Cascavel exporta R$ 1,4 bilhão em semestre histórico

Cascavel assumiu o protagonismo no cenário nacional em diferentes segmentos e apresenta indicadores de primeiro mundo e, com isso, se tornou uma das melhores cidades do Brasil para se investir e morar. Os números da economia mostram esse novo bom momento. No primeiro semestre de 2021, por exemplo, a cidade exportou US$ 261,1 milhões, o que representa R$ 1,4 bilhão, um recorde histórico. Cascavel é responsável por mais de 25% das exportações da região Oeste do Paraná.

O agronegócio é o setor que tem se destacado no mercado internacional. De acordo com os números, carnes e miudezas são o carro-chefe das exportações e representam 60,1% de tudo o que é comercializado pelas empresas locais no exterior. Depois aparecem as sementes e frutos oleaginosas, que respondem por 23,9% e, na sequência, estão os adubos com 10,4%.

O prefeito Leonaldo Paranhos destaca a marca extraordinária das exportações. “Isso quer dizer que estamos no caminho certo, consolidando uma referência no Brasil, nas exportações de produtos. Isso é resultado de um conjunto de ações. Nós temos o principal, o DNA da produção. Somos um espaço onde mais se produz por metro quadrado, mas tudo isso precisa de ações da prefeitura, dos segmentos organizados, das cooperativas, da mão de obra que faz com que a gente consiga ter essa capacidade extraordinária”, diz.

Paranhos destaca ainda que Cascavel já tem exportado produtos com valor agregado, mas ressalta que é preciso avançar ainda mais. “Uma coisa é você tirar uma laranja de um pé e exportar a laranja. Outra coisa é tirar a laranja, transformá-la em suco ou doce, agregando valor. Com isso ganha-se mais na questão financeira e gera emprego e renda, mais oportunidades”, exemplifica.

Valor agregado – O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, afirma que Cascavel tem se destacado muito na exportação de produtos, inclusive com valores agregados e destaca que a melhor performance é da exportação de carne. Ele ressalta que o valor agregado traz geração de emprego, aumenta a arrecadação de tributos e a produção se transforma em uma cadeia onde todos ganham.

Dilvo Grolli afirma que os números são fantásticos e espelham uma realidade local. “Cascavel é uma cidade líder, não só como como a cidade com maior população, mas como cidade com empreendedores de visão global”

Para o vice-presidente da Acic, Assis Marcos Gurgacz, a liderança regional na exportação demonstra a força do agronegócio de Cascavel e a economia local se fortalece. “Esses valores certamente vão voltar ao comércio, porque com essas vendas, essa receita é distribuída na casa das pessoas que aqui moram”, afirma.

Gurgacz diz que Cascavel por ser uma cidade que se destaca no cenário nacional, atrai grandes profissionais para a região que acabam trazendo seus conhecimentos para aplicar na cidade. “Aqui temos grandes empresas e grandes laboratórios que buscam grandes produtos. Então Cascavel é referência, é um grande produtor, e não exporta apenas matéria-prima, mas já produtos agregados e tecnologias”, enfatiza.

Principais destinos das exportações de Cascavel

  • China…………………US$ 104,9 milhões
    – Paraguai……………..US$ 32,4 milhões
    – Alemanha…………..US$ 15,1 milhões
  • África do Sul………US$ 11,9 milhões
  • Reino Unido……….US$ 11,1 milhões
  • Uruguai……………..US$ 10,9 milhõesv

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ponta Grossa volta a exigir máscaras

A prefeitura de Ponta Grossa voltou a obrigar o uso de máscaras contra a covid-19 em ambientes abertos. O uso do artefato foi suspenso desde 1º de novembro. As novas medidas – uso de máscara, distanciamento social e a higiene das mãos – contra o coronavírus já estão valendo.

Paranhos determina busca ativa de quem não tomou vacina

O prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos (PSC), determinou a Secretaria de Saúde a busca ativa, principalmente de jovens, de quem não tomou a vacina contra a covid. São 10 mil doses que podem ser perdidas se não aplicadas a tempo. Em Foz do Iguaçu serão pagos até 28 dezembro, R$ 90,5 milhões, em valores brutos, referentes às folhas de novembro e dezembro, retroativos de progressões e promoções, o 13º salário e o terço de férias dos professores e demais servidores que têm esse direito.