Retomada da economia, emprego e olhar social: as diretrizes do Governo para 2022

Fortalecimento da economia, consolidação da geração de empregos e ampliação do olhar social. Essas serão as diretrizes que vão guiar o Governo do Estado em 2022, o quarto ano da gestão Carlos Massa Ratinho Junior à frente do Paraná.

Com indicadores em alta e um vasto conjunto de obras espalhado por todas as regiões, o governador busca a maturação dos projetos iniciados em 2019. “O balanço até aqui é positivo, bem positivo”, diz, enquanto esboça o planejamento para a próxima temporada. Ele apresentou um panorama da gestão a diversos veículos de comunicação nesta quarta-feira (22).

O otimismo é porque Ratinho Junior conseguiu tirar do papel quase tudo o que propôs para o desenvolvimento do Paraná. Com facilidade, cita números, obras e programas que estão transformando o Estado. Lembra a abertura de mais de 176 mil empregos formais, aqueles com carteira assinada, entre janeiro e outubro deste ano.

“E vamos chegar a 200 mil ou algo perto disso. Quando montei meu plano de governo, projetei a criação de 400 mil postos de trabalho em quatro anos. Mas só em um ano, agora em 2021, já chegamos a metade disso. Sem contar que em 2019 e 2020, apesar da pandemia, também fechamos no positivo (51,4 mil e 52,6 mil, respectivamente). É, sem dúvidas, o recorde do Paraná na criação de empregos”, afirma. “E não tem jeito: o trabalho é a melhor política social que existe”.

O mercado aquecido para quem quer deixar de frequentar as estatísticas do desemprego é, na visão do governador, a consequência de duas outras medidas tratadas como prioridade dentro esfera estadual: atração de investimentos e estruturação logística.

Foram, de acordo com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo (Sedest), R$ 100 bilhões em licenciamentos para a implantação investimentos privados desde 2019.

“Apenas nesses últimos dias do ano anunciamos a retomada da fabricação da Audi em São José dos Pinhais; investimentos da Klabin em obras de infraestrutura; novo acordo com a DAF em Ponta Grossa; e a construção do novo empreendimento da Unium, também nos Campos Gerais. Somando esses quatro investimentos passa de R$ 1,3 bilhão”, destaca o governador.

Recursos novos que chegam ao Estado em razão de outra política proposta por Ratinho Junior: a de transformar o Paraná no hub logístico da América do Sul. Com isso em mente, o governador começou a tirar obras emblemáticas das pranchetas dos arquitetos e engenheiros.

Assim nasceu a Nova Ferroeste, ramal ferroviário que vai ligar Maracaju, no Mato Grosso do Sul, ao Porto de Paranaguá, ação bilionária que está à beira de chegar à Bolsa de Valores de São Paulo (B3). Ou os 3,3 mil quilômetros de rodovias federais (65%) e estaduais (35%) que serão concedidas, também com a chancela da B3, à iniciativa privada, com a garantia de menor tarifa de pedágio e investimento de R$ 44 bilhões em obras, boa parte delas em duplicações.

Ratinho Junior cita ainda a construção da segunda ponte com o Paraguai, em parceria com a Itaipu Binacional; a revitalização da orla de Matinhos, com a assinatura da ordem de serviço prevista para ocorrer em janeiro; o projeto da ponte de Guaratuba; a modernização do Porto de Paranaguá; e o novo Trevo Cataratas, em Cascavel, como outros projetos impactantes em andamento.

“O investidor busca estrutura logística para poder entregar com rapidez e menor custo aquilo tudo que produz. E por oferecer essas condições, o Paraná virou uma grande referência para eles”, diz. “Sem contar o bom momento político e a desburocratização da máquina pública, fatores essenciais para quem quer investir, ganhar seu dinheiro e gerar emprego e renda”.

SOCIAL – Movimentação econômica que ajuda a pulverizar ações sociais dos mais diversos segmentos. Ele destaca a criação do Paraná Solidário, pacote que amplia os benefícios voltados a pessoas em situação de vulnerabilidade social e econômica do Estado.

Entre outras ferramentas, torna permanente o programa Comida Boa, que permite a transferência de renda a pessoas em situação de pobreza e extrema pobreza que não são atendidas pelo Auxílio Brasil, do governo federal, além de estender o alcance das tarifas sociais de água e luz e o valor do aluguel social dos moradores de áreas que estão sendo requalificadas nos municípios.

A efetivação dos programas Comida Boa, Energia Solidária, Água Solidária e do Aluguel Social se somam a outras iniciativas do Governo do Estado voltadas ao público mais vulnerável. A previsão é que mais de 1 milhão de pessoas sejam impactadas pelas ações, que juntas terão investimentos de cerca de R$ 485,6 milhões por ano, com recursos oriundo de diferentes fontes.

Além disso, por meio da modalidade programa Casa Fácil Paraná, chamada Valor de Entrada, o Estado pretende bancar até R$ 15 mil do valor de entrada de imóveis para a população de baixa renda. Serão 30 mil residências dentro deste escopo social.

“Este é o maior pacote social do Brasil e atende uma cadeia ampla, para que as pessoas tenham o mínimo de condições para ter qualidade de vida e ser feliz. É nossa obrigação como Estado cuidar de quem mais precisa”, afirma. “E ano que vem é pé no acelerador. A ideia é manter esse ritmo”, arremata.

Foto: Rodrigo Felix Leal/AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Foz do Iguaçu apresenta ações inovadoras na Rio Innovation Week

Iniciativas digitais desenvolvidas na cidade ganharão destaque durante um dos maiores eventos do setor na América Latina

Até o próximo domingo (16), a Secretaria de Turismo e Projetos Estratégicos dará a Foz do Iguaçu um papel de destaque durante a Rio Innovation Week, evento que começou na quinta-feira, 13, e é considerado um dos mais completos encontros de tecnologia e inovação da América Latina.

No espaço “Sociedade 5.0”, a servidora da pasta, Andressa Szekut, ministrou uma palestra sobre a transformação inovadora que Foz do Iguaçu está vivenciando. Entre os principais pontos apresentados, estavam as ações desenvolvidas pelo Município para estabelecer um ambiente favorável à pesquisa, inovação e o empreendedorismo, com foco em atração de investimentos.

Como convidada do Ministério do Turismo, Foz também está participando, na “Turistech Zone”, da Câmara 4.0, um espaço para trocar experiências com os demais destinos que estão no programa de Destino Turísticos Inteligentes do MTUR, além de conhecer iniciativas inovadoras e startups do setor.

“Apresentar as iniciativas que estão sendo desenvolvidas em Foz do Iguaçu em um evento deste porte faz parte da estratégia de tornar Foz do Iguaçu reconhecida como polo de inovação e empreendedorismo, para o fortalecimento e a diversificação da economia da cidade”, afirma o secretário de Turismo, Projetos Estratégicos e Inovação, Paulo Angeli.

A prefeitura participa do evento junto com o Parque Tecnológico de Itaipu – Brasil (PTI-BR), que está como expositor, divulgando as iniciativas e soluções realizadas no Programa Vila A Inteligente, além de prospectar empresas para o Smart Vitrine e parceiros estratégicos para o Hub Iguassu. O PTI irá apresentar também os projetos nas áreas de energia e inovação aberta.

Palestrantes

Entre os mais de 500 palestrantes, estão nomes renomados no cenário da inovação como: Richard Branson, presidente da Virgin; Steve Wozniak, cofundador da Apple; Camila Farani, investidora-anjo do Shark Tank Brasil; Marcos Pontes, ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação; Marcos Gurgel, diretor de Corporate Venture & Open Innovation no iFood, entre outros.

A estrutura oferece 15 palcos em 40 mil m², reunindo mais de mil startups e 190 expositores, com mais de 20 espaços de exposição com diversas temáticas.

Paraná inicia campanha de vacinação infantil contra a Covid-19

Isadora Libânio Despensieri, de 6 anos, foi a primeira criança vacinada contra a Covid-19 no Paraná. O Estado iniciou a imunização infantil contra a doença neste sábado (15), em Londrina, município em que ocorreu o início simbólico da proteção contra o coronavírus para o púbico de 5 a 11 anos.

“Estávamos esperando muito a vacina, pois eu sei que a vacina é uma maneira de proteger a Isadora. As crianças sofreram muito com a pandemia, sem entender o que está acontecendo. Então, nós sabemos da importância da vacinação” disse a mãe, Gisele Libânio.

Ainda na sexta-feira (14), o Estado enviou o lote de 65.500 vacinas para as 22 Regionais de Saúde em menos de cinco horas. O quantitativo descentralizado representa cerca de 5% da população infantil do Estado, estimada em 1.075 milhão.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, esteve em Londrina para acompanhar o início da imunização infantil.

“Mais uma vez, o governador Ratinho Junior cumpriu aquilo que havia prometido. Em poucas horas do recebimento da vacina pelo Ministério da Saúde, já havíamos descentralizado o lote para todo o Estado” destacou. “A campanha seguirá acontecendo nos próximos meses. Temos mais de 1 milhão de crianças em todo o Paraná e esse é um passo importante para a proteção de todas” reforçou.

O secretário municipal de Saúde de Londrina Felippe Machado, elogiou a agilidade na distribuição das vacinas no Estado.

“Temos que ressaltar toda a logística em relação à distribuição de vacinas. Nenhum outro Estado se organizou como o Paraná. Agradeço ao governador Ratinho Junior e ao secretário de Saúde Beto Preto para que pudéssemos iniciar a vacinação das crianças” frisou.

A vacinação seguirá diretrizes semelhantes às dos adultos, sendo iniciada por crianças com comorbidades e deficiência permanente, seguidas de indígenas e quilombolas, as que vivem em lares com pessoas com alto risco para evolução grave de Covid-19 e, então, em ordem decrescente de idade, iniciando pelos 11 anos até chegar aos 5 anos.

Outros municípios do Paraná devem começar a vacinação infantil entre hoje e segunda-feira (17).

Foto: Danilo Avanci/SESA