Câmara aprova texto-base de MP da privatização da Eletrobras

Brasil

URL curta

Na terça-feira (19), a Câmara dos Deputados do Brasil aprovou por 313 votos a 166 o texto-base de Medida Provisória (MP) que pode abrir caminho para a privatização da Eletrobras.

A discussão na Câmara ainda precisa analisar os destaques sobre a proposta antes de encaminhá-la ao Senado Federal. A MP já estava em vigor desde 23 de fevereiro, mas ainda precisa da aprovação do Congresso Nacional para ser convertida em lei.

Mais cedo, partidos da oposição, contrários à proposta de privatização da Eletrobras, tentaram impedir a votação acionando o Supremo Tribunal Federal (STF). O pedido, porém, foi negado.

A estatal de energia tem 60% de suas ações controladas pela União. Desde a publicação da MP, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está autorizado a realizar os estudos necessários para a privatização da empresa.

Movimentação em escritório da Eletrobras na região central do Rio de Janeiro, em 9 de agosto de 2019

A proposta aprovada na Câmara aponta, entre outras coisas, que o aumento do capital social da empresa será feito através da oferta pública de ações; que a participação de cada acionista ou grupo de acionistas não poderá ser maior que 10%; e que a União terá a chamada “golden share”, ação preferencial com poder de veto em deliberações sobre o estatuto da empresa.

A promessa de privatização da empresa é um objetivo antigo do governo do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, mas vinha esbarrando em entraves políticos.

com informações da Agência Sputink

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deputados querem participar de análise do novo pedágio

Os deputados da Frente Parlamentar sobre os Pedágios encaminharam requerimento ao TCU (Tribunal de Contas da União) pedindo para participar da análise da futura concessão de rodovias que cortam o Paraná. O processo foi entregue ao órgão de controle em novembro pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e Ministério da Infraestrutura.

Pastor antivacina morre após ser hospitalizado por Covid-19

O pastor americano Marcus Lamb, conhecido por suas pregações contra as vacinas da Covid19, morreu depois de ser hospitalizado com Covid-19, anunciou sua família ontem, segundo informações da CNN. Marcus costumava se manifestar contra as vacinas em seu programa televiso. Em um episódio no início deste ano com os ativistas antivacinas Robert F. Kennedy Jr. e Del Bigtree, Lamb disse que a vacina Covid-19 “não era realmente uma vacina”, mas uma “injeção experimental” que era “perigosa. Marcus Lamb alegou que pessoas estavam morrendo ou tendo distúrbios neurológicos por causa da vacina.

Sua esposa, Joni Lamb, anunciou a morte. Segundo ela, seu marido tinha diabetes, mas era saudável e foi hospitalizado após ser diagnosticado com Covid-19. “Ele nunca falava sobre isso, mas tinha diabetes, mas controlava. Ele era muito saudável, comia saudável, mantinha o peso baixo e sempre mantinha o açúcar em bom nível. Mas tentando tratar Covid e a pneumonia, os diferentes protocolos usados, incluindo muitos dos protocolos de que falamos aqui no Daystar, e usamos esses, e eu os usei e passei por Covid.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA afirmam que as vacinas da Covid-19 “são seguras e eficazes” e que quaisquer eventos adversos após a vacinação “são raros, mas podem ocorrer”. Pessoas que não foram vacinadas contra Covid-19 tinham 11 vezes mais chances de morrer da doença e 10 vezes mais chances de serem hospitalizadas com a doença, de acordo com um estudo publicado pelo CDC.