Cida repassa R$ 7,5 milhões para restaurantes populares em Toledo, Umuarama e Paranavaí

A governadora Cisa Boeghetti autorizou o repasse de R$ 7,5 milhões para construir, modernizar ou equipar restaurantes populares em Toledo, Umuarama e Paranavaí. Os restaurantes vão atender 20 mil pessoas e servirão cardápio completo: arroz, feijão, guarnição, saladas e carne, além de sobremesa e suco.

“É preciso proporcionar o acesso à alimentação saudável, estimular hábitos alimentares saudáveis, incentivar a utilização de alimentos in natura e o abastecimento por meio da agricultura familiar, pois são premissas importantes para assegurar melhoria da qualidade de vida e promoção da saúde da população”, disse Cida.

Em Toledo, o projeto implantado a partir de 2006 é composto pela cozinha social e sete restaurantes populares que fornecem diariamente 2,5 mil refeições à população, além de 10,5 mil refeições 5 mil lanches para a alimentação escolar em 25 unidades municipais, atendendo 18 mil pessoas todos os dias. O projeto totalizará um investimento de R$ 1,5 milhão, sendo R$ 1,45 milhão do Estado e contrapartida de R$ 50 mil do município.

Umuarama vai construir, implantar e equipar um restaurante popular para fornecimento de mil refeições por dia, com investimento de R$ 3,9 milhões. Do montante, R$ 3,48 milhões são do Estado e a contrapartida do município é de R$ 420 mil.

O projeto de Paranavaí prevê construir, implantar e equipar um Restaurante Popular para fornecer diariamente 500 refeições destinadas à população em risco de insegurança alimentar e de baixo poder aquisitivo, contribuindo para a melhoria da qualidade da alimentação e da saúde deste público, além de atenuar as dificuldades financeiras dos extratos sociais mais vulneráveis. Serão destinados R$ 2,7 milhões. São R$ 2,5 milhões do Estado e contrapartida de R$ 142 mil do município.

PROGRAMA – O objetivo é apoiar a implantação e a modernização de Restaurantes Populares, em municípios com no mínimo 80 mil habitantes, para produção e comercialização de refeições saudáveis a preços acessíveis. O suporte financeiro garantido pelo Estado é de até R$ 3,5 milhões para cada projeto. Desde a criação do programa, em 2017, foram firmados convênios para implantação de três restaurantes e reforma em outros 11, entre projetos concluídos, em andamento ou a iniciar. Os recursos destinados chegam a R$ 8,1 milhões.

Em outubro de 2017, o Governo do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, assinou um convênio com a Prefeitura de Curitiba para equipar e implantar o Restaurante Popular do Capanema e revitalizar outras quatro Unidades de Restaurantes Populares – Matriz, CIC, Sítio Cercado e Pinheirinho.

Com a inauguração do novo RP do Capanema, em janeiro de 2018, a prefeitura passou a fornecer 5,2 mil refeições diárias. O financiamento estadual para a unidade foi de R$ 935,7 mil, com uma contrapartida de R$ 30 mil do tesouro municipal. Atualmente, a população de Curitiba paga R$ 2 pela refeição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná confirma participação nas comemorações dos 200 anos de nascimento de Anita Garibaldi

A Associação Giuseppe Garibaldi confirmou nesta segunda-feira (04) a participação do Paraná nas ações de comemoração dos 200 anos de nascimento da heroína Anita Garibaldi, que ocorrerão em 2021 na Itália, no Uruguai e no Brasil.

O convite oficial aconteceu na sede da associação, em Curitiba, durante palestra do diretor do Instituto Cultural Anita Garibaldi, Adílcio Cadorin. O Instituto é um dos organizadores das comemorações no país.

A presidente da Garibaldi, Cida Borghetti, que recentemente esteve em Santa Catarina participando de eventos semelhantes em Florianópolis e Laguna, agradeceu o convite e garantiu uma participação comprometida da Associação e da diretoria da entidade.

“Anita é uma mulher reconhecida pelas suas bravuras aqui no Brasil e na Itália. Por onde passou deixou uma marca importante. Estamos honrados com o convite e estamos dispostos a colaborar com este belo e importante projeto”.

Cida também agradeceu a palestra realizada por Cadorin que fez um resgate histórico e narrou diversas curiosidades da vida Anita Garibaldi. “Uma história que merece ser contada. Uma homenagem a Anita Garibaldi e a todas as famílias de descendentes italianos que vivem aqui no sul do país”, acrescentou.

Rosa

O cônsul-geral da Itália no Paraná e Santa Catarina, Rafaelle Festa, que também é um dos idealizadores do projeto, agradeceu o envolvimento da Associação Giuseppe Garibaldi.

“Resolvemos começar desde agora a celebrar o aniversário desta heroína. Graças ao envolvimento de todos, conseguimos uma parceria com a Itália e vamos recuperar a memória e ligação histórica com Anita Garibaldi”.

De acordo com o cônsul, as festividades de 2021 começarão com um gesto simbólico que se chama uma ‘Rosa para Anita’. Rosa para Anita é uma  iniciativa do Museu e Biblioteca Renzi, de San Giovanni in Galilea.

Foi desenvolvida uma muda híbrida de rosa batizada de “Anita Garibaldi”, a planta foi doada Instituto Técnico Garibaldi-Da Vinci, de Cesena. No Brasil a muda está sendo cultivada no laboratório da Unisul em Santa Catarina.

“Uma semente será trazida aqui para o Brasil e ficará no Jardim da Associação Garibaldi. Um gesto simbólico do espírito da liberdade e democracia”.

Curitiba

De acordo com o assessor de relações internacionais da orefeitura de Curitiba, Rodolpho Zannin Feijó, o Palácio Garibaldi o evento vem reforçar a importância e a relevância da comunidade italiana na vida cultural, histórica e política de Curitiba e do Brasil.

“A prefeitura de Curitiba apoia este evento, apoia essa iniciativa e se coloca à disposição também para levar adiante e plantar a semente da “Rosa pela Anita” e multiplicar todos os seus ideais de justiça e igualdade social na cidade de Curitiba”.

Palestra

“Dois Mundos e Uma Rosa para Anita” foi o projeto apresentado por Aldício Cadorin, um dos grandes estudiosos de Anita Garibaldi.

Cadorin detalhou diversos episódios da vida e da obra daquela que é chamada de heroína dos dois mundos por sua participação em batalhas históricas no Brasil e na Itália.

“Este grande projeto vai envolver quatro países e agora também conta com a presença do Paraná. Há muita boa vontade de toda a equipe do Palácio Garibaldi. Uma grande responsabilidade”, afirmou o palestrante.

Cadorin falou também dos sete sepultamentos da ilustre catarinense, com a projeção de imagens originais.

Presenças

Estiveram também presentes o vice-presidente da Câmara de Comércio França-Brasil, Alain Tissier, e diretores e sócios da Associação Giuseppe Garibaldi.

Outubro Rosa: Palácio Garibaldi sedia evento para arrecadar recursos ao HC

Com objetivo de conscientizar sobre o câncer de mama e arrecadar recursos para o Hospital das Clínicas (HC), o Palácio Garibaldi recebe no domingo (20) o evento “Tecendo Solidariedade – artesanato e cultura”.

Das 10h às 15h, os jardins e salões do centenário palácio, localizado  no centro histórico de Curitiba, receberão um bazar do projeto “Tecendo Solidariedade”, apresentações culturais e palestras sobre os hábitos que podem afastar os riscos do câncer de mama.

Serão colocadas à venda peças produzidas por voluntárias com a participação de pacientes do Centro de Mama do HC. Toda a renda será doada aos Amigos do HC.

“É uma satisfação para a direção da Sociedade Giuseppe Garibaldi receber esse evento beneficente. A boa informação aliada com a prevenção são ferramentas essenciais para o combate à doença”, afirma a presidente da entidade, Cida Borghetti.

Cida Borghetti é uma das principais referências no país em ações de combate ao câncer de mama. Quando deputada federal articulou os recursos para a aquisição de quatro Centros de Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Mama, um deles está instalado no HC.

PROJETO – O “Tecendo Solidariedade” foi idealizado e criado pela médica radiologista do HC, dra Maria Helena Louveira, que utiliza o valor terapêutico do artesanato para reduzir sentimentos como medo, solidão e angústia de pacientes e acompanhantes.

“Pensamos em oferecer a essas mulheres a oportunidade de aprender e de colocar na sua prática diária pequenas atividades com crochê. Ensinamos, incentivamos, orientamos e, finalmente, demos vida as peças produzidas por elas em peças de artesanato, como almofadas e mantas”, explica Louveira.

“Os relatos das pacientes surpreenderam: muitas melhoraram a qualidade sono, ficaram mais calmas e aceitaram melhor a doença e o tratamento. Também houve melhora no ambiente da recepção. Elas passaram a se comunicar entre elas e a criar vínculos de amizade, já que tinham um assunto em comum: o artesanato”, acrescenta.