Alterações em projeto da Perimetral Leste incluíram novos viadutos

Estruturas serão construídas nas avenidas Felipe Wandscheer e República e elevaram custo e prazo para conclusão

As alterações no projeto da Perimetral Leste, que vai interligar as pontes da Integração Brasil-Paraguai e Tancredo Neves (Argentina) com a BR-277 na saída de Foz do Iguaçu, incluíram a construção de dois novos viadutos. A informação foi confirmada no último sábado (18) pelo prefeito Chico Brasileiro. A via, de aproximadamente 15 quilômetros financiada pela Itaipu Binacional, terá acréscimo de recursos e novo prazo de conclusão.

O projeto foi alterado para melhorar o fluxo de caminhões e dos veículos nos cruzamentos de maior fluxo, disse Chico Brasileiro, no programa Foz em Ação. “O que antes ia ser uma passagem livre, ou seja, não ia ter viaduto e nem trincheiras, agora já está previsto viaduto nas duas”, destacou. O novo plano de obras foi detalhado na sexta-feira (17), em reunião na Acifi entre prefeitura, Itaipu, DER-PR, DNIT e Codefoz.

Após as explanações, prefeito e técnicos dos quatro órgão apontaram as dificuldades das duas avenidas, que ligam o centro à área rural, sem as interseções. “Aquela região está tendo um grande crescimento. Imagina se os carros tivessem que parar e esperar os caminhões atravessarem. Vai ser um grande fluxo de caminhões que poderia parar a cidade”, frisou.

Limites de Foz

Chico Brasileiro lembrou ainda que as duas avenidas fazem ainda a ligação com a Rua Itaboraí, já nos limites de Foz do Iguaçu com Santa Terezinha de Itaipu. “Isso foi um pedido porque a prefeitura está recebendo demandas na área. Já tem em torno de 12 encaminhamentos de condomínios e loteamentos para aquela região”.

O prefeito destacou que as mudanças ao projeto da Perimetral foram apresentadas ao Departamento de Estradas e Rodas (DER), responsável pela licitação e fiscalização da obra, e ao Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit). “E a Itaipu, que está aportando recursos para mais estas duas novas grandes obras. Porque isso aí não pode ser considerado a obra original, na verdade serão duas novas obras”.

“Serão dois novos, grandes viadutos, para realmente preparar a cidade para o futuro”, ressaltou. O investimento, incluindo a segunda ponte com o Paraguai, é uma das maiores obras do Brasil. “Se não for a maior obra hoje do país”, que está sendo executada com o apoio da Itaipu.

“Por isso que a gente sempre tem que estar mostrando à população a grandeza de tudo isso que está acontecendo e a esperança, o otimismo por Foz do Iguaçu exatamente porque, à medida que o setor público está investindo, chama atenção da iniciativa privada”, disse o prefeito.

Acompanhamento

O andamento dos trabalhos da Perimetral Leste foi abordado na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codefoz), na Acifi. Com as mudanças, devido desapropriações e novos viadutos, o investimento será de R$ 336 milhões. As mudanças serão aprovadas pelo conselho de administração da binacional.

O projeto inicial previa apenas um viaduto, no entroncamento com a Rodovia das Cataratas (BR-469), no acesso à Argentina. A perimetral deve ser concluída em meados de 2023.

A Ponte da Integração e a Perimetral integram o rol de obras estratégicas para o progresso regional financiadas pela Itaipu – que mobilizam atualmente cerca R$ 2,5 bilhões.

Procedimento

Segundo o diretor do DER-PR, Fernando Furiatti, nos próximos meses será feito um mutirão para a desapropriação de 56 propriedades na área entre a ponte e a Rodovia das Cataratas, o que vai permitir a evolução das obras naquele trecho.

“Vamos priorizar locais onde já temos a autorização dos proprietários para trabalhar”, explicou. As atividades também acontecem em outros pontos, como no acesso à Avenida General Meira e no viaduto que ligará à Ponte Tancredo Neves, na fronteira com a Argentina.

O superintendente de Obras e Desenvolvimento da Itaipu, Kléber da Silva, disse que o valor será superior ao previsto inicialmente. O aditivo ocorre, principalmente, por causa da valorização imobiliária das áreas em processo de desapropriação e das alterações, que o tornaram o projeto mais adequado às necessidades da comunidade local e dos órgãos alfandegários.

Link: https://www5.pmfi.pr.gov.br/noticia-48726

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ibama aceitou avaliar o estudo da nova Ferroeste com ramal até Foz

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aceitou avaliar o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) da Nova Ferroeste. O aviso foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) da última sexta-feira (21). A extensão dos trilhos vai ligar o Mato Grosso do Sul ao Paraná e prevê um ramal até Foz do Iguaçu, na fronteira do Brasil com Paraguai e Argentina.
A ampliação da ferrovia faz parte do processo de retomada da malha ferroviária e prevê a construção de uma estrada de ferro até Litoral do Paraná. A estrutura vai facilitar o escoamento das produções de grãos e carnes do Mato Grosso do Sul até o Porto de Paranaguá e até Santa Catarina, por meio dos municípios de Maracaju (MS), Cascavel e Foz do Iguaçu.
Ao todo, serão 1.304 quilômetros de trilhos – 76 quilômetros somente na parte sul-mato-grossense. “É uma ferrovia existente no Paraná e está incorporada no projeto que vai de Paranaguá até Maracaju. Recentemente nós tivemos a autorização da ligação de Dourados a Maracaju que passa a compor a ferrovia com um prazo aí de concessão de 99 anos”, disse o secretário de Produção, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro) do MS, Jaime Verruck.

Continue lendo em GDia

Secretaria de Turismo leva marca do Destino Iguaçu para feira de turismo em Madri, na Espanha

Além de estreitar laços com o mercado europeu, a participação no evento visa apresentar Foz como um destino cada vez mais diversificado e preparado

A Secretaria Municipal de Turismo e Projetos Estratégicos retomou as ações de promoção internacional do Destino Iguaçu em 2022. A pasta está representando o turismo de Foz do Iguaçu na Feira Internacional de Turismo de Madri (Fitur), na Espanha, que começou no último dia 19 e vai até 23 de janeiro.

O Destino Foz do Iguaçu é coexpositor no estande do Brasil, desenvolvido e organizado pela Embratur. A servidora Célia Andrade é a encarregada de apresentar os atrativos da cidade e destacar como Foz mantém um protocolo seguro contra o coronavírus, com todas as medidas necessárias sendo adotadas.

Outro importante objetivo é retomar e atualizar a rede de contatos, aproximando Foz do Iguaçu dos compradores internacionais de turismo da Europa. A cidade também conta com Eduardo Prinz, representante do Visit, que busca também fortalecer e potencializar as ações da gestão integrada do turismo de Foz do Iguaçu.

Os contatos durante o evento atendem diversas demandas do mercado, principalmente ao de atualizações junto aos DMCs (operadoras) no estande do Brasil, buscando informações e atualização. Um dos exemplos são os procedimentos de fronteira e trânsito de turistas entre Brasil e Argentina, atualização sobre novos atrativos, restaurantes, estrutura, serviços turísticos, documentação e atestados sanitários necessários para a entrada no Brasil, bem como informações gerais a respeito da recuperação do turismo nos dias atuais.

A Fitur abre o calendário anual de feiras de turismo no mundo, com 69 mil m² de exposição, distribuídos em sete pavilhões. A capital espanhola também é a sede da Organização Mundial de Turismo.

Parcerias europeias

Durante os dois primeiros dias de evento, além dos atendimentos do estande, Foz do Iguaçu teve a oportunidade de capacitar agentes de viagem, ao realizar uma apresentação do Destino Iguaçu.

Também pôde estabelecer diálogo com o departamento de marketing da Embaixada do Brasil em Madrid, com a finalidade de oportunizar disseminação de Informações pelos canais oficiais e fortalecer o relacionamento com a Embaixada, para atuar em futuras ações de promoção em parceria.

O secretário de Turismo e Projetos Estratégicos, Paulo Angeli, conta que a participação de Foz neste evento é essencial para que a cidade se posicione como um destino turístico mundial.

“Mesmo enfrentando uma nova onda de casos de Covid no país, seguimos todos os protocolos sanitários necessários e incentivamos a vacinação em massa. A participação de Foz do Iguaçu na feira em Madrid faz parte de uma avaliação da pasta, para termos um retorno positivo para o turismo da cidade”, ressalta Angeli.