Arquivos

Categorias

Lula lidera com 42%, diz nova pesquisa Exame/Ideia

Lula lidera pesquisas, seguido de bolsonaro, Moro e Ciro

Lula lidera em todos os cenários. Moro e Ciro estão tecnicamente empatados

Pesquisa eleitoral do Instituto Ideia, contratada pela revista Exame e divulgada hoje, mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua liderando a disputa em dois cenários testados, com 42% das intenções de voto. O presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece em segundo lugar, com 27%.

A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O petista venceria qualquer adversário em um eventual segundo turno, conforme a sondagem.

Anúncios

Leia também

Moro e Ciro empatados

Dando sequência nesta lista vemos, o ex-juíz Sérgio Moro (Podemos), com 10%, o ex-governador Ciro Gomes (PDT), com 8%, e o governador de São Paulo João Doria, com 2%. Dentro da Margem de erro, Ciro e Moro estão tecnicamente empatados.

O deputado federal André Janones (Avante) aparece com 0,9%; o senador Rodrigo Pacheco (PSD), com 0,8%; Luiz Felipe D´Ávila (Novo) com 0,5%; a senadora Simone Tebet (MDB) com 0,4%; o senador Alessandro Vieira (Cidadania) com 0,3%; o ex-ministro Aldo Rebelo (sem partido) com 0,2%; e Leonardo Péricles (UP), com 0,1%. Todos estão tecnicamente empatados entre si e com Doria, conforme a margem de erro. Brancos e nulos somam 4%, e não sabem, 3%.

Anúncios

Primeiro Turno

A pesquisa Exame/Ideia traçou dois cenários de primeiro turno — um deles com Rodrigo Pacheco e outro com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB). Derrotado por Doria nas prévias tucanas, o gaúcho admitiu manter conversas com o PSD, partido dirigido por Gilberto Kassab, onde é cortejado para entrar na corrida eleitoral de outubro.

Pacheco avalia desistir da corrida presidencial e focar na eleição para o comando do Senado em fevereiro de 2023.

Anúncios

Confira abaixo — devido ao arrendondamento, a soma dos percentuais pode variar de 99% a 101%;.

Cenário 1 – Estimulada (com Pacheco):

Anúncios
  • Lula (PT): 42%
  • Bolsonaro (PL): 27%
  • Moro (Podemos): 10%
  • Ciro (PDT): 8%
  • Doria (PSDB): 2%
  • Janones (Avante): 0,9%
  • Pacheco (PSD) 0,8%
  • D´Ávila (Novo): 0,5%
  • Tebet (MDB): 0,4%
  • Vieira (Cidadania): 0,3%
  • Rebelo (sem partido): 0,2%
  • Péricles (UP): 0,1%
  • Ninguém/branco/nulo: 4%
  • Não sabem: 3%

Cenário 2 – Estimulada (com Leite sem Péricles):

  • Lula (PT): 42%
  • Bolsonaro (PL): 27%
  • Moro (Podemos): 10%
  • Ciro (PDT): 8%
  • Doria (PSDB): 3%
  • Leite (PSDB): 2%
  • Janones (Avante): 0,5%
  • Tebet (MDB): 0,4%
  • D’Ávila: 0,4%
  • Vieira (Cidadania): 0,3%
  • Rebelo (sem partido): 0,1%
  • Ninguém/branco/nulo: 3%
  • Não sabem: 3%

Segundo Turno

Em um eventual segundo turno, Lula lidera todos os cenários —a menor vantagem é contra Bolsonaro (14 pontos percentuais) e a maior, contra Doria (29 pontos).

Anúncios

Em uma simulação de segundo turno contra Bolsonaro o petista tem 49% das intenções de voto, e o atual presidente tem 35% — na pesquisa anterior ele também tinha 49% e o atual mandatário tinha 33%, ou seja, oscilou dois pontos para cima.

Já Bolsonaro ficaria empatado tecnicamente com Ciro, Moro e Doria, dentro da margem de erro.

Anúncios

Veja abaixo as simulações de segundo turno:

  • Lula x Bolsonaro: 49% a 35%
  • Lula x Doria: 51% a 22%
  • Lula x Moro: 49% a 33%
  • Lula x Ciro: 47% a 27%
  • Ciro x Bolsonaro: 39% a 36%
  • Moro x Bolsonaro: 35% a 31%
  • Bolsonaro x Doria: 32% a 29%

Com informações do UOL

Anúncios

Lula quer rever Reforma Trabalhista de 2017, mas não “na marra”

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer nesta que pretende rever a reforma trabalhista que foi aprovada durante o governo de Michel Temer. Para o petista, a ideia é retomar direitos que foram extintos.

Em entrevista à radio Passos, de Minas Gerais, Lula voltou a dizer que pretende rever a Reforma Trabalhista. O petista comentou que é preciso juntar sindicatos, empresários e o governo para estudar alterações que levem a uma legislação trabalhista adequada ao momento atual, mas que é preciso garantir direitos e seguridade social, citando o caso de motoristas de aplicativos.

Anúncios

Leia mais sobre a proposta de Lula