Quatro milhões de paranaenses já receberam a primeira dose contra a Covid-19

Mais de 4 milhões de paranaenses já receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Foram 4.007.506 aplicadas até esta quinta-feira (24), o que significa que 38,36% da população do Estado já iniciou sua imunização.

O montante representa 75,48% das doses administradas no Paraná até então. No total, as 399 prefeituras aplicaram 5.308.694 doses, sendo as 1.301.188 D2 (24,52%), que garantem a eficácia completa na imunização. Com esse número o Estado alcançou 12,45% dos paranaenses totalmente imunizados.

“Comemoramos mais um importante marco na vacinação do Paraná. Contamos com a agilidade dos municípios para fazer com que a vacinação aconteça cada vez mais rapidamente, de acordo com a quantidade de doses que são encaminhadas pelo Ministério da Saúde. Reforço que vacina boa é aquela que vai para o braço da população”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

Entre as primeiras doses aplicadas, a maior parte (60%) foram fabricadas pela Fundação Oswaldo Cruz, na parceria com AstraZeneca e Universidade de Oxford. A Coronavac, do Instituto Butantan/Sinovac, representa 30,3% do total, e a Cominarty, da Pfizer/BioNTech, equivale a 9,6%.

Os dados são do Vacinômetro do Sistema Único de Saúde (SUS), mantido com dados contidos na Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) e atualizados em tempo real pelos municípios.

MUNICÍPIOS 

Curitiba lidera os municípios paranaenses que mais aplicaram a D1 em números absolutos. A Capital administrou 708.073 primeiras doses, e é seguida por Maringá (223.592), Londrina (192.736), Cascavel (121.426) e São José dos Pinhais (110.026).

Também em números absolutos, o grupo prioritário que mais recebeu a D1 foram as pessoas de 60 a 64 anos, com 1.333.466 doses aplicadas. Elas são seguidas pelo grupo das comorbidades (508.827), pessoas de 65 a 69 anos (424.025) e trabalhadores da saúde (420.672).

MÉDIA 

No Paraná, a média da velocidade de aplicação de vacinas na população está acima da brasileira tanto na primeira como na segunda dose. 

Segundo levantamento realizado pelo consórcio de veículos de imprensa, até a noite desta quarta-feira (23) o País havia vacinado 31,74% dos brasileiros, cerca de sete pontos percentuais abaixo da média paranaense (38,36%). 

Foto: Regional Cascavel/SESA

Com relação à D2, a média também é superior. No Brasil, 11,64% da população já receberam ambas as doses. O Paraná supera essa média em cerca de um ponto percentual (12,45%).

Em junho, o Paraná apresentou, até o dia 23, a melhor média diária de aplicação de doses desde o início da vacinação: foram 61.530 doses administradas por dia. A média de junho é 25,6% maior que a de abril, que até então havia sido o mês com mais doses aplicadas por dia, com 48.966 vacinas.

A média de aplicação entre 17 e 23 de junho foi a terceira maior dos últimos dois meses. A semana teve 373.989 doses aplicadas, uma média de 53.427 doses por dia. Ela está abaixo da semana entre 10 e 16 de junho, que aplicou 75.351 doses por dia; e da semana de 22 a 28 de abril, líder do período com 84.676 doses diárias.

JANSSEN 

Nesta quinta, o Paraná recebeu um novo lote de 439.340 vacinas contra Covid-19. Ele é composto por 91.250 doses da Janssen, braço farmacêutico da Johnson & Johnson, 136.890 da Pfizer/BioNtech e 211.200 da parceria Instituto Butantan/Sinovac. 

O diferencial da Janssen é que sua administração é feita em dose única. De acordo com o Ministério da Saúde, este primeiro lote pode ser usado até agosto. A vacina pode ser armazenada por pelo menos 3 meses, em temperaturas de 2°C a 8°C, equivalente a geladeiras normais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Uenp confirma retorno às aulas presenciais

As aulas presenciais na Uenp serão retomadas regularmente no próximo 7 de fevereiro, seguindo decisão dos conselhos superiores da universidade. A reitoria adiantou que a medida é válida para todos os cursos de graduação e pós-graduação nos três campi: Jacarezinho, Cornélio Procópio e Bandeirantes.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) lembra que é importante a adoção de todas as medidas sanitárias no combate à propagação da pandemia. “Os estudantes de todos os níveis de ensino devem ficar atentos à programação do curso e aos protocolos de biossegurança para evitar a proliferação da variante ômicron, que tem maior poder de transmissão”, alerta.

A reitora Fátima Padoan disse que a Uenp vai desenvolver atividades remotas de orientação pedagógica e sanitária para a comunidade universitária entre os dias 2 e 4 de fevereiro, para que os estudantes se preparem para o retorno presencial.

Em 2021, a Uenp já havia retomado as atividades presenciais dos cursos da área da Saúde, nos campi de Jacarezinho e Bandeirantes. Portanto, para os alunos deste segmento, as aulas presenciais recomeçam regularmente a partir do dia 2 de fevereiro.

Zé Boni pode ser o candidato de Bolsonaro ao senado no Paraná

José Maria Boni, 43 anos, é natural de Loanda (PR). Foi eleito vereador mais jovem do Brasil em Santa Cruz de Monte Castelo, no noroeste do Paraná, aos 18 anos, em 1996. Exerceu quatro mandatos consecutivos na Câmara da cidade. No governo do Paraná, atuou na Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) durante seis anos e na Casa Civil. O último cargo público que ocupou foi na Corregedoria da Assembleia Legislativa.