Coluna Boca Maldita de segunda, 19

Maior espaço público de esporte é reinaugurado em Curitiba

Dia D
Ou, o dia do divisor de águas. É assim que o 7 de abril é aguardado no mundo político do Paraná. É nesta data que uem vai, vai, quem não vai, fica onde está. Em função disto, as especulações maiores são em relação ao governador Beto Richa (PSDB), que deve decidir entre permanecer no governo ou renunciar, para poder disputar uma das duas vagas ao Senado que estarão abertas este ano. Em entrevista a imprensa, Richa reafirmou não descartar permanecer no governo até o final do mandato, em dezembro, e “se aposentar” da política.

Como fica
Como bem ficou claro na nota anterior, o 7 de abril é crucial para os planos imediatos da vice-governadora Cida Borghetti (PP) e o deputado estadual Ratinho Junior (PSD). A permanência de Beto no governo favorece Ratinho Junior. A saída, favorece Cida, que assume em definitivo e reforça seu projeto eleitoral.

Sem chance
“Requião se filiaria à sigla para se candidatar como vice de Lula. Se o ex-presidente for impedido, Requião assumiria a cabeça de chapa. O projeto já foi abortado por sofrer resistências na sigla. O ex-prefeito Fernando Haddad voltou a ser considerado.” Da Coluna do Estadão, revelando as agruras do PT diante do quadro que se instalou na política nacional.

Temer quer
Agora vai. O presidente Michel Temer (MDB) já começou a avisar os interlocutores que está disposto a disputar a reeleição presidencial. Os baixos índices de aprovação do seu governo, algo em torno de 6% segundo o último Ibope, não serão empecilho. Ninguém melhor que ele para defender seu legado e a própria honra, afirma. Então tá!

Em alta
O campo, como sempre, garantindo boas notícias para o Paraná. A agropecuária teve, em 2017, o melhor desempenho em quatro anos. A safra recorde de grãos e o bom resultado da pecuária fizeram o PIB do setor crescer 11,5% no ano passado. Sozinha, a agropecuária adicionou R$ 35,9 bilhões à economia do Estado, de acordo com o Ipardes.

Em alta II
A agropecuária, um dos principais responsáveis pelo fim da recessão no Paraná, respondeu por 9,8% do PIB do Estado em 2017. No Brasil, o setor primário respondeu por 5,3%, anotou a imprensa nacional.

Outras datas
O juiz Sérgio Moro não quer prejudicar as testemunhas de defesa do ex-presidente Lula (PT) sejam impedidas de assistir os primeiros da Seleção Brasileira, na Copa do Mundo de Futebol. Moro determinou que secretaria da 13ª Vara Federal da Justiça do Paraná remarque os depoimentos marcados dias 22 e 27 de junho. Nestes dias a Seleção Canarinho enfrenta a Costa Rica e Sérvia, respectivamente.

Sem curso
O Ministério das Cidades anunciou, sábado (17), que será revogada a resolução do Contran que tornava obrigatória a realização e aprovação em curso de aperfeiçoamento para motoristas renovarem a carteira nacional de habilitação (CNH). Segundo a pasta, a revogação acontecerá no próximo dia útil, adianta o Diário do Poder.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Senador Alvaro Dias é o novo Presidente do Podemos no Paraná

Senador Alvaro Dias é o novo Presidente do Podemos no Paraná, Ele foi eleito por aclamação com a presença das lideranças regionais e nacionais.

Na manhã desta terça-feira(25), em Curitiba, na presença dos Senadores Oriovisto Guimarães e Flávio Arns, da Presidente Nacional do Podemos, Deputada Renata Abreu, do Pré Candidato à Presidência da República, Sergio Moro, do Vice Presidente da Sigla no Paraná, Deltan Dallagnol, e do Secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano, Augustinho Zucchi, do Depurado Estadual Galo, e de outras lideranças nacionais e do Paraná do Partido, Vereadores e Prefeitos, os membros executivos do Podemos no Estado do Paraná.

Comida Boa a Gente Doa: PL de Giacobo avança no combate à fome

 

Com o objetivo de contribuir com a luta contra a fome no país, o deputado federal Giacobo (PL) protocolou na Câmara dos Deputados o projeto de lei 4163/2021. A proposição visa aperfeiçoar o Banco Solidário de Alimentos, que ganhará o slogan “Comida Boa a Gente Doa”, e será instituído por lei federal, incentivando ações em prol do aproveitamento de alimentos junto às Ceasas (Centrais de Abastecimento) do Brasil e concedendo benefício fiscal a doadores.

As ações tem o propósito de reduzir o descarte de alimentos não comercializados nas Ceasas para que aqueles que estejam aptos para o consumo humano sejam doados. A intenção é criar campanhas educativas para incentivar o reaproveitamento e doação desses alimentos. Os doadores não serão responsabilizados quanto aos alimentos doados, salvo em casos de dolo.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a insegurança alimentar grave atinge 10,3 milhões de brasileiros. Somente no estado do Paraná a estimativa é de que 250 mil pessoas integrem esse grupo.

A Companhia Nacional de Abastecimento – Conab, em 2020, destacou que as Ceasas movimentaram 16.351.854 t (dezesseis milhões, trezentos e cinquenta e um mil, oitocentas e cinquenta e quatro toneladas) de hortaliças e frutas, representando aproximadamente R$ 42,3 bilhões. Ou seja, grande parte dos alimentos consumidos pelos brasileiros passam pelas Ceasas.

“Nosso projeto cria o Banco Solidário de Alimentos por lei federal, ou seja, nós vamos ter Banco de Alimentos em todas as mais de 5 mil cidades do nosso Brasil. Se a fome tem nome, sobrenome, endereço e RG, o combate a ela também vai ter.”, enfatizou Giacobo.

O Banco Solidário de Alimentos – Comida Boa a Gente Boa passará a integrará a Rede Brasileira de Bancos de Alimentos, podendo agir em conjunto com as unidades localizadas dentro das Ceasas de todo o país para combater o desperdício e promover a doação de alimentos a quem mais precisa.

CASO DE SUCESSO NO DF

Nas Ceasas é comum observar elevado desperdício de alimentos ao final do dia. Um exemplo de ação bem-sucedida de combate a essa situação é o Programa Desperdício Zero da Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF). A iniciativa consiste na doação de alimentos fora dos padrões comerciais a instituições cadastradas e famílias em vulnerabilidade social.

As frutas, legumes e verduras que vão os lares e mesas dessas famílias e instituições estão próprias para o consumo humano e fazem a diferença. São produtos levemente danificados ou muito maduros, que costumavam ser descartados pelos agricultores e empresários que comercializam na Ceasa-DF.

Apenas em 2019, foram 323 toneladas de insumos que poderiam ter tido o Aterro Sanitário como destino, mas viraram refeições nutritivas a quem precisa nas 135 instituições cadastradas. Milhares de pessoas foram beneficiadas pelo programa. O Banco Solidário de Alimentos – Comida Boa a Gente Boa tem como objetivo priorizar as Ceasas de todo o país, por meio de coordenação do governo federal, evitando o desperdício e possibilitando a doação de alimentos não comercializados.

BENEFÍCIO FISCAL

Para tornar as doações mais atrativas, o projeto de lei contempla um novo benefício fiscal, que se assemelha a outras experiências exitosas, como o Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (PRONON) e o Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (PRONAS/PCD).

Pessoas físicas e pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real poderão deduzir do imposto sobre a renda os valores correspondentes a doações diretamente efetuados em prol de projetos de e ações de captação ou recepção e de distribuição gratuita de gêneros alimentícios executados por Bancos Solidários de Alimentos.

Essa medida reduzirá o custo das doações, contribuindo para o alcance dos objetivos do programa e, consequentemente, para mitigar a grave situação de insegurança alimentar por que passa o Brasil.