Comitiva da Nova Ferroeste conhece potencial de integração de Foz do Iguaçu

A comitiva do Ministério da Infraestrutura que está acompanhando os estudos da Nova Ferroeste esteve nesta quinta-feira (24) em Foz do Iguaçu, na região Oeste. A cidade receberá um ramal do novo traçado, o que a conectará a Cascavel, onde já existe um terminal da Ferroeste. 

Na agenda, a comitiva se reuniu com parte da diretoria da Itaipu Binacional, que tem uma parceria de mais de R$ 1,4 bilhão com o Estado do Paraná em obras de infraestrutura. Especificamente em Foz do Iguaçu, ela envolve a Ponte da Integração e a nova perimetral, a duplicação da Rodovia das Cataratas e a ampliação da pista do aeroporto, já concluída.

Participaram do encontro o general Luiz Felipe Carbonell, diretor de Coordenação da Itaipu Binacional, e o coronel Theófanes Pessôa, chefe de gabinete da diretoria.

Durante a conversa, o coordenador do Plano Estadual Ferroviário, Luiz Henrique Fagundes, atualizou o andamento dos estudos necessários para a finalização do projeto, que será levado a leilão em 2022. “Estamos otimistas com a Nova Ferroeste. Ela atrairá interessados, reduzirá o Custo Brasil sobre os nossos produtos e ajudará a economia do Estado”, afirmou.

Marcos Félix, assessor especial do Ministério da Infraestrutura, ressaltou o potencial de escoamento pela cidade, conectada a dois importantes parceiros comerciais do Brasil, Paraguai e Argentina.

“O Paraguai é um grande produtor de grãos e no passado tinha uma ligação muito forte com Paranaguá. Esperamos que com a construção da Nova Ferroeste esse negócio possa ser retomado”, disse. “A nova ferrovia vai ajudar a produção do Paraná, do Mato Grosso do Sul, e dos países que se integram ao País por Foz do Iguaçu, que tem uma das fronteiras mais movimentadas do Brasil”. 

CONEXÃO – Da Itaipu, a comitiva seguiu para o canteiro de obras da segunda ponte sobre o Rio Paraná, a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, que já está com 63% da obra finalizada. O baixo nível do rio nos últimos meses dificultou o transporte de material entre os dois lados, mas o cronograma ainda prevê a inauguração para o próximo ano. Hoje, 200 operários trabalham nas duas margens.

“A Nova Ferroeste é importante para o Brasil, por isso é essencial fazer essa integração binacional e multimodal que acontecerá em Foz do Iguaçu. Com esse traçado de Foz do Iguaçu a Paranaguá vamos viabilizar a ligação do Atlântico com o Pacífico, conectando o Brasil ao Paragua, Argentina e Chile”, destacou o assessor do Ministério. 

“Logística é conexão de modais. Ao chegar em Foz do Iguaçu a Nova Ferroeste se aproximará da nova ponte, dessas novas obras de infraestrutura, com isso estamos abrindo um novo caminho para o mercado externo”, reforçou Fagundes. 

Ponte da Integração Brasil-Paraguai está com 63% das obras finalizadas. Foto: Alessandro Vieira/AEN

AGENDA – Foz do Iguaçu foi o quarto compromisso da comitiva no Paraná. Anteriormente os técnicos do governo federal estiveram em CascavelParanaguá e Curitiba

NOVA FERROESTE – Proposta pelo Governo do Paraná, a Nova Ferroeste ligará Maracaju, no Mato Grosso do Sul, ao Porto de Paranaguá, com um ramal até Foz do Iguaçu. Atualmente, o projeto está em fase de elaboração dos estudos de viabilidade técnica, econômica, ambiental e jurídica. 

A Nova Ferroeste, como é conhecida, dará origem a um dos mais importantes corredores de exportação do País. A nova malha ferroviária terá 1.285 km de extensão e a estimativa de investimentos é de em R$ 25 bilhões. Quando concluído, será o segundo maior corredor de exportação de grãos e contêineres refrigerados do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Piso do professor de Foz do Iguaçu vai para R$ 4 mil

O prefeito Chico Brasileiro (PSD) encaminha até esta quinta-feira, 13, à Câmara de Vereadores os dois projetos de lei que preveem o abono de R$ 1.810,30 aos 2.617 servidores da educação e que garantem o piso salarial de R$ 4 mil para 40 horas aos professores da rede municipal de ensino de Foz do Iguaçu. O presidente do legislativo, Ney Patrício (PSD), vai convocar as sessões extraordinárias a partir de segunda-feira, 17, e espera votar a matéria ainda em janeiro.

“Garantimos o abono aos servidores da educação, não só aos professores, porque temos uma previsão de aumento para este ano de receita da educação. Queremos pagar o abono, o novo piso aos professores e o aumento aos a todos os servidores municipais ainda neste mês de janeiro”, disse Chico Brasileiro.

Na segunda-feira, a primeira matéria que será votada pelos vereadores será a do aumento de 8,35% nos salários dos mais de seis mil servidores municipais. A proposta tramita na Câmara Municipal desde dezembro.

Piso – Hoje, o piso inicial aos professores está na casa de R$ 1,5 mil para 20 horas e será reajustado para R$ 2 mil. Aos professores que trabalham 40 horas, o piso vai subir para R$ 4 mil. Brasileiro antecipou o aumento mesmo antes da definição do piso nacional, o que deve acontecer nos próximos dias, e que deve ser adotado pelas prefeituras que recebem recursos do Fundeb.

Entre o abono e o novo piso, a prefeitura espera um impacto de R$ 9 milhões no orçamento. O pagamento de duas referências (reajuste de 6% que será incorporado ao salário da categoria) será a partir do mês de março. As referências terão um R$ 8,3 milhões ao ano. “Isso está sendo possível porque temos um conjunto de previsão orçamentária  2022 e estamos trabalhando  com muita responsabilidade, então não foi atendido tudo que foi solicitado, mas uma grande parte foi atendido dentro da responsabilidade fiscal e dentro do equilíbrio que o município deve manter”, disse o prefeito,

Com os novos reajustes, os professores municipais de Foz do Iguaçu passam a ter o terceiro maior piso para 40 horas entre as 399 cidades do Paraná – fica atrás apenas de Araucária (R$ 4.830,62) e São José dos Pinhais (R$ 4.470, 94) –  e o quarto maior no padrão de 20 horas. Na frente estão Araucária (R$ 2.415,31), São José dos Pinhais (R$ 2.235,47) e Pinhais (R$ 2.179,47).

Ar-condicionado- A educação é tratada com muita atenção por Chico Brasileiro. As salas das 50 escolas e 42 cmeis (centros de educação infantil) tem aparelhos de ar-condicionado. A prefeitura reformou, ampliou e construiu novas escolas e centros de educação. A proposta de Brasileiro será equiparar o número de cmeis ao das escolas até o final do seu governo.

Os 27 mil estudantes estão recebendo um auxílio, de R$ 80 e R$ 180, para compra de material escolar nas papelarias e lojas do setor em Foz do Iguaçu. Chico Brasileiro adianta que a prefeitura também vai fornecer um cartão-leitura para aquisição de livros pelos estudantes e deve ampliar ainda este ano o ensino integral e a escola bilíngue. “Teremos o ensino da língua inglesa a partir do quarto ano do ensino fundamental. Em seguida, partiremos para o espanhol”, disse.

“Este projeto da escola bilíngue – espanhol e inglês – está no plano municipal da educação. O que estamos fazendo agora é a contínua estruturação na área – com a construção, reconstrução, reforma e ampliação de escolas e centros de educação infantil – para a eficiência da proposta pedagógica do plano municipal de educação”, completou.

Nas reuniões em cinco regiões do Orçamento Participativo para este ano, das 32 obras elencadas pelos moradores que demandarão investimentos de R$ 50 milhões, 22 são de construção e melhorias nas unidades de ensino.

Prefeito Chico Brasileiro deve antecipar retorno das férias

O prefeito Chico Brasileiro (PSD), de férias desde o dia 1° de janeiro, deve reassumir a prefeitura de Foz do Iguaçu nesta quarta-feira (12), dois dias antes do previsto.

Desde o início do ano, a cidade era comandada pelo vice-prefeito, o delegado Francisco Sampaio (PSD), que ficaria no cargo até a sexta-feira (14).