Aeroporto recebe 949 mil passageiros em 2021 e espera quebrar recorde de 2019

Em janeiro, aeroporto internacional das Cataratas vai receber mais de 100 mil passageiros (chegadas e partidas), sem contar com voos low-cost e de fretamentos

Em 2021, o movimento do Aeroporto Internacional das Cataratas deu um salto de 37.085 passageiros em abril para 124.326 em dezembro – aumento de 70,1%. O ano fechou com 948.913 passageiros (embarques e desembarques), movimento 14,3% superior ao de 2020 quando passaram 829.689 passageiros pelo terminal. Os números são da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária).

Em janeiro, mais de 100 mil passageiros são esperados em 521 voos reservados para o mês. Janeiro marca também a mudança da administração do terminal para a CCR, o que deve ampliar a oferta no número de voos, voos fretados pelas operadoras de turismo e passageiros transportados.

“A expectativa é boa, porque a concessionária quer atrair mais voos aos aeroportos que administra. O aeroporto de Foz do Iguaçu é o melhor do sul do país com potencial de crescimento não só no movimento de passageiros, como de cargas. Caminhamos célere para se tornar um hub do Mercosul, ou seja, um centro de conexões para voos internacionais”, disse o secretário de Turismo, Projetos Estratégicos e Inovação, Paulo Angeli.

Foz do Iguaçu, diz o prefeito em exercício, delegado Francisco Sampaio, será um novo portão de entrada para turistas estrangeiros e, além dos EUA e Europa, um portão de entrada para os turistas da América do Sul. “Estamos consolidados como um destino de natureza muito requisitado pelo turista estrangeiro e do Mercosul, e seremos ainda nesta década um centro internacional de compras para o brasileiro”, completou.

Recorde

Os números de 2021 no aeroporto internacional só não batem janeiro (248.287), fevereiro (201.453) e março (124.957) de 2020 e 2019, quando o terminal teve a movimentação de 2.283.897 passageiros, um recorde histórico. “Em em 2021, mês a mês, a movimentação cresceu a partir de maio, chegou a 101.332 em outubro, passou para 114,144 em novembro e 124.326 em dezembro”, observa Angeli.

Empresas e operadores do setor esperam quebrar o recorde de 2019 entre 2023 e 2024. “Os números de 2019 são muito expressivos, mas a tendência é de alta. Já retomamos dois voos semanais diretos do Chile e esperamos outros voos low-cost da Colômbia e do México, que abre as conexão para os EUA e Canadá, e da Europa”, disse Sampaio.

O prefeito em exercício diz ainda que a estimativa é aumentar em 25% o número de turistas estrangeiros nos próximos anos. “Pelo nosso perfil anterior à pandemia, 40% dos turistas que vêm a Foz do Iguaçu são estrangeiros. Temos uma perspectiva de crescer esse nível e chegar a 50%”.

Janeiro

A Infraero já repassou a planilha com a previsão de voos para janeiro. Entre pousos (261) e decolagens (260) serão 521 voos de quatro operadoras (Azul, Latam, Gol e JAT) no mês. A previsão é do transporte de pelo menos 93.780 passageiros das quatro companhias aéreas.

Na planilha, não constam os voos de fretamento e nem os low cost. “Com a nova concessionária, esperamos mais voos domésticos e voos internacionais e outras empresas aéreas operando. O aeroporto terá mais um atrativos com instalação de loja franca (duty free)”, disse Paulo Angeli.

Uma das operadoras de turismo, espera trazer 12.905 turistas em voos fretados entre janeiro e junho deste ano: 1.658 (janeiro), 1.695 (fevereiro), 2.216 (março), 2.452 (abril), 2.706 (maio) e 2.178 (junho). “Destes lugares garantidos, janeiro e fevereiro já vendemos toda a oferta. Ainda estamos aguardando mais lugares de março a junho”, disse Marcos Pessuto, gerente de sourcing da região Sul da CVC.

“Foz do Iguaçu é um destino que apostamos em 2021 e continuaremos apostando em 2022”, completa Pessuto.

Link: https://www5.pmfi.pr.gov.br/noticia.php?id=49490

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Encerra nesta sexta as inscrições para o concurso do IBGE

O IBGE encerra na próxima sexta-feira (21) as inscrições dos processos seletivos para o total de 206.891 vagas temporárias para o Censo 2022. De acordo com o instituto, se inscreveram até esta segunda-feira (17) mais de 900 mil candidatos.

As vagas são divididas da seguinte forma:

183.021 vagas para a função de Recenseador: remuneração de acordo com a produção; taxa de inscrição de R$ 57,50;
18.420 vagas para a função de Agente Censitário Supervisor: salário de R$ 1.700; taxa de inscrição de R$ 60,50;
5.450 vagas para a função de Agente Censitário Municipal: salário de R$ 2.100; taxa de inscrição de R$ 60,50.
Para recenseadores são 476.366 inscritos, e para agentes censitários municipal e supervisor são 423.668 candidatos, totalizando 900.034 concorrentes.

O IBGE espera pelo menos 1 milhão de inscritos até o final do período de inscrições.

Clique nos cargos para ver os editais:

Agente censitário municipal e supervisor
Recenseador
Enquanto o recenseador não tem uma remuneração fixa, pois ela vai variar de acordo com a produção, dependendo do número de entrevistas com os moradores, o salário de agente censitário varia de R$ 1.700 a R$ 2.100. Isso pode explicar a grande procura dos inscritos pelo cargo de agente censitário, com quase 18 candidatos por vaga, enquanto para recenseador são 2,6 candidatos por vaga.

Além disso, como o concurso permite que o candidato se inscreva para os dois cargos, porque as provas são realizadas no mesmo dia, mas em períodos diferentes, isso pode reduzir ainda mais a concorrência para recenseador.

O IBGE estendeu o prazo de inscrições em 23 dias para aumentar o número de inscritos.

De acordo com o coordenador de Recursos Humanos do IBGE, Bruno Malheiros, é comum haver municípios com grande número de inscritos e outros com menor concorrência, mas o IBGE espera que todas as localidades tenham recenseadores aprovados suficientes para trabalhar no Censo 2022.

O candidato deve escolher a localidade no momento da inscrição. Mas, segundo Malheiros, poderá haver remanejamento de aprovados de um município para outro em caso de haver dificuldade de preenchimento de vagas.

E, no caso de haver localidades sem aprovados suficientes, o IBGE poderá abrir processos seletivos regionalizados para atender a esses casos específicos.

As vagas são para quase todos os municípios do país – veja aqui como estão distribuídas as vagas.

As inscrições para todos os cargos podem ser feitas até as 16h de 21 de janeiro no endereço eletrônico https://conhecimento.fgv.br/concursos/ibgepss21.

As inscrições nos processos seletivos de 2020 e 2021 não são válidas para o novo do Censo 2022. Os interessados deverão fazer nova inscrição e pagar a taxa para participar desse novo processo seletivo – leia abaixo sobre a devolução das taxas das seleções canceladas.

As taxas de inscrição desses processos seletivos são maiores que as da seleção anterior que foi cancelada, cujos valores eram de R$ 25,77 para recenseador e de R$ 39,49 para agente censitário. De acordo com o coordenador de Recursos Humanos do IBGE, Bruno Malheiros, o Cebraspe, que era a empresa organizadora do concurso anterior, estabeleceu o valor em 2019, o que explica a defasagem nos preços.

O candidato poderá obter informações referentes aos novos concursos por meio do telefone 0800-2834628 ou do e-mail ibgepss21@fgv.br.

Mãe de Bolsonaro morre aos 94 anos

Olinda Bonturi Bolsonaro, mãe do presidente Jair Bolsonaro, morreu na madrugada desta sexta-feira, 21. Ela estava internada no Hospital São João, em Registro (SP), desde segunda-feira, 17. Até o momento, não foi informado o motivo do falecimento.

“Com pesar o passamento da minha querida mãe. Que Deus a acolha em sua infinita bondade. Nesse momento me preparo para retornar ao Brasil”, escreveu o presidente no Twitter. Bolsonaro está em visita oficial no Suriname.

Na publicação, o presidente fez uma homenagem com um vídeo de fotos da mãe ao lado da família.

Foto: Reprodução de redes sociais/Estadão