento social, científico-tecnológico e econômico. Foi também um dos principais apoiadores do programa de bolsas de estudo Prouni e idealizou a estratégia de adesões antecipadas para retomar o programa”, disse Bakri.