Prefeitura de Foz do Iguaçu vai vender imóveis sem função social

Áreas e terrenos ociosos serão colocados à venda pela prefeitura – lista não passa de 300 imóveis, segundo a Secretaria de Administração(Foto: Arquivo)
A prefeitura de Foz do Iguaçu vai ter para venda imóveis municipais ociosos que não podem ser usados ​​em projetos habitacionais, espaços de lazer (praças e campos de futebol) ou de uso comum (escolas, unidades de saúde, etc). Segundo o secretário municipal de administração, Nilton Bobato, uma lista não passa de 300 imóveis e não inclui reservas técnicas e áreas verdes de bairros ou de loteamentos.
“São áreas como a sede da Varig no Jardim Eliza, terrenos e imóveis alienados que não cumprem qualquer função social ou ambiental e geram despesas para o Município”, disse Bobato. 
Nos próximos dias, uma prefeitura vai publicar uma lista dos imóveis aptos à venda e o regulamento de todo processo de aquisição por parte de pessoa física ou jurídica. O regramento faz parte da lei 5.057 / 2021 que implanta o Programa de Aquisição de Imóvel (PAI). “O programa inverte a lógica da alienação de imóveis, ou seja, a iniciativa de compra partir do cidadão, que vai acessar um cadastro das áreas disponíveis e que pode comprá-la”, disse Bobato.
A diretora de Patrimônio e Almoxarifado, Eliane Sávio , disse que o programa é semelhante às cidades como São Paulo, que permite aos interessados ​​enviarem propostas para adquirirem ativos. Em nível federal, o sistema funciona por meio do portal Vendas.gov.
Outra novidade é que o laudo de avaliação da área será de responsabilidade do autor da proposta de aquisição do imóvel. “Os custos passarão a ser do interesse, mas importante ressaltar que a avaliação imobiliária será confeccionada por profissional técnico reconhecido pelos conselhos da área e somente será homologada após aprovação de critérios a serem definidos em regulamento”, acrescentou Eliane. 

Continue lendo em GDia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Crianças de 6 a 11 anos sem comorbidades podem receber vacina contra covid na segunda-feira (24)

Agendamento já está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br); doses serão aplicadas em 10 unidades de saúde

A Secretaria Municipal de Saúde baixou, mais uma vez, a faixa etária do público-alvo da campanha de vacinação infantil contra a covid-19. Na segunda-feira (24) serão vacinadas as crianças de 6 a 11 anos sem comorbidades.

O agendamento está disponível no site da prefeitura (vacinacao.pmfi.pr.gov.br). Também seguem sendo imunizadas as crianças de 5 a 11 anos que possuem comorbidades ou deficiência permanente.

De quarta-feira (20), quando iniciou a vacinação infantil, a sábado (22), 2.158 crianças receberam a primeira dose contra a covid em Foz do Iguaçu.

“Assim como foi com a vacinação dos adultos e também a dos adolescentes, vamos baixando a faixa etária tão logo possível, para que a imunização das crianças também ocorra de forma célere”, ressalta a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônimo.

As doses serão aplicadas nas seguintes unidades de saúde: UBS São João, Sol de Maio, Vila Iolanda, Maracanã, Padre Monti, Profilurb II, Vila C Nova, AKLP, Portal da Foz e Campos do Iguaçu.

Documentação

Os pais devem portar documento pessoal com foto, além de documento (RG, CPF e cartão SUS) ou certidão de nascimento da criança, para comprovar o parentesco, e comprovante de endereço. Crianças que não estiverem com o pai e/ou mãe deverão apresentar autorização por escrito (o modelo está disponível no link https://vacinacao.pmfi.pr.gov.br/grupos.html?id_publicacao=726)

Para comprovar a comorbidade, os pais poderão levar exames ou laudos médicos que comprovem a condição.

PMFI

Itaipulândia adia ItaVerão e veta acampamentos no Balneário Jacutinga

O município de Itaipulândia elaborou um novo decreto a ser publicado na tarde desta sexta-feira (21), que irá trazer algumas medidas de combate à Covid-19: o adiamento do evento ItaVerão e um veto aos acampamentos no Balneário Jacutinga.

O objetivo é evitar aglomerações neste momento em que os casos de Coronavírus estão com alta contínua e evitar que variantes cheguem ao município.