Com avanço de 3,3%, indústria do Paraná tem o terceiro maior crescimento do País em julho

O Paraná foi o terceiro Estado do País com maior crescimento na produção industrial em julho. O avanço foi de 3,3% de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal-Regional (PIM-PF-Regional), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta quinta-feira (09) – apenas Bahia (6,7%) e Espírito Santo (3,7%) tiveram desempenho superior no período. Em relação à Região Sul, Santa Catarina (-1,5%) e Rio Grande do Sul (-1,7%) apresentaram retração, acompanhando a média brasileira, que ficou em -1,3% no mesmo recorte.

“Esses números são relevantes porque reforçam uma vez mais que as medidas tomadas pelo Governo do Estado para reaquecer a economia em razão da pandemia da Covid-19 surtiram efeitos. A retomada está realmente acontecendo, com a abertura de mais de 132 mil empregos com carteira assinada no ano e mais de R$ 50 bilhões em investimentos privados desde 2019,” destacou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

No comparativo com julho do ano passado, um dos períodos mais severos da pandemia, o crescimento da indústria paranaense foi de 8,2%, novamente o terceiro melhor resultado do País, atrás somente de Espírito Santo (9,4%) e Minas Gerais (8,6%).

Já no acumulado dos últimos 12 meses (agosto de 2020 a julho de 2021), o Estado também apresentou resultado positivo, com crescimento de 11,5% em relação ao período exatamente anterior (julho de 2019 a agosto de 2020), o sexto principal desempenho do Brasil.

“Além de incentivar a chegada de novos investidores, nós como Estado buscamos favorecer, acabando com a burocratização da máquina pública, o que facilita a tomada de ações. O Paraná tem um bom ambiente para atrair investimentos”, ressaltou Ratinho Junior.

MÊS A MÊS – Segundo o levantamento mensal do IBGE (variação entre julho de 2020 e de 2021), o crescimento foi impulsionado pelos bons resultados da fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (83%); máquinas e equipamentos (52,6%), produtos de metal (18,5%), celulose, papel e produtos de papel (6,8%), produtos de minerais não-metálicos (3,9%) e produtos de madeira (2,9%).

O incremento em julho acompanha uma série de bons resultados do Paraná ao longo dos últimos períodos analisados. Mês a mês, sempre em relação ao mesmo recorte do ano anterior, a expansão industrial foi de 8,2% em julho/2021; 7,5% em junho/2021; 23% em maio/2021; 54,3% em abril/2021; 16,9% em março/2021; 3,5% em fevereiro/2021; e 11,5% em janeiro/2021.

NACIONAL – Com a queda de 1,3% da indústria nacional de junho para julho de 2021, na série com ajuste sazonal, sete dos 15 locais pesquisados pelo IBGE apresentaram taxas negativas, com destaque para o Amazonas (-14,4%). São Paulo (-2,9%), Minas Gerais (-2,6%), Pará (-2,0%), Rio Grande do Sul (-1,7%), Santa Catarina (-1,5%) e Rio de Janeiro (-1,4%) completaram o conjunto de locais com recuo na produção nesse mês.

Já a Bahia (6,7%) apontou a maior alta nesse mês. Espírito Santo (3,7%), Região Nordeste (3,4%), Paraná (3,3%), Pernambuco (2,5%), Ceará (1,5%), Mato Grosso (1,1%) e Goiás (0,8%) assinalaram os demais resultados positivos.

Na comparação com julho de 2020, o setor industrial nacional cresceu 1,2%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cataratas do Iguaçu estão entre os 12 lugares mais lindos do mundo

A empresa de viagens britânica Kuoni classificou os 12 lugares mais lindo do mundo, entre eles, as Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu. Para a escolha, a empresa se utilizou da ciência.

Por meio de rastreamento ocular e inteligência artificial, a Kuoni classificou os que seriam os locais mais atraentes ao olho humano. No Brasil, a lista foi divulgada pelo portal Melhores Destinos. Segundo a ciência, esse seria o resultado:

1 – Lago Peyto, no Canadá
2 – Ilha Meeru – Maldivas
3 – Costa Jurássica – Inglaterra
4. Parque Nacional Yosemite – Estados Unidos
5 – Lago Tekapo – Nova Zelândia
6 – Cataratas do Niágara – Canadá
7 – Snowdon – País de Gales
8 – Rio Subterrâneo Puerto Princesa – Filipinas
9 – Catedral de Mármore – Chile
10 – Floresta Nacional de El Yunque – Porto Rico
11 – Aurora Boreal – Islândia
12 – Cataratas do Iguaçu – Brasil

Convênio entre Itaipu e Visit Iguassu prevê R$ 2,3 milhões em investimentos no turismo

A Itaipu Binacional e o Visit Iguassu firmaram um convênio no valor de R$ 2,3 milhões, no final do ano passado, para a promoção e a divulgação do Destino Iguaçu. A ideia é, por meio dessa parceria de três anos, atrair mais turistas, aumentar o número de permanência desses visitantes no Destino Iguaçu, gerar mais empregos e movimentar toda a economia local.

“O apoio ao turismo, principal segmento econômico da fronteira do Brasil com o Paraguai e a Argentina, faz parte da missão da Itaipu Binacional”, justifica o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira. O plano de trabalho desse convênio vem sendo elaborado desde abril de 2021. Com a pandemia, o turismo foi um dos setores mais prejudicados. A Itaipu e parceiros têm feito uma grande ação conjunta para evitar mais sobressaltos no setor.

Entre as iniciativas previstas no convênio estão a participação em feiras, a captação de eventos e o fortalecimento institucional da Gestão Integrada do Turismo de Foz do Iguaçu, com maior suporte às entidades parceiras, e a criação de uma estrutura de comunicação social para dar visibilidade permanente ao Destino.

Os recursos, por exemplo, serão empregados na melhoria do site do Destino Iguaçu, no impulsionamento de notícias (marketing digital) e na renovação do banco de imagens dos atrativos de Foz, como as Cataratas do Iguaçu e da própria usina de Itaipu, entre outros.

De forma inclusiva e participativa, a proposta é atender os pleitos de todas as instituições representativas da Gestão Integrada. Os investimentos serão usados ao longo de três anos.

“A gestão desses recursos vai seguir um planejamento focado em promover Foz do Iguaçu como destino turístico seguro para lazer, negócios e eventos e, assim, gerar um incremento sustentável do fluxo turístico”, explica o presidente do Visit Iguassu, Felipe Gonzalez.

Ele lembra que desse modo, Foz do Iguaçu terá todas as condições de obter melhor posicionamento entre os demais destinos turísticos nacionais e internacionais. “É mais uma força-tarefa para contribuir com o desenvolvimento socioeconômico da região”, reforça.

Ainda, de acordo com Gonzalez, é preciso muita responsabilidade para fazer a gestão de um recurso como esse. “Não se trata de um montante qualquer. Vale destacar que a parcela voltada captação de eventos não é grande. Ela representa 10% do valor total do convênio para os três anos de execução”.

O presidente ainda agradece a oportunidade e a união entre as entidades. “Todo recurso é muito bem-vindo para complementar as ações já planejadas com os nossos associados”, completou. “Vamos utilizar a estrutura corporativa e nossa expertise para manter os alinhamentos com as demais instituições”.

O Visit Iguassu foi escolhido para o convênio pela experiência. A instituição se compromete a fazer “um trabalho árduo para que a execução desse convênio siga à risca os objetivos pré-estabelecidos dentro de um planejamento que venha a honrar a todo o turismo de Foz”, segundo a presidência da entidade.

A contrapartida das instituições é complementar com recursos financeiros, apoio de equipe ou mesmo estrutura, para a realização das metas estabelecidas no termo de convênio.

Assessoria Itaipu Binacional/ Foto: Rubens Fraulini