Foz é a cidade que mais cria empregos no Paraná

Foz do Iguaçu é a cidade que mais criou empregos no Paraná ao considerar os postos de trabalho abertos em relação a um milhão de pessoas. O “top five”, segundo o Caged, é composto por Foz (4.260,17), Cambé (3.958,34), Curitiba (3.302,40), Maringá (2.712,66) e Paranaguá (2.668,73).

Em novembro, Foz registrou 1.099 novos postos de trabalho com carteira assinada, 4.260,17 novos postos de trabalho para cada milhão de habitantes. Em números absolutos, a cidade ocupa o terceiro lugar na criação de empregos, atrás de Curitiba com 6.485 e Maringá com 1.184 em segundo.

Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado quinta-feira (23) pelo Ministério do Trabalho e Previdência. O desempenho positivo entre admissões e demissões é o melhor resultado de Foz do Iguaçu nos últimos dois anos, quando começou a pandemia da covid.

O setor de serviços, que inclui atividades do turismo, manutenção e reparação, liderou a criação de empregos com saldo positivo de 791 novos postos de trabalho em novembro. Em segundo está o comércio com 298 novas vagas, seguido da indústria com 42 e a agropecuária, com um novo posto de trabalho em novembro.

De janeiro a novembro deste ano, Foz do Iguaçu criou 4.086 empregos formais. “O ano de 2021 foi atípico e marcado por dois momentos distintos, o primeiro semestre o agravamento da pandemia e o segundo semestre com uma recuperação vigorosa da nossa economia”, disse o prefeito Chico Brasileiro.

No Paraná
Com saldo de 196.143 vagas formais abertas de janeiro a novembro de 2021, o Paraná foi o quarto maior estado brasileiro e o segundo da região sul na geração de empregos no período. A lista é liderada por São Paulo (saldo de 921.208 vagas), Minas Gerais (327.870) e Santa Catarina (205.480 vagas).

Os números do Caged apontam 23.788 vagas abertas em janeiro, 40.211 em fevereiro, 7.958 em março, 8.001 em abril, 15.055 em maio, 15.565 em junho, 14.514 em julho, 22.771 em agosto, 15.555 em setembro, 15.268 em outubro e 17.457 em novembro.

As mais de 17 mil vagas geradas apenas em novembro são o sexto melhor resultado do País. Quem liderou o número de carteiras assinadas no período também foi São Paulo (110.198 vagas), seguido por Rio de Janeiro (35.654), Minas Gerais (24.035), Rio Grande do Sul (18.722) e Santa Catarina (17.869).

Assim como no Paraná, o emprego formal apresentou alta no Brasil pelo décimo primeiro mês consecutivo. Segundo o Caged, o saldo do mês de novembro no País foi de 324.112 vagas. Já o acumulado dos onze meses do ano chega a 2.992.898 vagas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Medicamento à base de Cannabis é liberado pela Anvisa; já são 11 no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o décimo medicamento no país à base de Cannabis, nesta terça-feira (18).

O Extrato de Cannabis Sativa Ease Labs 79,14 mg/ml é obtido por meio do extrato vegetal da Cannabis sativa, planta conhecida como ‘maconha’.

A Anvisa diz que o medicamento, fabricado na Colômbia, será importado e distribuído no Brasil como produto acabado e pronto para uso.

O órgão informa que a medida foi publicada no Diário Oficial da União (D.O.U.), por meio da Resolução RE 136, de 17 de janeiro de 2022.

Segundo a agência, o remédio estará disponível sob a forma de solução em gotas para uso oral, contendo 47,5 mg/ml de canabidiol (CBD) e não mais do que 0,2% de tetrahidrocanabinol (THC) — substâncias da planta.

O medicamento será comercializado em farmácias e drogarias a partir da orientação médica por meio de receita do tipo B (de cor azul) — especial para prescrição de psicofármacos, diz a Anvisa.

Com isso, até o momento,o país dispõe 11 produtos aprovados pela Anvisa nessa categoria, de acordo Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 327/2019.

A agência reguladora reitera que, desses 11 produtos, cinco são à base de extratos de Cannabis sativa e seis de canabidiol. Confira a lista:

Canabidiol Prati-Donaduzzi (20 mg/mL; 50 mg/mL e 200 mg/mL);
Canabidiol NuNature (17,18 mg/mL);
Canabidiol NuNature (34,36 mg/mL);
Canabidiol Farmanguinhos (200 mg/mL);
Canabidiol Verdemed (50 mg/mL);
Extrato de Cannabis sativa Promediol (200 mg/mL);
Extrato de Cannabis sativa Zion Medpharma (200 mg/mL);
Canabidiol Verdemed (23,75 mg/mL);
Extrato de Cannabis sativa Alafiamed (200 mg/mL);
Extrato de Cannabis sativa Greencare (79,14 mg/mL); e
Extrato de Cannabis sativa Ease Labs (79,14 mg/mL).

CNN Brasil

Paraná registra nesta terça-feira 23.870 novos casos de covid

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta terça-feira (18) mais 23.870 casos confirmados e 21 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus. Os dados são referentes aos meses ou semanas anteriores e não representam a notificação das últimas 24 horas, que são de 16.809 casos e três óbitos.

O monitoramento da Covid-19 mostra que o Paraná soma 1.721.264 casos confirmados e 40.727 mortos pela doença.

Os casos divulgados nesta data são de janeiro (22.499) de 2022; dezembro (113), novembro (49), outubro (90), setembro (159), agosto (218), julho (66), junho (83), maio (76), abril (49), março (85), fevereiro (29) e janeiro (34) de 2021; e dezembro (83), novembro (128), outubro (28), setembro (26), agosto (26), julho (24), junho (3), maio (1) e abril (1) de 2020.

Os óbitos são de março (3), abril (4) e dezembro (2) de 2021 e janeiro (12) de 2022.

INTERNADOS – 68 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados em leitos SUS (27 em UTIs e 41 em leitos clínicos/enfermaria) e nenhum em leitos da rede particular (UTI ou leitos clínicos/enfermaria).

Há outros 856 pacientes internados, 305 em leitos de UTI e 551 em enfermarias, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A Sesa informa a morte de mais 21 pacientes. São sete mulheres e 14 homens, com idades que variam entre 38 e 92 anos. Os óbitos ocorreram entre 25 de março de 2021 e 18 de janeiro de 2022.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Curitiba (6), Ponta Grossa (2), Maringá (2), Umuarama, Rosário do Ivaí, Pontal do Paraná, Pinhais, Pato Branco, Londrina, Ibiporã, Curiúva, Borrazópolis, Araucária e Almirante Tamandaré.