Doleiro brasileiro investigado na Lava Jato é preso pela Interpol no Paraguai

O doleiro brasileiro Bruno Farina foi preso pela Interpol no Paraguai na noite desta quarta (26). Sócio de Dario Messer, considerado o “doleiro dos doleiros”, Farina é investigado no âmbito da Operação Câmbio Desligo, da Lava Jato, e estava foragido. As informações são do Diário do Poder.

Farina foi encaminhado ao Departamento de Investigação de Crimes da Polícia Nacional e deverá ser expulso do país para ser apresentado às autoridades brasileiras.

Desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro, a Operação Câmbio Desligo denunciou 62 pessoas, entre eles Bruno Farina, Dario Messer e o ex-governador do estado Sérgio Cabral. O grupo é acusado de praticar crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro desde a década de 1990.

Segundo as investigações, os doleiros teriam movimentado cerca de R$ 1,6 bilhão em 52 países. Os valores eram movimentados por meio de operações de dólar-cabo, ou seja, a compra e venda de moeda, envolvendo transações bancárias no exterior.

A denúncia do Ministério Público Federal (MPF) é baseada na delação premiada dos doleiros Cláudio Barboza e Vinícius Claret, o Juca Bala. Os delatores informaram ao MPF sobre o sistema Bankdrop, que seria utilizado pelo grupo e estava relacionado a mais de 3 mil offshores. O sistema era utilizado como uma conta-corrente, onde eram lançadas as informações dos clientes dos doleiros.

link matéria
https://diariodopoder.com.br/doleiro-brasileiro-investigado-na-lava-jato-e-preso-pela-interpol-no-paraguai/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fiscalização em Foz para cobrar vacina

A Anvisa e a Polícia Federal iniciaram uma operação conjunta visando ampliar as ações de verificação do comprovante vacinal de pessoas que ingressam no Brasil pelas fronteiras terrestres com a Argentina e o Paraguai. Segundo a Anvisa, serão instaladas barreiras para controle de fluxo na Ponte da Amizade e na Ponte Tancredo Neves.

VR para agentes socioedcativos

A Assembleia Legislativa acatou e aprovou a indicação da Anice Gazzaoui (PL) e dos vereadores do Ney Patrício (PSD) e Edivaldo Alcântara (PTB) que inclui os agentes socioeducativos no programa de auxílio-alimentação a ser implantado pelo governo do Estado. O benefício no valor mensal de R$ 600 será concedido aos servidores das polícias Civil, Militar, Científica e Penal.