Azul na ponta

Em março deste ano, a Azul foi a empresa com a maior participação no mercado doméstico, com 40,7%, e, entre as companhias com maior porcentagem em participação, a única a apresentar crescimento com alta de 11,2%, de acordo com os recentes dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Na sequência está Gol (32,3%) e Latam (26,4%), que apresentaram retração na demanda na comparação com o mesmo mês de 2020, de 40,8% e 53%, respectivamente. De acordo com a Anac, a pandemia continua causando impacto significativo no transporte aéreo. No mês passado, houve retração de 32,5% na demanda, medida em passageiros quilômetros pagos (RPK), por voos no mercado doméstico na comparação com o mesmo período de 2020. Na soma dos três primeiros meses de 2021, considerando a mesma comparação, a queda é de 32,4% no indicador.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Café paranaense

A estiagem prolongada nos últimos meses, agravada pelas altas temperaturas e chuvas escassas, vem preocupando os cafeicultores nos quase 7 mil hectares de café atendidos pela Capal Cooperativa Agroindustrial. A safra de café 2020/2021 evoluía satisfatoriamente por conta dos bons índices pluviométricos alcançados desde o ano passado, mas a tendência foi interrompida entre os meses de fevereiro e março, quando foi registrada a última chuva significativa da região. De acordo com dados do Simepar (Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná), o mês de abril apresentou o maior índice de seca dos últimos 23 anos (desde 1998) em diversas cidades do Paraná.

Produção de milho

A estiagem que marcou o mês de abril em grande parte do Centro-Sul do Brasil se agravou na primeira semana de maio, de acordo com levantamento da AgRural. Esse fato, aliado às previsões de continuidade do tempo seco, levou a consultoria a fazer um novo corte em sua estimativa de produção na safrinha 2021 de milho, que foi revisada na semana passada para clientes. Projetada em 73 milhões de toneladas em boletim divulgado em 19 de abril -quando foi feito um corte de 2,4 milhões de toneladas em relação a março-, a produção do Centro-Sul é estimada agora em 65,1 milhões de toneladas. O número baseia-se em área de 12,9 milhões de hectares, volume 6% superior à do ano passado e inalterada na comparação com abril e em produtividade média de 84,1 sacas por hectare – a menor desde 2018.