Concessão das Cataratas do Iguaçu segue modelo do pedágio repudiado pelo Paraná

O modelo de concessão pretendido pelo governo federal nas rodovias paranaenses é o mesmo ao do Parque Nacional do Iguaçu: tarifas altas e o prazo de exploração por 30 anos, disse o deputado Luiz Claudio Romanelli nesta segunda-feira, 23. A proposta do ICMBio e do Ministério do Meio Ambiente prevê uma tarifa geral de entrada na unidade de conservação de R$ 120, algo em torno de 700% de aumento em relação à menor tarifa cobrada atualmente. “O parque pode ficar restrito aos endinheirados”, alertou.

Os prefeitos das 14 cidades lindeiras defendem a cobrança de uma tarifa diferenciada como acontece hoje. Os moradores da região pagam R$ 17 (passe comunitário), brasileiro (R$ 50), Mercosul (R$ 66) e estrangeiro (R$ 83). O ICMBio e o Ministério do Meio Ambiente sinalizam a cobrança de 20% da tarifa cheia (R$ 120) aos lindeiros, mas, além de não garantir a diferenciação aos visitantes brasileiros e do Mercosul, a diferenciação não está incluída no edital de licitação.

Romanelli compara a concessão do parque ao modelo híbrido que o governo federal tentou impor ao Paraná no programa de exploração de rodovias, que exigia uma taxa de outorga. Os municípios lindeiros e o setor de turismo propõem a exclusão da outorga fixa por um modelo de maior lance em investimentos e menor tarifa de ingressos. 

“No caso das rodovias colocamos o modelo híbrido e a taxa de outorga para correr. A situação do parque mostra que vivemos num país surrealista. Os governos não fazem obras e ainda querem ganhar dinheiro com as concessões. Esse aumento de 240% no valor dos ingressos para os brasileiros é absurdo”, afirmou.

A nova concessão do Parque Nacional do Iguaçu valerá por 30 anos e o processo licitatório foi iniciado em abril. Estão projetados investimentos obrigatórios de aproximadamente R$ 500 milhões em infraestrutura, além de R$ 3,6 bilhões em gastos operacionais durante a duração do contrato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Prefeito de Foz está com covid

O prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro (PSD), já pode pedir música no Fantástico. Pela terceira vez, agora nesta quinta-feira, 27, Brasileiro testou positivo para Covid. O prefeito começou a sentir os sintomas na tarde desta quarta-feira, 26, e cancelou sua agenda em Curitiba – fez as reuniões por videoconferência. Chico Brasileiro está com sintomas leves, isolado, trabalhando em casa.

Sua mulher, Rosa Jeronymo, secretária municipal de Saúde, também testou positivo para a doença. A secretária está bem, apenas com sintomas leves. Ela segue trabalhando de casa, com reuniões on-line, acompanhando a situação da rede municipal de saúde.

Uenp confirma retorno às aulas presenciais

As aulas presenciais na Uenp serão retomadas regularmente no próximo 7 de fevereiro, seguindo decisão dos conselhos superiores da universidade. A reitoria adiantou que a medida é válida para todos os cursos de graduação e pós-graduação nos três campi: Jacarezinho, Cornélio Procópio e Bandeirantes.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) lembra que é importante a adoção de todas as medidas sanitárias no combate à propagação da pandemia. “Os estudantes de todos os níveis de ensino devem ficar atentos à programação do curso e aos protocolos de biossegurança para evitar a proliferação da variante ômicron, que tem maior poder de transmissão”, alerta.

A reitora Fátima Padoan disse que a Uenp vai desenvolver atividades remotas de orientação pedagógica e sanitária para a comunidade universitária entre os dias 2 e 4 de fevereiro, para que os estudantes se preparem para o retorno presencial.

Em 2021, a Uenp já havia retomado as atividades presenciais dos cursos da área da Saúde, nos campi de Jacarezinho e Bandeirantes. Portanto, para os alunos deste segmento, as aulas presenciais recomeçam regularmente a partir do dia 2 de fevereiro.