Aumentam prisões de motoristas por embriaguez ao volante em Curitiba

O número de prisões por embriaguez ao volante aumentou 3,4% em Curitiba no primeiro trimestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. O número passou de 117 para 121 prisões, conforme balanço do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), da Polícia Militar do Paraná, divulgado nesta sexta-feira (14).

Os dados mostram que no primeiro trimestre as equipes policiais atenderam 95 acidentes envolvendo condutores alcoolizados, com 33 pessoas feridas e uma morte. No mesmo período de 2020 os números foram um pouco maiores, com 103 acidentes e 38 feridos. Houve um óbito.

Em todo o ano de 2020 na Capital foram 496 acidentes, com 603 prisões por embriaguez ao volante, 1.150 notificações. Houve 169 feridos e quatro óbitos no local.

A divulgação do balanço pelo BPTran ocorre em meio a campanha educativa Maio Amarelo, sobre segurança no trânsito. Os dados buscam reforçar a conscientização de condutores em relação à responsabilidade no volante.

De acordo com a porta-voz da unidade, tenente Mayara Jaqueline Tonelli, a fiscalização dos policiais militares agentes de trânsito é constante, mesmo durante a pandemia, para inibir esse tipo de conduta que causa graves acidentes com mortes. “O respeito à legislação e o bom senso são primordiais para que o trânsito seja mais seguro. Temos atendido vários acidentes e, infelizmente, a irresponsabilidade sobre o uso de álcool na direção é constatada”, disse.

NOTIFICAÇÕES 

A fiscalização com equipes nas ruas em blitzes e abordagens resultou, somente no primeiro trimestre, em 283 notificações a motoristas flagrados sob influência de álcool (art. 165 do Código Brasileiro de Trânsito) e que se recusaram a fazer o teste com etilômetro (art. 165-A).

Além disso, 121 condutores acabaram presos por estarem com mais de 0,3 miligramas de álcool por litro de ar. Além do aumento no número de prisões, houve elevação também na lavratura de notificações, que foi de 7,6% – passando de 263 para 283.

EXAMES 

Durante as abordagens policiais foram realizados 2.692 exames etilométricos, dos quais 1.840 ocorreram durante blitzes e 852 em atendimentos a acidentes de trânsito, o que representa uma queda de 43,7% se comparado a 2020, com 4.788 testes.

Ainda segundo os dados estatísticos do BPTran, houve uma diminuição de 28,3% na recusa de condutores em fazer o teste etilométrico, se comparado ao primeiro trimestre de 2021: de 166 para 119. Do total dos primeiros meses deste ano, 29 foram após acidentes e 90 nas ações das equipes do Batalhão de Trânsito. Já no ano passado, 25 ocorreram durante acidentes de trânsito e 141 durante blitzes.

ANO PASSADO – Em todo o ano de 2020, o Batalhão de Polícia de Trânsito registrou queda de 21,06% nos acidentes de trânsito em Curitiba, se comparado a 2019 – de 6.132 para 4.840 casos. Deste total, em 496 foi constatada embriaguez ao volante. Isso representa uma diminuição de 20,2% em relação ao ano anterior, com 622 casos.

Nas 496 ocorrências de acidentes no trânsito ocasionados por embriaguez ao volante, quatro pessoas morreram, vítimas da imprudência por parte de condutores. Além disso, outras 169 pessoas ficaram feridas – 8,1%% a menos do que em 2019, quando foram 184 feridos e dois óbitos.

Mesmo durante a pandemia, o Batalhão de Trânsito intensificou as ações preventivas e de fiscalização urbana em Curitiba no ano passado. Com isso, 603 pessoas foram detidas por embriaguez ao volante, número 5,6% menor se comparado ao ano de 2019, quando foram 639.

Além disso, 1.150 condutores foram notificados em consonância com o artigo 165 e 165-A do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), dirigir sob influência de álcool ou outra substância psicoativa e quando o condutor se recusa a fazer o exame etilométrico. Isso representa uma queda de 45,7% comparado ao ano anterior, quando foram 2.118 notificações.

Durante as abordagens foram feitos 15.704 exames etilométricos, dos quais 11.907 ocorreram durante blitzes e 3.797 nos locais de acidentes de trânsito, o que representa uma queda de 19,6% se comparado ao ano de 2019, quando foram 19.555 testes de bafômetro no total.

No entanto, durante alguns meses de 2020, o número de exames registrados pelas equipes do BPTran foi superior ao mesmo mês de 2019, dentre eles janeiro (de 1.594 para 1.944), fevereiro (de 1.326 para 1.797), julho (de 1.811 para 2.081), setembro (de 1.258 para 1.634) e outubro (de 1.280 para 1.669).

Ainda segundo os dados estatísticos do BPTran, houve uma diminuição de 45,5% da recusa de condutores para fazer o teste de bafômetro – de 892 para 486. Deste total de 2020, 145 ocorreram durante acidentes de trânsito e 341 durante blitzes. Já em 2019, foram 155 após acidentes e 737 nas ações das equipes do Batalhão de Trânsito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nova onça-pintada é flagrada no Parque Nacional do Iguaçu

Uma nova onça-pintada foi flagrada no Parque Nacional do Iguaçu, na região de Foz do Iguaçu. O animal é um macho, aparentemente jovem.  A espécie que é ameaçada de extinção, é monitorada pelo Projeto Onças do Iguaçu. De acordo com coordenadora do projeto, Yara Barros o animal nunca havia sido registrado no Parque Nacional do Iguaçu, no Brasil e nem no Parque Nacional Iguazú (Argentina).
“A presença de novas onças, de uma nova população que está crescendo, que está se reproduzindo, significa um habitat que tem todos os requerimentos que a espécie precisa pra sobreviver. Então, sempre, novos filhotes, novas onças registradas, é sempre um sinal de esperança na recuperação da espécie. Esperança de que a gente possa realmente conservar essa espécie tão ameaçada de extinção”, disse Yara Barros.
A imagem da onça foi  capturada por uma das 60 armadilhas fotográficas do projeto, espelhadas pelo parque, Nela  é possível ver o animal andando pela mata e cheirando uma árvore chamada peroba-rosa, que segundo Yara, é uma planta utilizada por outras onças pardas e pintadas como arranhador.
As onças são identificadas por meio do padrão das manchas, que são únicas em cada animal, como se fosse uma impressão digital.
Por meio dos pontos de monitoramento entre Brasil e Argentina, foram coletadas 693 mil imagens, flagrantes que mostram como as onças se comportam longe da presença do homem.

Assessoria
Foto: reprodução

Filipe Barros anuncia pré-candidatura ao Governo do PR

arlamentar estará em Ponta Grossa nesta quinta-feira (27), se reunindo com lideranças da direita

O deputado federal do Paraná, Filipe Barros (PSL), anunciou sua pré-candidatura ao Governo do Paraná nas eleições deste ano. Ele é o quarto nome que se coloca à disposição para estar à frente do Estado. Parlamentar pela cidade de Londrina, Filipe estará em Ponta Grossa nesta quinta-feira (27), conversando com lideranças da direita – ele deve receber apoio do atual presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (PL).

Cumprindo seu primeiro mandato na Câmara dos Deputados, Filipe já ocupou uma cadeira na Câmara Municipal de Londrina entre 2016 e 2018. Em entrevista para um blog de política paranaense, o pré-candidato disse que tenta polarizar uma disputa com o atual governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD) – que deve tentar a reeleição. “O governador quer ter palanque para Moro, Lula e Bolsonaro. Não existe isso na política. O presidente Jair Bolsonaro me questionou se eu toparia sair como candidato a governador”, explicou.

Nos bastidores, Filipe Barros tem simpatia do líder do Governo Federal na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP), que pode indicar o vice na chapa de direita. Na entrevista, ele fez críticas ao atual governador. “Um dos piores, senão o pior governo da história do Paraná. Como um rato, ele se esconde. Ele não deixou legado no Estado”, ressaltou.

Apesar do anúncio, Filipe também chamou a atenção quando se colocou como candidato à Prefeitura de Londrina em 2020. Na ocasião, acabou recuando da decisão. O pré-candidato bolsonarista ao Governo do Estado também disse que deixará o Partido Social Liberal (PSL) – futuro União Brasil, com a junção com o Democratas. O União Brasil tem se aproximado do pré-candidato à presidência da República, Sergio Moro (Podemos).

Outros candidatos

Além de Filipe Barros, os outros nomes que devem concorrer para governador do Paraná são: Ratinho Junior (PSD), Cesar Silvestri Filho (PSDB) e Roberto Requião (sem partido).