Barreira na Ponte da Amizade pode impedir que nova cepa chegue ao Paraná via Paraguai

Foz do Iguaçu se antecipou novamente ao defender a instalação de barreiras sanitárias contra covid/coronvaírus na Ponte da Amizade. O pedido foi reforçado ao governo federal e já leva em conta três situações graves: explosão de casos no Paraguai, colapsando o sistema de saúde do país; a quarentena rigorosa por nove dias na Argentina decretada pelo presidente Alberto Fernández; e a proibição do governo de barrar nos aeroportos de passageiros estrangeiros de voos com origem ou passagem pela Índia, Reino Unido, Irlanda do Norte e África do Sul.

O Ministério da Saúde anunciou que vai instalar barreiras sanitárias em portos e aeroportos para prevenir a entrada de novas variantes do coronavírus. A instalação da triagem alcança rodoviárias e rodovias e foi proposta pela prefeitura de São Paulo. O objetivo é evitar que novas variantes do coronavírus se espalhem pelo país. A maior preocupação é com a cepa identificada na Índia.

Mais de 800 indianos residem no Paraguai, principalmente em Ciudad del Este, fronteira com Foz do Iguaçu. O prefeito Chico Brasileiro já havia alertado sobre a situação há duas semanas durante audiência no Ministério de Saúde. Desde então, os casos no Paraguai explodiram e o Brasil vive sob iminência de circulação da cepa indiana no país.

Preocupação
As novas variantes também preocupam o governador do Paraná, Ratinho Junior. Durante entrevista à imprensa nesta sexta-feira, 21, o governador externou essa preocupação com as fronteiras secas com com outros países e com o Porto de Paranaguá. 

Ratinho Junior aponta para atenção especial às barreiras sanitárias nestes locais, o que já vem sendo defendido por Chico Brasileiro na fronteira com o Paraguai. “A Secretaria (Estadual) de Saúde está monitorando”, disse ao responder sobre a possibilidade de entrada da cepa do vírus no Paraná.

“Ontem (quinta-feira, 20) tive reunião com o secretário Beto Preto. Existe uma preocupação. Porque também tem uma variante da Argentina e nós fazemos fronteira com a Argentina, apesar que lá estar fechado”, ressaltou. Além disto, o Estado implantou protocolo de controle no Porto de Paranaguá, “desde o início da pandemia”, recordou.

“Tanto é que tivemos poucos casos no Porto de Paranaguá, graças ao protocolo muito rígido que foi feito através da direção do Porto de Paranaguá”, disse. Além dos critérios já adotados, o Paraná vai continuar não vigilante e “torcendo para que essa cepa não se propague como a da Amazônia, que infelizmente trouxe uma segunda onda muito forte”, completou.

Novas variantes
Chico Brasileiro já reforçou na segunda-feira (17) aos ministérios da Saúde, das Relações Exteriores e da Defesa, o pedido para instalação de barreiras sanitárias na Ponte da Amizade. A preocupação é com a circulação de pessoas de países e regiões com aumento exponencial da covid e com novas variantes do coronavírus.

Brasileiro citou a decisão de Brasília que proibiu o pouso de aviões provenientes da Índia, entre outros países, no território nacional. “Não se trata de fechar a ponte e impedir o trânsito entre os países, queremos ampliar o controle sanitário, mobilizando agentes de órgãos federais e do município”.

No Paraguai, com aproximadamente sete milhões de habitantes, os casos de covid explodiram e colapsaram o sistema de saúde. Só nos primeiros meses deste ano, o total de mortes pela doença passou de cinco mil, mais que o dobro das 2.262 mortes de todo o ano passado, lembra Chico Brasileiro.

Na quinta-feira (20), a prefeitura de Foz do Iguaçu fechou uma parceria com a Secretaria Estadual de Segurança, que disponibilizou efetivos da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros em apoio à barreira sanitária na ponte. A colaboração foi firmada em reunião com o secretário Rômulo Marinho Soares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Multinacional busca recém-formados para programa de trainee focado em diversidade; salário é de R$ 10 mil

Uma multinacional do ramo de alimentos está com inscrições abertas até 4 de fevereiro para programa de trainee focado em diversidade direcionando todas as vagas para minorias dos grupos LGBTQIA+, étnico-racial, pessoas com deficiência e mulheres.

O programa tem duração de 20 meses e ao final do processo seletivo os candidatos serão alocados em uma das cidades participantes que são: CuritibaSão Paulo ou Vitória de Santo AntãoO salário oferecido é de R$ 10 mil.

As inscrições podem ser feitas pelo site do processo seletivo. O início do programa está previsto para março deste ano. O número de vagas disponível não foi divulgado.

Foto: Prefeitura de Jundiaí/Divulgação

Itaipu sediará a primeira Conferência Global sobre Água e Energia em 2022

A Itaipu Binacional irá sediar a primeira Conferência Global sobre Água e Energia em 2022. A proposta foi anunciada e aprovada nesta quinta-feira (20), durante a 5ª Reunião do Conselho Consultivo da Parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia, entre a Itaipu e o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (Undesa). Por conta dos protocolos de enfrentamento da pandemia de covid-19, a data do evento ainda está por ser confirmada.
A reunião contou com a participação dos diretores gerais da Itaipu, general João Francisco Ferreira (Brasil) e Manuel María Cáceres Cardozo (Paraguai); dos embaixadores de ambos os países junto à ONU, Ronaldo Costa Filho e Julio César Arriola Ramírez; e representantes das diversas instituições que fazem parte da iniciativa.
O sub-secretário geral da ONU, Liu Zhenmin, enviou uma mensagem gravada em vídeo, em que agradeceu o apoio da Itaipu à iniciativa, e destacou realizações da parceria, como o anúncio dos Compromissos de Energia (Energy Compacts) durante o Fórum Político de Alto Nível, no último mês de setembro, e o evento realizado em parceria com a Undesa, durante a última Conferência do Clima (COP 26), em novembro, em Glasgow, na Escócia. “A Itaipu é um destacado líder global na implementação do Acordo de Paris e da Agenda 2030”, elogiou Zhenmin, ressaltando, também, a urgência de cooperação internacional para o cumprimento dessas agendas para reverter a crise climática.
A parceria entre Itaipu e Undesa teve início em 2018, com um plano trabalho de quatro anos. Apesar das limitações impostas pela pandemia, diversas metas foram atingidas, como: a criação da Rede Global de Soluções Sustentáveis em Água e Energia (que atualmente conta com 29 membros de todos os continentes); a implantação de uma plataforma para a disseminação de boas práticas na abordagem conjunta dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 6 (água) e 7 (energia); a produção de estudos de caso e relatórios; e a realização de seminários presenciais e webinars abordando diversos temas ligados a esses ODS.
Porém, em função da covid-19, a realização da conferência não foi possível. Assim, as instituições decidiram por estender a parceria neste ano de 2022, para a promoção do evento e de outras ações inicialmente previstas. A Conferência Global será realizada na Itaipu de forma binacional, com a participação de cerca de 300 pessoas de instituições de todo o mundo que trabalham com água e energia. A programação deverá incluir visitas de campo a projetos desenvolvidos pela Itaipu nas margens brasileira e paraguaia.
“Ao longo desses quatro anos, tivemos ações bem-sucedidas no compartilhamento de informações e boas práticas, que nos permitiram construir uma base que permitirá ações ainda mais efetivas ao longo de 2022, ampliando o alcance da Rede Global”, afirmou o diretor-geral brasileiro, general Ferreira. “A conferência será uma oportunidade para Itaipu reafirmar seu compromisso com o desenvolvimento sustentável na região e com a implementação da Agenda 2030 em parceria com organizações locais e internacionais”, completou o diretor-geral paraguaio, Manuel Cardozo.
Em suas mensagens, os embaixadores brasileiro e paraguaio destacaram o fato de Itaipu ser um projeto exitoso de cooperação binacional que, agora, contribui também no contexto multilateral da ONU, com ações efetivas na geração de energia limpa, e nos cuidados com o meio ambiente e com as pessoas. Também chamou a atenção dos diplomatas a expansão da rede global e os bons resultados alcançados apesar das restrições da pandemia.
A reunião do Conselho Consultivo da Parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia acontece anualmente para aprovação do plano de trabalho e recebimento de sugestões das instituições envolvidas. O evento desta quinta-feira, além das autoridades já nominadas, contou com a participação de Alexander Trepelkov, da Divisão para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Undesa; Haitian Lu, do escritório de Desenvolvimento de Capacidades da Undesa; Helena Felip Salazar, diretora-geral de Políticas Multilaterais, do Ministério de Relações Exteriores e coordenadora nacional da Comissão de ODS do Paraguai; Sheila Oparaocha, diretora executiva da Energia; Leena Srivastava, vice-diretora de Ciência da IIASA; Ricardo Andrade, diretor da Agência Nacional de Águas do Brasil; Manuel Menéndez Prieto, diretor-geral de Água do Ministério da Transição Ecológica da Espanha; María Haydée Jiménez, do Conselho Mundial de Energia; e Eddie Rich, diretor executivo da Associação Internacional de Hidroletricidade (IHA).

Saiba mais sobre a Rede Global:
https://www.un.org/en/waterenergynetwork

Imprensa de Itaipu
Foto: Sara Cheida/Itaipu.